Filha de Prestes critica PT e não acredita em golpe militar

Anita diz que Prestes nunca se iludiu com Lula

Paulo Veras
Blog de Jamildo

Noventa anos depois do levante que levou ao início da Coluna Prestes, a historiadora Anita Leocádia Prestes, 78 anos, filha do político e guerrilheiro Luis Carlos Prestes com a comunista Olga Benário, critica a política econômica do PT, diz que o Bolsa Família acalma as massas populares e reclama que a esquerda brasileira não é capaz de representar as insatisfações existentes no País.

“Acho que a esquerda no Brasil está muito mal, falando francamente. E não consegue liderar esse movimento de insatisfação que existe no País, que ficou bastante patente com as manifestações de junho do ano passado”, afirmou Anita, no Recife, após uma palestra no Colégio Apoio. Ela se desfiliou do PCB em 1979 e desde então não entrou em nenhum partido.

ILUSÃO COM PT

“Houve muita ilusão com o PT. Diga-se de passagem o Prestes nunca teve essa ilusão nem no Lula, nem no PT”, lembra a filha do homem que ficou conhecido como o cavaleiro da esperança. “Lula concorreu três vezes à Presidência da República e foi derrotado. Na quarta ele entendeu que para ser vitorioso e conseguir se eleger precisava fazer concessões ao grande capital internacionalizado”, explica.

“A política econômica que foi aplicada nesses governos do Lula, e depois da Dilma, agora nesse último quadriênio é uma continuação da política neoliberal”, critica Anita Prestes, que lembra que o ex-presidente nomeou Henrique Meirelles para comandar o Banco Central após uma viagem aos Estados Unidos.

“E ao mesmo tempo fazer política compensatória que acalme as massas populares e não permitam revoltas e maiores lutas. Então aí vem Bolsa Família e todas essas medidas que são tomadas que acabam sendo positivas, porque é melhor do que nada. Mas de qualquer maneira, acaba sendo uma migalha diante dos grandes lucros dos banqueiros, dos empresários e dos capitalistas das multinacionais”, diz.

ANISTIA E HISTÓRIA

Questionada sobre as manifestações que pedem a volta do Regime Militar no País, a historiadora marxista acredita ser um grupo inexpressivo. “É uma parte bastante restrita, bastante pequena pelo que eu tenho visto; amplamente minoritária”, avalia.

Anita, que teve deixar o Brasil como exilada, ao lado do pai, após o golpe militar de 1964, defende a revisão da Lei da Anistia. “A Comissão da Verdade faz um trabalho de resgate histórico, mas não tem punição”, afirma. (reportagem enviada por Sergio Caldieri)

6 thoughts on “Filha de Prestes critica PT e não acredita em golpe militar

  1. O muro de Berlim, já caiu !!!! Não existe mais!!! Comunismo ou socialismo, é tudo odiento, não serve para enriquecer nenhum País, a não ser , cultivar e fabricar miséria. Se alguém duvida, me mostre algum país comunista, rico e com bem estar social. Esta senhora também está equivocada com sua ideologia

  2. Do alto dos seus 78 anos, a senhora Anita Leocádia, como historiadora, parece que só leu e se lembra do manual do seu pai, tal qual a comissão da meia verdade. esquecida que ainda têm voz porque aconteceu uma Lei da Anistia, absolvendo os dois lados da guerra suja, com as lambanças praticadas pelos dois lados.

    Vai que não houvesse a lei, aprovada por representantes dos dois lados e por todos os brasileiros, poderia acontecer de muitos exilados, além de serem proibidos de voltarem ao país, também teriam excluídos direitos; outros, foragidos por crimes de corrupção, que botando o pé no Brasil, iriam direto para a cadeia, e até mesmo os rotulados subversivos, que foram perdoados, e recuperaram seu direito político, e aí estão, esculhambando o país de novo. Não aprenderam. E, pior, é uma caricatura de uma Ditadura.

    A Lei da Anistia colocou todos no mesmo plano, sem revanchismo, o que o PT vermelho não aceita, de olho no futuro, vislumbrando, quem sabe, o Foro de São Paulo, criando uma república bolivariana.
    .
    Quanto a relação Crime e Castigo, aventado pela senhora Anita, não é demais lembrar que pau que dá em Francisco, também pode sobrar para o Chico.

  3. Pelo menos, ela tem uma história marcante de luta, dignidade, sofrimento e sobrevivência, ao contrário da de muitos medíocres e maus caracteres aqui. Nasceu em 1936 num campo de concentração nazista por culpa do Estado Brasileiro. Só foi salva graças ao clamor internacional capitaneado pelo estadista mexicano Lázaro Cardenas. E só recebeu do Estado Brasileiro 100 mil REAIS de indenização em 2004, bem menos que o mesmo Estado Brasileiro paga em menos de um ano, por exemplo, a um reles torturador de preso político da laia do Brilhante Ustra. E doou ao Instituto Nacional do Câncer os 100 mil recebidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *