Fidel de hoje complica tudo, até o entendimento sobre ele mesmo. Não é o de 25 anos, o de 33, completou 84, reaparece no vazio. E o discreto, silencioso e omisso Raul, que já nasceu comunista, o que faz?

Não esperava voltar ao tema e ao personagem, tão cedo. Não tenho a menor dúvida nem constrangimento de dizer: haja o que houver, qualquer que seja a análise sobre Fidel, ele é um homem que conquistou o seu lugar na citação dos séculos, o XX e o XXI. O XX foi mais positivo, o XXI, apenas com 10 anos, não está sendo favorável a ele. Mas não interessa, ele é inatingível, embora tenha vivido demais. A história é dele.

Mas positiva ou negativa a apreciação sobre Fidel, não passará ignorado pela História, será discutido, desvendado, amado ou odiado. Um homem que aos 34 anos se lançou para o mundo, que ficou 50 anos combatendo e sendo combatido, não poderá ser esquecido apenas porque juntou meia dúzia de tolices sobre ideologias, sistemas de governo, o que ficará para sempre (“capitalismo eterno”) e aquilo que no seu entendimento, será ultrapassado.

Três fatos me obrigam a tratar novamente de Cuba, Fidel e Raul, não por condescendência, e sim por necessidade jornalística, usando e aproveitando os conhecimentos acumulados nas inúmeras vezes em que estive na belíssima ilha. Duas vezes com Batista (uma, sargento de carreira, a outra, “marechalíssimo” por decisão ditatorial dele mesmo), precisamente aquele que foi derrubado por Fidel.

Com Raul a seu lado, sempre comunista, silencioso e omisso, que naturalmente não esperava nem admitia que aquela então aventura se transformaria numa lenda ou legenda (que pode ser exaltada ou reprovada), mas que duraria 50 anos, e continua envolta em mistério, quanto à duração e possível transformação. Com Fidel ou sem Fidel, mas certamente com Raul, a não ser que a longevidade física atrapalhe a longevidade cívica.

Naquele final de 1958 que no mesmo minuto daria passagem para a entrada de 1959, ao lado dos dois, o bravo Camilo Cienfuegos. Era das melhores figuras, não demorou muito tempo a perceber que Fidel partia para uma ditadura, não concordava de maneira alguma. Como era uma voz isolada, foi isolado.

Cienfuegos protestou, se revoltou, queria democracia, e um país livre para ele e seu povo. (Pode ser comparado a Benjamin Franklin, a luta pela independência contra a Inglaterra, um dos Fundadores da República. Quase todos os Fundadores tiveram cargos relevantes, muitos chegaram a presidentes. Recusou, dizendo com grandeza: “Só queria uma Pátria, e viver livremente”).

Numa noite fria, quase gelada, Cienfuegos foi jogado no mar, e vigiado até que desaparecesse. E bem longe da costa, os “homens fortes” de Havana, cuidaram para que a palavra “desaparecer”, fosse utilizada em todos os sentidos. E como eram poderosos, quase nada se falou sobre a ausência dele, poucos souberam o que aconteceu.

48 horas depois da publicação da entrevista de agora, Fidel fez um desmentido sobre sua “definição” a respeito da duração do capitalismo, nenhuma importância ou significado. Ele disse, podia desdizer, que leu e interpretou (ou traduziu) a entrevista, pode ignorar o adendo que tem apenas uma frase.

Mas o que é importante, na verdade I-M-P-O-R-T-A-N-T-Í-S-S-I-M-O, é a afirmação-revelação conjugada de Raul e Fidel, sobre o futuro (de hoje mesmo) de Cuba e da sua forma de ser administrada.

Nessa revelação pública e oficial, está declarado e desvendado: “1 milhão de funcionários públicos serão demitidos. É preciso reduzir as despesas, todos pagos pelo Estado, que gasta demais”. Isso me surpreende, me revolta, me desagrada, me decepciona. Não era o que estava no mapa ideológico, profissional, na caminhada para o futuro.

Na última vez que estive em Cuba, (parando na Jamaica para trocar de avião, não havia como, não há voo direto do Brasil para Cuba) me abasteci, (me abasteceram) com notícias animadoras. (Fiquei satisfeitíssimo, escrevi sobre isso, na então Tribuna da Imprensa, que não circulará NUNCA MAIS. Apesar da DECISÃO DO SUPREMO, QUE DETERMINOU O CONTRÁRIO. O que vale ou representa o SUPREMO DIANTE DE UMA PERSEGUIÇÃO DE 31 ANOS?)

O que estava planejado, idealizado, que comemorei como GRANDE FINAL, a conquista do futuro. Cuba tinha 42 ou 43 estatais, (na época) com um presidente e 8 a 10 diretores, todos com títulos universitários. Multipliquem sumariamente, seriam 400 ou 500 jovens, formados no amor à PÁTRIA e à divisão da produção pelos 11 milhões de cidadãos.

Seria o desejado futuro, dirigido e comandado por jovens, que continuavam respeitando e adorando Fidel, mas queriam outro tipo de vida.

Inesperadamente, tudo se transformou, não sei se a doença de Fidel teve alguma importância, também não sei quem está mandando de verdade em Cuba, Fidel ou Raul?

De qualquer maneira, um fato que não pode nem ser contestado: esse 1 milhão de FUNCIONÁRIOS demitidos, são aqueles mesmos, preparados para dar roupagem diferente à uniformizada Cuba ditatorial.

Calculei em 400 ou 500 presidentes e diretores de estatais. Mas devem existir pessoas do segundo escalão, diplomados, participantes, dobrando o total.

O outro fato que traz o assunto a explicações, é o seguinte: muitos já apregoam e admitem, que sem Fidel ou Raul, com um novo formato de governo, textual, “Cuba será uma nova China, contribuindo para o equilíbrio do mundo”. Quem dera, quem dera.

Isso está tão longe que não convém sequer discutir. Bastam estes números: a China tem 1 BILHÃO E 300 MILHÕES de habitantes e um dos maiores territórios do mundo. Cuba tem um território mínimo e apenas 11 milhões de habitantes.

Cuba pode ser um lugar próspero e progressista para seus habitantes, e provocar uma convivência agradabilíssima para pessoas de fora, que passearão por lá, (como passeiam por outros lugares) contribuindo para a riqueza dos 11 milhões de cubanos.

***

PS – A China vai ajudar a transição da economia, pela QUANTIDADE que trará a qualidade, mas só depois. O mundo inteiro, hoje, se preocupa com o PIB da China, não por ela, mas por todos.

PS2 – O mundo todo COMPRA e VENDE da China. É a ordem natural das coisas. É quase uma volta à Era do “escambo”, quando não havia dinheiro.

PS3 – Os países TROCAVAM o que tinham de sobra pelo que lhes FALTAVA. Hoje, fazem a mesma coisa, só que criaram uma porção de ÓRGÃOS COMPLICADORES, que esmagam e empobrecem países, ao mesmo tempo que fazem crescer e enriquecer outros.

PS4 – Quando eu disse que o CAPITALISMO É QUASE PERFEITO, provoquei a ira dos que sempre querem contestar.

PS5 – O CAPITALISMO É PRATICAMENTE PERFEITO, para aqueles que se servem dele. É uma TRAGÉDIA INEVITÁVEL, para QUASE METADE da população do mundo. E o CAPITALISMO, como eu disse, tem UMA CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO, que nenhum ISMO apresenta. Ou exibe.

NÃO PERCA AMANHÃ:
Boni, o poderoso senhor da TELEVISÃO,
diz que a TELEVISÃO não tem jornalismo investigativo,
é tudo igual. E mais grave: diz que a TELEVISÃO ESCONDE
fatos.
Ninguém responde nada, os entrevistadores s-i-l-e-n-c-i-a-m

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *