Fernanda Montenegro relembra “O Casamento”, romance de Nelson Rodrigues

Resultado de imagem para fernanda montenegro e Nelson na TV

Fernanda revive Nelson Rodrigues na TV Globo

Pedro do Coutto

Fernanda Montenegro relembrou na noite de domingo, dentro da série do “Fantástico” sobre a obra de Nelson Rodrigues, o romance “O Casamento”, de 1966, proibido por ato do ministro da Justiça do Governo Castelo Branco, Carlos Medeiros, que reabriu o debate sobre interdições de obras de arte, situação muito comum nos tempos da ditadura militar. Por exemplo, o filme “O Último Tango em Paris”, de Bernardo Bertolucci, com Marlon Brando e Maria Schneider nos papeis principais. A arte atravessou um mau período nos anos de chumbo, valendo lembrar que uma das proibições recaiu sobre a apresentação pela TV Globo dos 200 anos de dança clássica do Teatro Bolshoi… Mas isso passou.

Como todas as obras de arte da História que numa ocasião foram interditadas, “O Casamento” poucos anos depois circulou livremente. O destino é exemplar nesta metamorfose obscurantista. Não existe obra de arte no mundo, ao longo de toda a história, que tenha sido proibida ou censurada e que depois não tenha sido exibida ou circulada livremente.

ÉRAMOS AMIGOS – Eu lembro que, naquela ocasião, meu amigo José Lino Grunewald publicou um artigo no Correio da Manhã em favor de “O Casamento” e no final do texto afirmou com ironia: “O Casamento é muito mais revolucionário do que aqueles que tentam proibi-lo”. Eu era amigo de Nelson Rodrigues e apresentei José Lino ao teatrólogo e romancista. Partiu desse encontro a ideia de Nelson Rodrigues tornar-se memorialista. Mas esta é outra questão.

O fato em si é que Fernanda Montenegro destacou na noite de domingo passagens do romance a visão de Nelson Rodrigues sobre o casamento, tema aliás muito focalizado em sua obra. Está no “Vestido de Noiva”, maior peça do teatro brasileiro de todos os tempos, encontra-se também em “Bonitinha Mas Ordinária”, em “Perdoa-me por me traíres” em “O Beijo no Asfalto”. O romance de 1966, portanto, foi mais uma obra do grande artista de criações múltiplas e profundas.

Como já acentuei em texto anterior, espero que Fernanda Montenegro, uma grande artista, focalize a importância de “Vestido de Noiva”, uma espécie de Cidadão Kane do teatro brasileiro.

###
89% QUEREM MICHEL TEMER JULGADO PELO STF

Na edição desta segunda-feira da Folha de São Paulo, Marco Rodrigo Almeida destacou pontos nevrálgicos da mais recente pesquisa do Datafolha, que, além de focalizar o panorama da sucessão de 2018, incluiu também as reações da população brasileira relativas ao presidente Michel Temer e ao ex-presidente Lula. Quanto a Michel Temer, a maioria esmagadora de 89% deseja que ele seja julgado pelo STF, portanto favorável a licença da Câmara para que o processo criminal tenha sequência.

Quanto a Luiz Inácio Lula da Silva, 56% acham que ele já deveria ter sido condenado em definitivo e preso em consequência. Focalizando o tema corrupção no Brasil, um resultado irônico: 44% acham que ela acaba depois da Operação Lava Jato e também 44% sustentam que ela continuará. 9% disseram que ela vai até aumentar e 3% não responderam a pergunta.

Os 9% não levaram em conta a retração natural do empresariado em manter a prática criminosa do suborno. Neste ponto eu lembro a coluna de Nelson Rodrigues na Ultima Hora e O Globo: “A Vida Como Ela É”.

2 thoughts on “Fernanda Montenegro relembra “O Casamento”, romance de Nelson Rodrigues

  1. Que glória, dois grandes nomes do teatro brasileiro:
    Nelson Rodrigues e Fernanda Montenegro. Salve! Não assisti ainda, mas posso imaginar a grande atriz lendo trechos da obra do grande teatrólogo, como Vestido de Noiva, Bonitinha mas Ordinária e Beijo no Asfalto. Assisti no Rio, Beijo no asfalto, na época deu o que falar: a história de um beijo dado por Arandir na boca de um rapaz que tinha sido atropelado. Em Curitiba foi um sucesso. Fernanda Montenegro faz uma seleção das crônicas do grande escritor, organizada por sua filha, Sonia Rodrigues. Nelson merece esta homenagem póstuma. Beijo no Asfalto, foi insistentemente, pedida por Fernanda ao autor. Ela queria fazer um teatro brasileiro com Nelson Rodrigues e Nelson aquiesceu com esta obra prima que é o Beijo no Asfalto. Nelson e Fernanda, duas glórias do Teatro Brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *