Fica combinado assim: Petrobras não foi roubada e os empreiteiros não pagaram propinas

Carlos Alberto Sardenberg
O Globo

Não, o presidente da República não precisa entender da formação de preços de combustíveis, muito menos saber de quantas agências o Banco do Brasil necessita para funcionar de modo eficiente. Mas deve ter um mínimo de conhecimento geral de economia e administração, para ao menos entender as explicações das pessoas capacitadas que coloca em seu governo. E, sobretudo, nunca sair falando de coisas que ouviu por aí.

Isso, em circunstâncias normais. Acrescente ao quadro um presidente que acredita estar cercado de conspiradores — e, pronto, eis o desastre Jair Bolsonaro.

CONSPIRAÇÃO NA PETROBRAS – Ele não quer saber se os preços do diesel e da gasolina estão em níveis corretos. Se fosse isso, ele chamaria o Guedes e pediria uma aula. Mas não: instigado pelo seu grupo de raiz, ele acha que o aumento dos combustíveis é uma conspiração de inimigos comunistas com o objetivo de criar um clima de caos social que abale ou derrube seu governo.

Exagero? Também pensei isso quando comecei a tratar do tema. A ideia de que a Petrobras está tomada por petistas que querem derrubar o “mito” aparece com frequência nas redes bolsonaristas.

Nossa primeira reação é um riso entre conformado e inquieto. “Esses caras são malucos” — é o comentário que se segue. Roberto Castello Branco chefiando uma malta de esquerdistas? Mas, depois, quando se compara o teor das redes com as falas de Bolsonaro, a conclusão é outra. Preocupante.

VERSÃO DE BOLSONARO – Disse o presidente que a Petrobras está cheia de gente que não trabalha — a começar pelo seu presidente — e que tem muita coisa muito errada na companhia. E que isso logo será revelado.

Isso é tão grave que os conselheiros da companhia, por unanimidade, incluindo, pois, os bolsonaristas, decidiram interpelar formalmente Bolsonaro por aquelas declarações.

Ocorre que, se tem “muita coisa errada”, os conselheiros são legalmente responsáveis por isso. Podem ser processados, inclusive na pessoa física, colocando em risco seus bens. Ou seja, esse caso ainda terá implicações perigosas.

MAIS CONSPIRAÇÃO – Quando se observa a fala de Bolsonaro sobre as medidas de restrição social, também aparece nitidamente a ideia de conspiração. Simples assim: governadores e prefeitos fecham a economia com o objetivo de provocar caos, desemprego e, de novo, jogar a culpa no governo federal.

Também aqui, o presidente não tem a menor intenção de entender as formas de circulação do vírus. Acha que isso é tudo conversa de quem quer derrubá-lo.

Tem mais. A diretoria do Banco do Brasil, pressionada pela crescente concorrência no setor, iniciou um plano de enxugamento, com a redução do número de agências e de funcionários.

FECHAR AGÊNCIAS? – Conspiração, claro. Vão fechar agências em pequenas cidades para indispor esse eleitorado, especialmente ligado ao agronegócio, contra Bolsonaro.

Deve ser por isso que o (ainda) presidente do BB, André Brandão, nem se deu ao trabalho de tentar explicar. Simplesmente colocou o cargo à disposição. Vai cair fora.

Outra: na sexta-feira, dia 26/02, no Twitter, o presidente escreveu, em péssimo português, como de costume, que o procurador símbolo da Lava-Jato, Deltan Dallagnol, estava armando um complô contra a família Bolsonaro.

COM BASE NOS DIÁLOGOS – Como Lula, baseou-se naqueles diálogos roubados e não periciados. Não argumenta sobre a inocência de seus atos e de seus filhos. É complô, e pronto. De novo, como a defesa de Lula. Não tenta provar inocência do ex-presidente, mas afirma que Moro e Dallagnol forjaram tudo para derrubar o PT e favorecer Bolsonaro. Que, por sua vez, acha que é um complô para derrubá-lo e favorecer Lula.

Enquanto isso, o Congresso trata de se tornar impune e salvar todos os seus acusados de corrupção. Ou seja, a Petrobras não foi roubada, os empreiteiros não pagaram propinas e o vírus é um infiltrado chinês.

9 thoughts on “Fica combinado assim: Petrobras não foi roubada e os empreiteiros não pagaram propinas

  1. Vamos voltar ao que éramos, vamos é muito melhor. Viva Augusto Aras, Viva o Sapao Gilmar, Viva Kassio com K , com K , com K pqp com K.
    Todos os bandidos estão soltos, é uma maravilha. O estuprador de cabrita tem que voltar, volta meu querido volta esse país vagabundo precisa de sua sumidade.
    Ah país vagabundo.

  2. Indiscutível, que houve corrupção de agentes públicos em concluío com agentes privados na Petrobrás. Os delatores premiados para não mofarem nas prisões, caguetaram seus cúmplices. Insta salientar, que foi a presidente Dilma, quem sancionou a Lei da Delação Premiada.
    Sardenberg omite na matéria, que a Petrobrás era um feudo do PMDB. Quem mandava na empresa era o senador Edson Lobão. Não obstante, dois presidentes, um da Bahia e outro de Alagoas eram filiados ao PT.
    O STF fez o seu papel e desmontou a relação promíscua, no processo da Ação Penal denominada de Mensalão.
    Voltando aos tempos idos, um afilhado do presidente general Geisel, nomeado pelo presidente para comandar a Petrobrás, Sigeak Ueki, foi denunciado pelas suas ações lá. O General presidente exonerou Ueki, mas, o nomeou ministro das Minas e Energia, cuja estatal era e ainda é subordinada ao ministro. Você sabia disso Sardenberg? Acho que não.
    Em 2008, escrevi uma carta para Sardenberg, de três laudas, explicando ao jornalista especializado em Economia, que seus ataques a empresa pública administradora de Aeroportos, não era responsável pelas filas da Receita e da Polícia Federal, uma obviedade solar. Seus ataques diários por qualquer motivo eram constantes. Por fim, Dilma Roussef do PT, deu início, em 2012 na privatização dos Aeroportos de Guarulhos, Brasília e de Viracopos. Um ano depois venderam Galeão e Confins. Pois bem, Viracopus em Campinas, com a empresa pública ferindo, o lucro anual era de 600 milhões. Hoje, com o privado dá prejuízo, eles querem entregar, mas, pleteiam indenização de 3 bilhões e ainda não pagam as prestações da privatização. Uma das empresas de engenharia consorciada foi pega na Lava-jato.
    O Galeão está mal das pernas, há mais de 5 anos, vazio, abandonaram o TPS1 e fizeram uma expansão horroriza, que obriga passageiros a caminhar das passarelas até o desembarque, em mais de 1 km.
    Mas, Sardenberg não escreve uma linha sobre isso. Qual a razão?
    Outra coisa interessante. O jornalista ataca o presidente Bolsonaro, com razão ou sem razão, entretanto, nenhuma crítica ao ministro Paulo Guedes.
    E a vida segue seu rumo tranquilamente.
    Que fazer, diria Lênin em seu pequeno livro?

    • O renomado jornalista, Sardenberg, homem culto e respeitado, diga-se de passagem, também nunca citou o que acontecia na Petrobrás, no governo FHC, que nomeou o genro para presidir a Agência Nacional de Petróleo e que mandava na Petrobrás.
      Na realidade, usaram o Mensalão e a Lava Jato, como cortina de fumaça, para fatiar, vender e destruir o patrimônio público, criado pela sociedade, ainda no governo Getúlio Vargas, em 1954. Militares nacionalistas do Exército estavam na liderança desse processo de criação da empresa. Os militares de agora nem se importam com o desmonte. Já venderam a BR Distribuidora e começaram a venda das Refinarias.
      O setor privado, sempre eles, agradecem penhorada mente, essa forcinha do Guedes.
      Já pegam o setor lucrativo e depois é só enriquecer, as custas da nação.
      Nenhum desses milionários, se dispõe a investir e esperar 10 anos para começar a dar lucros.
      Eles esperam o setor público criar para depois pegar prontinho embrulhado para presente.

  3. 1 – Todas as gravações FORAM perícia das e a conclusão foi de que são gravações autênticas e NÃO editadas.
    2 – O que Lula quer é um julgamento que se baseie em PROVA que não foi encontrada mesmo após 5 anos de investigação.

    • Caro Ronaldo. Não é da minha alçada, o que o Lula ou quem quer que seja, usa em sua defesa. O mesmo argumento é utilizado por Moro e Dallaganol et caterva ao dizerem que as gravações sobre os diálogos haqueados entre eles, nada Republicanos são
      nitroglicerina pura. Eles como Lula, dizem que não reconhecem e que foram tirados fora do contexto.
      Todos usam o mesmo argumento de Defesa. Quanto aos pobres, que cometem crimes, levam porrada dos policiais e ficam presos direto, não tem essa de segunda instância e trânsito em julgado da sentença condenatória. É chilindó por tempo indeterminado, a não ser que contratem os advogados medalhões, mas, esses custam caro.

  4. A Lava- Jato foi uma (Operação?) onde as raposas tentaram ficar com parte dos ovos dos coiotes. Ladrão que rouba ladrão, merece punição. Tal conluio, lesou a Petrobras, quebrou a indústria pesada, gerou milhões de desemprego diretos e indiretos, reduzi drasticamente o PIB do país e no entanto, a maioria dos militantes se encontram livres, leves e soltos usufruindo dos frutos dos roubos, cada um de sua forma. A Lava – Jato,, pode ser comparada a uma disputa de facções, cada uma disputa sua fonte de Renda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *