Fantasias verbais na sabatina inútil

Resultado de imagem para sabatina de moraes

Antes da sabatina, a aprovação já estava garantida

Carlos Chagas

Carnavalesco, o espetáculo não foi. Triste, certamente. Falamos da sabatina de Alexandre de Moraes na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, terça-feira. Durou mais de dez horas, quando os senadores confundiram o ex-ministro da Justiça com um candidato à presidência da República, interrogando-o sobre as mais variadas questões nacionais. Já se sabia do resultado, pela aprovação do depoente. Assim, com as exceções de sempre, Suas Excelências o interrogaram sobre tudo, mas de forma lamentável. Surgiu até um confronto inusitado entre a sucuri e o jacaré.

Os inquiridores, por ampla maioria, lembraram episódios acontecidos em suas regiões. Como resolver a questão indígena, de que forma aprovar a reforma da Previdência Social e a reforma trabalhista, a necessidade de ampliar os direitos da mulher, a importância do país sair da recessão e mil outros temas que melhor ficariam numa entrevista com Michel Temer.

A todos, sob a capa de bom moço, Alexandre de Moraes replicava com sonoros “concordo com V. Exa.” No fundo, talvez irritados com a presença em Brasília em plena semana anterior ao Carnaval, os senadores mostraram estar mais propícios a aparecer na televisão. Raras foram as perguntas a respeito da atuação do Supremo Tribunal Federal e a morosidade das estruturas do Judiciário.  O desfile de fantasias verbais dominou a sessão, junto com a placidez do presidente Edison Lobão. O que poderia ter levado quinze minutos estendeu-se por mais de dez horas. Tempo perdido e outra evidência do despreparo da maioria dos senadores.

TUDO SUBINDO – Apesar da maciça propaganda desenvolvida pelo governo a respeito do fim da recessão, tudo continua subindo. Das tarifas de água e luz aos remédios, não teria fim a relação dos aumentos de preço em todo tipo de gêneros e serviços. Sem falar na violência.

10 thoughts on “Fantasias verbais na sabatina inútil

  1. Chagas, hoje eu concordo com tudo que escreves. Foi uma sabatina lamentável Não tive saco para assistir todo o grotesco espetáculo. Completo dizendo: Está tudo dominado pela direita.

  2. Esta na hora de proporcionar ferias coletivas eternas para todos os congressistas!

    Remuneradas, sim, que sairá mais barato do que tê-los de volta fingindo legislar alguma coisa certa…

    Há um castelo na Transilvânia que acomoda bem a todos…
    Em caso de incapacidade de viajar, por motivos de saúde, há Bangu 1, 2, 3, Papuda, Tremembé, etc…

  3. Do que jeito que as coisas vão, nossos políticos não terão direito nenhum de se queixar se alguma “candidatura maluca” (como se disse aqui na Tribuna da Internet há poucos dias) sair vitoriosa em 2018. Fizeram muito por onde

  4. Essa sabatina, não vale de nada. É óbvio, que as respostas do sabatinado é para agradar a gregos e troianos. e alguns senadores fazem perguntas, que é um verdadeiro levantamento de bola. para ele cortar;
    O que vale, para alguém ser indicado para ministro do STF é seu curriculum e no momento atual seja a favor do MP para passar o Brasil a limpo..

  5. Tá tudo dominado. Assim como na indicação de Dias Toffolli, Lewandovski e todos os outros dos governos Lula e Dilma. Qual o motivo dessa indignação seletiva? só agora está errado? Quando era para proteger os bandidos de estimação estava tudo certo?

  6. Renato o teu pensamento se assemelha a de um “sapo cucuru”, Um erro não justifica outro. E ainda fazes uma injustiça com Lewandovski, pois ele nunca foi acusado de nada. Também não sei se Toffoli teve a rejeição amazônica de Moraes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *