Filhos de Edison Lobão são alvos de operação da PF em investigação de lavagem de propina em obras de arte

PF cumpre mandados envolvendo ao menos cem obras de arte

Katna Baran
Folha

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira, dia 12, a 79ª fase da operação Lava Jato, com o cumprimento de onze mandados de busca e apreensão. Dois filhos do ex-ministro e ex-senador Edison Lobão estão entre os alvos da investigação, que apura pagamentos de propina na Transpetro e lavagem de dinheiro por meio da negociação de imóveis e obras de arte.

Segundo a PF, a previsão é de apreensão de ao menos cem obras de artes que seriam usadas para lavar o dinheiro fruto da corrupção na subsidiária da Petrobras. A intenção é de que as obras sejam periciadas e sirvam para eventual reparação dos crimes investigados.

MANDATOS – A operação é um desdobramento da 65ª fase da Lava Jato, de setembro de 2019, quando Márcio, um dos filhos de Lobão, chegou a ser preso. Os mandatos estão sendo cumpridos em Brasília (DF), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Angra dos Reis (RJ) e São Luis (MA). Na casa de um dos investigados, a polícia encontrou um helicóptero na garagem.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), as investigações apontam que, entre 2008 e 2014, Marcio e o irmão, Edison, receberam propinas de empresas que firmaram contratos com a Transpetro. De acordo com a apuração, o grupo recebeu ao menos R$ 12 milhões.

“POR FORA” – Os valores, segundo o MPF, eram muitas vezes pagos em espécie e sua origem era dissimulada com a aquisição de obras de arte de alto valor. Parte do pagamento era feita “por fora” e tanto o comprador quanto o vendedor emitiam notas fiscais e recibos, mas declaravam à Receita Federal valores menores do que os efetivamente pagos.

Segundo o MPF, em alguns casos, há diferença de mais de 500% entre os valores declarados e os pagos. Há suspeita de envolvimento de galerias de arte nas transações —uma delas é um dos alvos da operação. De acordo com os procuradores, a forma de lavagem de dinheiro foi confirmada por galeristas que procuraram espontaneamente o órgão durante as investigações.

OBRAS DE ARTE – Na 65ª fase da Lava Jato, a PF encontrou na casa de um dos investigados obras de arte com diferenças de até 1.300% entre o valor declarado e o praticado pelo mercado. O dinheiro também seria lavado por meio de transações imobiliárias. Uma das operações suspeitas envolve a compra de um apartamento de alto padrão por R$ 1 milhão em 2007, valor pago em espécie por intermédio de uma empresa dos investigados.

Menos de dois anos depois, o imóvel foi vendido por R$ 3 milhões. A valorização não corresponde às condições do mercado na época, segundo o MPF. Procurada pela Folha, a defesa de Márcio e Edison afirmou que ainda não teve acesso aos autos, “o que torna impossível alguma manifestação no momento”.

6 thoughts on “Filhos de Edison Lobão são alvos de operação da PF em investigação de lavagem de propina em obras de arte

  1. É muito ladrão !!!
    Ninguém dá conta e nem aguenta mais esta situação nojenta!
    Revoltante !!!
    E o povo catando lata !
    Uma hora vai dar merda !
    Podem escrever…
    Amém !

  2. Marcio, um dos filhos de Edison Lobão, é casado com uma filha do famoso advogado Sérgio Fadel, já falecido.

    Mora com a sua esposa no mesmo prédio de alto luxo onde seu sogro morava, o primeiro de frente à praia do Leme, com varandas enormes, junto a uma praça e a um forte militar do exército.

    Sérgio Fadel possuía vários apartamentos nesse prédio, e um deles abrigava parte de sua imensa coleção de obras de arte. Pois ele era considerado o maior colecionador privado de obras de arte do Brasil.

    Quando era presidente, Dilma Rousseff esteve por duas vezes nesse apartamento visitando tal coleção, o que mobilizou um forte esquema de segurança.

    Certamente é uma família que empata MUITO dinheiro (sujo?) em quadros de altíssimo valor…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *