Feliz Ano Velho: Pivô de escândalos é mantido na presidência da Câmara de Belo Horizonte

Isabella Lacerda (O Tempo)

Um racha na base do prefeito Marcio Lacerda (PSB) na Câmara de Belo Horizonte levou à reeleição o presidente da Casa, vereador Léo Burguês (PSDB), pivô de escândalos durante a última legislatura. Sem apoio do seu partido e mesmo não tendo a adesão de Lacerda a seu nome, o tucano foi mantido por mais dois anos na presidência da Câmara tendo a sua chapa sido votada por 21 vereadores.

Burguês reeleito, apesar de tudo

Burguês afirmou que acha “legítimo” Lacerda ter preferido outro candidato e admitiu que vai ser mais “difícil” para o Executivo votar os projetos de seu interesse “já que a base de governo não está tão forte na Casa”. O tucano fez questão de minimizar as polêmicas que o envolveram nos últimos anos, como a aprovação do aumento salarial de 61,8%, que foi vetado por Lacerda, e a compra de lanches no bufê de sua madrasta, ressaltando que existem altos e baixos em qualquer um dos Poderes.

O nome de Burguês, que até horas antes da eleição era tido como improvável, foi escolhido em meio a muita articulação e graças, principalmente, à adesão de vereadores novatos a sua candidatura. Duas horas antes da reunião, que também empossou o prefeito reeleito na capital e os 41 vereadores eleitos, o grupo de Burguês tentava um acordo com o também tucano Henrique Braga – opção surgida de última hora para tentar um consenso dentro da Casa.

###
VOTO A VOTO

Sem consenso, o grupo decidiu disputar voto a voto a eleição, indo contra uma decisão anterior do PSDB. Do outro lado, PSB e PT haviam se unido em torno de Bruno Miranda (PDT), que também pretendia lançar uma chapa. Miranda era considerado o preferido de Lacerda, porém, desagradava os tucanos que não aceitavam perder a direção do Legislativo.

Para evitar um racha ainda maior e não desagradar o senador Aécio Neves (PSDB), momentos antes da votação Lacerda entrou em contato com o grupo liderado pelo pedetista pedindo para que apoiasse Braga. A solicitação, porém, não foi atendida pelo PT, que integra o grupo de oposição ao socialista. Henrique Braga foi derrotado com 14 votos. Quatro petistas se abstiveram e dois vereadores não estavam presentes na hora da votação.

Henrique Braga disse que a eleição de Burguês “racha o PSDB”. “Ele comprou uma briga com o partido”, assinalou. Ao mesmo tempo, o PSB do prefeito decidiu, durante reunião da bancada, fazer oposição à Mesa Diretora eleita, o que coloca de lados opostos as principais siglas que apoiaram a eleição de Lacerda.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *