Fazendo coro ao jornalista José Nêumanne, este é o pior Supremo que já vi atuar

Resultado de imagem para supremo charges

Charge do Alpino (Yahoo Notícias)

Percival Puggina

Com a mesma liberdade de opinião que me permitiu escrever na legislatura anterior que aquele era o pior Congresso Nacional que conheci, afirmo agora, fazendo coro com José Nêumanne, que esse Supremo é o pior que já vi atuar. Não apenas porque, usando o eufemismo da moda, “flerta” com a ditadura do Judiciário e realiza proezas nunca vistas, mas porque, com ares missionários, antagoniza a nação. O que para a sociedade é Verdade e Valor, para o STF é objeto de correição. O Supremo se orgulha de agir em dissintonia com a sociedade.

Entenda-se. Um ministro da Corte, ao deliberar, não tem entre seus deveres interrogar-se sobre o que as pessoas pensam a respeito do assunto. Não está imposta a ele a obrigação de promover pesquisa de opinião ou enquete a cada voto que deva dar, muito embora, por vezes, sejam promovidas audiências públicas. Opiniões lhes chegam, de regra, via contraditório expresso pelas partes.

MODO DE ESCOLHA – No entanto, o problema que abordo aqui tem outra natureza e se vincula ao modo como o atual colegiado foi formado. Lula e Dilma indicaram 13 ministros, dos quais sete permanecem no cargo. Desnecessário dizer o quanto essas designações foram influenciadas pelo critério ideológico. Nos governos petistas ele era determinante, até mesmo, da escolha do jardineiro e do fornecedor de frutos do mar. Camarões de esquerda. Lagostas trotskistas. De nenhum dos quatro remanescentes se poderá dizer que tenham qualquer afinidade com o pensamento conservador, majoritário na sociedade. Bem ao contrário!

Os longos anos de petismo, resultantes de um tempo em que o ambiente cultural estava hegemonizado pelo pensamento de esquerda, dito “progressista”, viabilizaram ampla maioria na Corte. Para piorar a situação, os três ministros anteriores a esse tempo sinistro, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello, com diferenças de ritmo, batem no mesmo tambor. E o ministro subsequente, Alexandre de Moraes, já deixou claro a que veio.

REDES SOCIAIS – Na parte final dessa linha de tempo, contudo, surgiram a redes sociais, democratizando o direito de opinião, dando voz a conservadores e liberais, e revelando, para escândalo dos ditos progressistas, o perfil majoritariamente conservador da sociedade brasileira. Decisões do STF repercutem de modo muito mais intenso nas redes sociais do que nas colunas dos jornais. E o desgosto da sociedade se manifesta.

Qual a reação do Supremo, evidentemente deslocado e isolado, com pouco espaço no mundo das ideias vigentes na sociedade, indigesto e desprestigiado, perante essa situação? Como o descomunal orgulho dos senhores ministros responde à sociedade? Proclamando seu papel contramajoritário!

RECUSA AOS VALORES – Eis a grande sacada na cartola dos péssimos argumentos, adulterando o sentido original do termo “contramajoritário”, que significa discordar de algo aprovado pelo Parlamento e sancionado pela Presidência. Na concepção do STF, o vocábulo passou a significar a recusa aos valores dominantes na sociedade, propagandeada como se fosse virtuosa atribuição do Poder.

Caberia ao STF ensinar o povo a pensar segundo o modo como os onze interpretam os princípios constitucionais. Os onze sabem mais do que todos, mais do que os grandes filósofos gregos, mais do que os grandes teólogos. Nenhum destes, claro, mais qualificado do que George Soros e a Nova Ordem Mundial com suas ideias “progressistas” sobre aborto, ideologia de gênero, feminismo radical, controle de armas, globalismo, imigração, “politicamente correto” e engenharia social.

Alguém, aí, abra a janela que eu preciso de ar puro.

 

18 thoughts on “Fazendo coro ao jornalista José Nêumanne, este é o pior Supremo que já vi atuar

  1. Mais vazajato derruba ainda mais (se é possível) a credibilidade de DD e do ex-juiz:

    Na véspera da prisão do ex-presidente da Câmara, Sergio Moro instruiu a Lava-Jato a não apreender celulares de Eduardo Cunha

    Deltan para Sergio Moro (conversamos) aqui e entendemos que não é caso de pedir os celulares, pelos riscos, com base em suas ponderações

    Moro: Ok tb

    https://bzfd.it/31z6Yjz

  2. O STF é uma pocilga, onde chafurdam a maioria daqueles que se acham ministros, e são, na realidade, funcionários que não merecem o status que têm.
    Há, até, um classificado no livro de Saulo Ramos, de “ juiz de merda”. Este sabe que é verdade, porque ouviu do próprio autor do livro.

  3. Depois querem barrar o Eduardo para ser embaixador. Com que moral?
    Se a corte supremas está di jeitonque ondiabo gosta. Qual a diferença que faz quaisquer outras coisas públicas?
    O país corre risco muito sério de uma nova intervenção, pois todos os limites foram extrapolados por estes nomeados, até presidiário colocou muitos deles lá.
    Os motivos não faltam mais.
    E agora?
    Vamos deixar o Brasil acabar para depois tirarmos essa banda podre?
    Creio que não.

    • Sr. Roberto ..Sr. Roberto..O que uma cousa tem a ver com a outra ? Prezado seja mais sensato e polido em seus pensamentos, veja bem o que vc escreveu, e sinta vergonha de tamanha insanidade na sua comparação.
      Esse ranço sem sentido fez vc escrever uma besteira sem tamanho e pior fugindo do tema de forma mais idiota. Se não tens argumentos para debater um tema melhor e nada escrever..pega menos mal , do que escrever uma bobagem desta.
      O ALTISSIMO SEJA LOUVADO …sempre ..

  4. Sinceridade..É triste ver um artigo como este…. Como pode um cidadão ter um conceito deste?
    Prezado ..prezado ..Melhor com este STF …do que não ter STF. Quer vc que o STF seja fechado como faz essa turba idiota manipulada pelo sistema ?
    Meu prezado plebeu autor deste artigo, sejas mais comedido e sensato imagine uma nação sem sua Corte Suprema ?
    Portanto os dosi estão errados em suas cosmovisões sobre o STF.Não é por esse caminho que se pode melhorar o STF..não é por esse caminho.

    O ALTISSIMO SEJA LOUVADO …sempre

  5. “…aquele era o pior Congresso Nacional que conheci, afirmo agora, fazendo coro com José Nêumanne, que esse Supremo é o pior que já vi atuar.”

    Tem uma GRANDE diferença: os lixos do Congresso puderam ser retirados pelo voto, enquanto os do Supremo permanecem emporcalhando a Justiça de deste país, intocados e intocáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *