Filha de Che Guevara é pé quente. Desfile em Florianópolis foi vencido pela escola cujo enredo era uma espécie de “Samba do Crioulo Doido” sobre a revolução de Cuba.

Carlos Newton

Como dizia o Barão de Itararé, era só o que faltava. Com um enredo ridículo, que era uma versão castrista do “Samba do Crioulo Doido” (composição satírica de Sérgio Porto), a escola de samba Unidos da Ilha da Magia saiu vencedora do desfile em Florianópolis, realizado domingo de madrugada.

Os temas das fantasias eram hilários, incluindo a “rumba” e a “nacionalização das empresas estrangeiras”. Já o samba-enredo misturava alegria e Carnaval com o sistema de saúde cubano. Outro trecho falava do “preço” da revolução (“Um preço a pagar, não vou negar, mas a comunidade em primeiro lugar”). Segundo o presidente da escola Vamir Braz de Souza, era uma referência às mortes na derrubada do regime de Fulgencio Batista. “Toda revolução tem um preço. Queríamos que o enredo fosse discutido, e mostrar que lá existe saúde e educação para todos.”

O grande destaque foi a médica cubana Aleida Guevara, uma gordinha alourada de 50 anos, filha do revolucionário Che Guevara (1928-1967), que desfilou fantasiada de uniforme militar, sobre um carro alegórico em formato de tanque de guerra.

Cerca de 2.500 componentes desfilaram pela agremiação, que teve três carros alegóricos e tripés com figuras como o herói da independência cubana José Martí (1853-1895) e os irmãos Fidel e Raul Castro. E uma grande ala se apresentou com fantasias de “Tio Sam”, nas cores da bandeira dos Estados Unidos.

O presidente da escola, Vamir Bráz de Souza, diz que não foi só a revolução de 1959 a homenageada, mas o próprio povo de Cuba, que há mais de 50 anos é governado pela ditadura dos irmãos Fidel e Raúl Castro. Souza garante que o desfile não teve conotação ideológica. “Mas era impossível falar de Cuba sem falar da revolução e seus ganhos”, afirma.

O blog Coturno Noturno não gostou nada da premiação. E culpou o Secretário Municipal de Turismo, Márcio de Souza, acusando-o de ter favorecido a escola. “É petista. O primeiro petista a comandar o carnaval na capital catarinense. O resultado não poderia ser diferente. A União da Ilha da Magia, cantando e sambando a revolução assassina de Fidel Castro, foi a campeã do carnaval. Azar das escolas tradicionais dos morros da cidade. Azar do povão que ralou o ano inteiro para sair com a sua comunidade. Coloninha. Morro da Caixa. Caieira. Mocotó. Lastimável. Ganhou a burguesia da Lagoa da Conceição, um dos bairros mais chiques da capital catarinense.  A nova burguesia socialista, composta por 2.500 idiotas, imbecis e deslumbrados, que balançaram o rabo homenageando um regime assassino. Que vergonha!”, destacou o blog Coturno Noturno, que decididamente não gosta nem do PT nem da revolução cubana.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *