Filho de Lula enfim depõe e alega que prestou “os serviços contratados”

Filho de Lula exibiu sua “experiência profissional”

Andreza Mataius, Fábio Fabrini e Julia Affonso
Estadão

O empresário Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, declarou nesta quarta-feira,  dia 4, à Polícia Federal que por meio de sua empresa LFT prestou serviços à Marcondes e Mautoni nos anos de 2014 e 2015 e, por isso, recebeu ‘os valores que foram contratados’.

A Marcondes e Mautoni está sob suspeita de compra de Medidas Provisórias para favorecer o setor automotivo. Segundo a investigação, Luís Cláudio teria recebido R$ 2,4 milhões da Marcondes e Mautoni.

As informações sobre o depoimento do filho de Lula foram divulgadas por sua defesa. Luís Cláudio é alvo da Operação Zelotes. A PF fez buscas na sede de suas empresas em São Paulo, por ordem da juíza Célia Regina Ody Bernardes, da 10.ª Vara Criminal Federal em Brasília.

INTIMAÇÃO

Na semana passada, a PF intimou o filho de Lula para depor no inquérito. O depoimento ocorreria na PF em São Paulo, mas nesta quarta, Luís Cláudio foi a Brasília e prestou esclarecimentos diretamente ao delegado de Polícia Federal Marlon Cajado, que preside o Inquérito Policial nº 1424/15-4/DPF/DF.

Segundo o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o empresário, Luis Cláudio reafirmou ao delegado da PF ‘seu know how na área esportiva, fruto da passagem por quatro clubes de futebol do Estado de São Paulo (São Paulo, Palmeiras, Santos e Corinthians)’. Ele esclareceu à PF detalhes da ‘prestação de serviços de marketing esportivo ao Corinthians e, ainda, por ser há 4 anos o organizador de um campeonato nacional de futebol americano’

11 thoughts on “Filho de Lula enfim depõe e alega que prestou “os serviços contratados”

  1. Segundo o MPF a empresa do lulinha II “não tem funcionários, não fez pagamento de salários ou recolheu contribuição previdenciária de empregados.”
    Portanto, este trabalho foi produzido por ele, pelos sócios ou terceirizado já que a empresa não possui funcionários. Para se ter uma remuneração de 2,4 milhões deve ter sido documentado de alguma forma. A história apenas oral faz parte da cultura Inca e não da civilização ocidental burocrática. Todo trabalho tem documentos escritos, impressos, fotográficos, gráficos e/ou digitais. Basta lulinha II apresentá-los e uma comissão de especialistas da área comprovará que o valor recebido é compatível com os preços de mercado para os serviços prestados.
    Simples assim. Porém no Reino dos Silva o procedimento é trocar a juíza.

  2. Deve ter recebido – assim como o patriarca da família PIXULECO DA SILVA – por palestras proferidas.

    Como se diz em Portugal, “quem puxa aos seus não degenera”.

    DNA é DNA.

    • Mesmo palestras tem registros materiais: lista de inscritos, aluguel do local, sistema de som, gravação ou filmagem, resumo do tema, serviço de coffee-break, recepção, segurança, etc. Tudo isso tem algum tipo de documento CONCRETO e logicamente nota fiscal dos pagamentos.
      Simples assim. Só não apura a veracidade se não quiser.

  3. O cara é um sucesso. Filho de peixe peixinho é. Por que a dilamanta não coloca este cara no lugar do Levy. Todos os problemas de arrecadação seriam resolvidos rapidamente e o governo teria um superaviti de trilhões de reais.

  4. E conseguiram blindar também o Bené…
    ” Causa espanto até entre os aliados do governo Dilma na CPI do BNDES o devotado esforço do deputado Carlos Zaratini (PT-SP) para evitar a convocação do empresário do ramo gráfico Benedito Rodrigues de Oliveira, o “Bené”. Ele é um dos principais alvos da Operação Acrônimo, da Polícia Federal, e tem conhecidas relações com o PT e fez muitos amigos entre deputados do chamado “baixo clero”.

    Na saída de uma das sessões da CPI, o petista Zaratini foi ouvido comemorando com um amigo: “Viu? Conseguimos tirar o Bené!”.

    Empresas de Bené faturaram no governo federal, de 2005 (governo Lula) a 2014 (governo Dilma) mais de R$ 525 milhões.

    Bené saiu das sombras ao ser revelado que ele pagava o aluguel do comitê da primeira campanha presidencial de Dilma, em 2010.

  5. O supersônico voo do nosso dinheiro…
    O Brasil poderá pagar sobrepreço de US$ 10 milhões na compra de cada um dos 36 aviões de combate Gripen. É exatamente a diferença da oferta que o fabricante sueco Saab fez ao governo da Suíça pelos aviões modelo Gripen NG (New Generation). No contrato total de US$ 5,4 bilhões, equivalentes R$ 14 bilhões, o sobrepreço poderá somar US$ 360 milhões, que representam hoje R$ 1 bilhão e 367 milhões.

    País sério, a Suíça submeteu a compra dos caças Gripen a plebiscito, em 2014. O povo rejeitou a compra, por considerá-la desnecessária.

    Especialistas que participaram dos debates, na Suíça, chegaram a comparar os caças Gripen, por assim dizer, a um fusca com asas.

    Para sacramentar a compra dos aviões, a presidente Dilma esteve na Suécia, em outubro, onde, claro, foi recebida com tapete vermelho.

    Os suecos tiveram ajuda de gente como o lobista Alexandre Paes dos Santos, preso na Operação Zelotes, e a ex-ministra Erenice Guerra.

  6. LI no site Radar On-Line da veja dia /03/11/2015:

    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/judiciario/ayres-britto-moro-nao-e-ponto-fora-da-curva/

    No qual Ayres de Brito talvez por inveja, disse que o juiz Sérgio Moro não é um ponto fora da curva. No meu ponto de vista Sérgio Moro e o ministério público que esta dando suporte a Operação Lava Jato são pontos fora da cura. São pontos fora da curva sim e esta bem acima da curva, com uma atuação positiva.

    Agora, com a substituição da juíza que convocou o filho do Molusco e colocou um juiz (Vallisney Souza) que já inocentou a Erenice Guerra por flata de provas. A ministra Luciana Lóssio que paralisou uma ação no TSE contra a dilamanta e outros mais (Toffoli, Teori, Lewandowski), são exemplos de uma justiça fajuta e tendenciosa e com viés negativo.

    Quem tinha alguma esperança nas CPIs com as decisões tomadas até agora para proteger o Molusco e seus asseclas, vemos que os brasileiros honestos estão totalmente abandonados.

  7. Do ex-presidente do Supremo Ayres Britto ao falar do juiz Sérgio Moro: “Não vejo Moro como um ponto fora da curva. O que está acontecendo é um amadurecimento das instituições da própria democracia”.

    Ora, a aposentadoria do Sr. Ayres, chegou no momento certo.

    AMADURECIMENTO DAS INSTITUIÇÕES SEM PESSOAS AS PROVOCAREM? O ministro esqueceu ou não sabe: são as pessoas que fazem tudo funcionar. As leis e normas, por si próprias, não agem sozinhas. São OS SERES HUMANOS que praticam os atos, que provocam os encaminhamentos, que deliberam, tomam decisões e as encaminham para cumprimento.

    Se fossem só as instituições, não precisaríamos de juízes!

    Não existem estatutos perfeitos e que funcionam sozinhos, por si. Homens e mulheres, do bem ou do mal, são aqueles/aquelas que os fazem funcionar.

    Sérgio Moro é sim, um juiz “fora da casinha”, daquela casinha que muitos outros uam como esconderijo, como ganha pão, somente.

    Pena que pessoas com o conhecimento e vida pública como do ex-juiz, não consiga entender seu papel na sociedade.

    Se tivesse ficado calado, ganharíamos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *