Favoritíssima, a Holanda vence desastradamente, torce pelo final do jogo, ganha com gol IMPEDIDO e pênalti NÃO MARCADO NO FINAL

Holanda-Uruguai fizeram um primeiro tempo quase igual. Se houve superioridade, mesmo ligeira, foi para a “Celeste Olímpica” de 1924 e 1928. A Holanda, favoritíssima, não conseguiu amordaçar e subjugar o Uruguai.

Esse primeiro tempo, em matéria de igualdade, teve apenas os dois gols. De fora da área, chutadas primorosamente, as duas de pé esquerdo. A Holanda mais violenta, com duas faltas “para cartão”, que o árbitro preferiu não marcar, desafiando a Fifa.

Aos 10 minutos do segundo tempo, mais duas faltas “para cartão” da Holanda, os uruguaios reclamam, o árbitro não marca nem falta. Superficialmente, a Holanda está melhor, exibe até mesmo futebol de passes curtos, inteiramente dispersivo. Correm, correm, mas não chutam.

No fim do primeiro tempo e aos 15 minutos do segundo, câmeras “pegam” o treinador da Holanda, que já não exibe a tranquilidade do início, ou a exuberância demonstrada com o gol.

(Não torço para ninguém. Em artigo escrito no dia 11 de maio, analisando as seleções que faziam suas convocações, falei: “Gostaria que um país seja o oitavo a ganhar uma Copa. Para isso só existem Espanha e Holanda”. Até agora, em 18 Copas disputadas, só 7 países foram vencedores).

Excluída essa possibilidade, sobram Alemanha e Uruguai, que juntos, venceram 5 Copas. Nesse caso, prefiro o Uruguai. Aos 20 minutos deste segundo tempo, a “Celeste” está viva, heróica e resistente.

Mas numa Copa em que perdem pênaltis em lance não do último minuto, e sim do último segundo, tudo pode acontecer.

Cinco minutos depois de eu fazer essa observação, a Holanda FAZ (faz?) o segundo gol, RIGOROSAMENTE IMPEDIDO, falha do árbitro, como vem acontecendo.

Enquanto Dom Blatter resolve se pede desculpas, numa falha da defesa do Uruguai, a Holanda faz o terceiro gol. E passa a dominar o jogo. Faltam 14 minutos, o Uruguai precisa de 2 gols, para ir à prorrogação. (Praticamente impossível).

***

PS – Apesar do gol que não deveria ter sido validado, a Holanda mereceu a vitória? É evidente que sem esse gol (tão ilegítimo quanto a fortuna de cabralzinho) as coisas podiam  ser inteiramente diferentes. (O segundo gol do Uruguai veio muito tarde, mas valeu pela garra).

PS2- O Uruguai fez excelente partida, enfrentou bravamente a Holanda. Vitoriosa, mas muito longe da Holanda de 1974 e 1978. O que Cruyff disse do Brasil, vale para o seu país.

PS3 – Amanhã, Espanha e Alemanha disputarão o direito de ir à final com a Holanda. Se a Espanha vencer, a Copa será conquistada por um país que, em 80 anos, jamais foi vencedor.

PS4 – Apesar de nunca ter sido dirigida por Carlos Alberto Parreira.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *