Fim do boicote dos EUA pega cubanos de surpresa

Deu em O Globo

Os cubanos foram pegos de surpresa. Nem mesmo alguns dos ativistas mais conhecidos da ilha esperavam pelo passo histórico dado ontem pelos governos de Cuba e Estados Unidos, que anunciaram a reabertura de relações diplomáticas após 53 anos de rompimento. Para a maioria — mesmo os opositores ao regime castrista — as mudanças serão importantes para a população como um todo, não só porque são um primeiro passo para reformas internas significativas, mas porque podem atrair os holofotes para os verdadeiros problemas do país.

— É um passo que vai reiterar um clima melhor para os dois povos, especialmente porque nos permitirá focar em nossos problemas mais urgentes, como a falta de democracia em Cuba, ou seja, na relação entre o governo cubano e seus próprios cidadãos — afirma ao Globo o ativista e professor Dagoberto Valdés, perseguido pelo regime por fazer críticas na revista “Convivencia”. — Agora esperamos um diálogo similar entre o governo e a sociedade civil.

Pelo Twitter, a blogueira e jornalista Yoani Sánchez passou o dia comentando o anúncio. E questionou a ausência de um posicionamento por parte do líder Fidel Castro. Para ela, mesmo que seu irmão Raúl diga o contrário, o anúncio “tem um sabor amargo de capitulação”.

“Uma era termina e espero que esta nova que começa seja do protagonismo da sociedade civil”, escreveu. “Quero ver em quem colocarão a culpa agora sobre o colapso econômico e a falta de liberdades que vivemos em Cuba”.

São os mesmos questionamentos feitos por Valdés. Ele, que espera que o fim do embargo seja o próximo passo a ser tomado pelos EUA, criticou também a falta de investimentos do governo internamente:

— Falta resolver os problemas que vivemos diariamente, a crise econômica, a falta de liberdade civil política. Espero e desejo que o embargo se resolva em pouco tempo, mas o verdadeiro problema não é este. O verdadeiro bloqueio é o que o governo cubano impõe à iniciativa de seus próprios cidadãos. Deve haver uma lei de liberdade empresarial, de investimentos não só para estrangeiros, mas também para os cubanos, um verdadeiro respeito à propriedade privada.

CONFLITO DE GERAÇÕES

Na comunidade cubana exilada na Flórida, conhecida pelo conservadorismo e pela ojeriza ao castrismo, a notícia dividiu opiniões. Se por um lado, muitos dissidentes ainda defendem cegamente a queda do regime e são contra qualquer passo capaz de favorecê-lo, por outro, despontam novas gerações de cubano-americanos contentes com esse primeiro passo, avalia a socióloga Marifeli Pérez-Stable, da Universidade Internacional da Flórida.

— É claro que essa questão envolve emoções, muitos imigrantes mais antigos vão ficar irritados. Desde 2009, quando Obama flexibilizou as visitas e liberou as remessas de dinheiro a Cuba, essa geração mais antiga o chama de traidor, o acusa de adotar medidas que ajudam o regime a sobreviver. Mas essas vozes não são mais tão fortes. A opinião dos cubano-americanos está mudando. Existe também o entendimento de que esse é o primeiro passo de um processo lento e difícil e de que talvez seja possível trabalhar pela instauração de uma democracia sem a necessidade de derrubar o governo — diz ela.

Segundo Marifeli, uma boa primeira medida para ajudar a restaurar a confiança no governo de Havana é fazer com que a Assembleia Nacional do Poder Popular, o Congresso cubano, aprove acordos internacionais na área de respeito aos direitos humanos — muitos dos quais já foram ratificados pelo Gabinete.

LIBERDADE E DEMOCRACIA

— Este é um foco importante, fazer com que Cuba se comporte como todos os países democráticos. Outro ponto é cobrar aquilo que o presidente Obama já expressou publicamente: seu desejo de ver representantes da sociedade civil cubana participando ativamente da Cúpula das Américas no Panamá, no ano que vem. Seria uma prova de comprometimento de Raúl Castro com a liberdade e a democracia — sugere a professora.

Para Orlando Gutiérrez-Boronat, secretário-geral do Diretório Democrático Cubano, no entanto, sobram críticas à barganha política e à libertação de cubanos presos.

“A decisão do governo Obama de soltar três espiões terroristas da ditadura castrista, em troca de pôr fim ao injusto sequestro do cidadão americano Alan Gross, é um grave erro”, disse em nota.

42 thoughts on “Fim do boicote dos EUA pega cubanos de surpresa

  1. Tem uma frase do Che Guevara que eu gosto muito: “Não me esperem para a colheita, estarei sempre semeando”. Ele era Ministro da Agricultura… No Além, hoje é um Espírito de Luz… deve estar comemorando… um passo histórico semelhante à Queda do Muro de Berlin…

  2. Cuba, o maior PARQUE TEMÁTICO DA MISÉRIA HUMANA
    está com dias contados. Quem conheceu, conheceu. Quem
    ainda não conheceu procure a COPA AIR e vá.

    PS.:
    1-Estive duas vezes em Cuba, o maior PARQUE TEMÁTICO DA MISÉRIA HUMANA.
    2- A CUBANA DE AVIACION não é confiável.

    • Dorothy,
      Parabéns pela magnífica frase que expressa com exatidão espantosa como definir Cuba e seu povo:
      “Cuba, o maior PARQUE TEMÁTICO DA MISÉRIA HUMANA” …
      Para os mais afoitos, eles poderão retrucar que a população tem o que comer e onde morar, entretanto, a miséria humana é quando lhe roubam a liberdade, direito sagrado do cidadão.
      Um abraço, Dorothy.

      • Caríssimo Bendl,

        Estive na ilha prisão duas vezes. 2005 e 2012.
        Cruzei o país, conversei muito com diversas pessoas
        e vi de perto a situação em que vivem. Tem muita miséria
        em cada cidade. Tentam amenizar o sofrimento com muito
        rum, música e charutos, principalmente, mas nota-se a tristeza
        estampada em cada rosto. O sonho de liberdade do povo cubano
        foi transformado em pesadelo pela mente doentia dos irmão Castro.

        abraço fraterno

        PS.:
        Os que querem conhecer um pouco de Cuba,
        da revolução e de Fidel Castro leiam:
        O HOMEM QUE INVENTOU FIDEL
        Cuba, Fidel e Herbert L. Matthews do New York Times.
        O jornalista Anthony DePalma conta como o repórter Herbert L. Matthews do New York Times foi seduzido ideologicamente por Fidel e passou a advogar sua causa e a da Revolução Cubana junto à opinião pública americana, numa atitude que destruiu sua carreira à medida que se radicalizaram as relações entre Washington, Havana e Moscou.

        • Dorothy,
          Pois é esta a questão:
          Alguém comentar sobre a ilha caribenha com propriedade, por ter ido ao local, ter constatado a vida que os cubanos têm, suas angústias, dissabores, frustrações, alegrias, prazeres …
          Almério Nunes, meu caro amigo, também visitou a ilha, portanto vocês podem comentar sobre o que encontraram, e desfazer os males que atribuem aos americanos pelo embargo econômico, mas fruto de uma ditadura que perdura há mais de meio século, cruel, assassina, déspota e insana.
          Não sou favorável pelo que o Tio Sam fez para Cuba, pois sacrificou o povo injustamente, porém, se Fidel fosse mesmo um nacionalista, aboliria a ditadura, restituiria a democracia, que o seu belo país teria de volta as condições para comercializar com as demais nações em pé de igualdade, incentivar o turismo e sofisticar a indústria de charutos, a melhor do planeta, segundo especialistas.
          Mas, El Comandante, se acha dono da população e de Cuba, portanto …
          A iniciativa de Obama é válida. Certamente tentando corrigir o passado, amenizando agora o sofrimento de um povo tolhido no que tem de bem mais precioso: a liberdade.
          Tomara que dê certo.
          O mundo necessita que as barreiras ainda existentes – e são muitas, lamentavelmente – sejam abolidas, derrubadas e, em seus lugares, que se dê ênfase à tolerância, à compreensão, à democracia, à liberdade de expressão, ao direito inalienável de ir e vir.
          Belíssima escolha fizeste quando foste para Cuba.
          Finalizo, almejando que esta aproximação entre os Estados Unidos e a ilha paradisíaca também seja motivo para que a prisão de Guantânamo seja posta abaixo!
          Não é crível este tipo de tortura física e psicológica, e com presos sem direito a julgamentos, visitas, simplesmente à mercê das autoridades americanas.
          Obama tem ainda tempo de restituir um pouco da história de seu país, maculada pelo imperialismo da década de sessenta, quando pretendeu manipular os cordéis da humanidade em seu favor.
          Ainda bem que perderam a Guerra do Vietnã, e da forma mais humilhante possível, à base de taquaraço!
          A derrota sofrida aplacou os ânimos de conquista do Tio Sam, obrigando-o por um bom tempo lamber as feridas ocasionadas pelo Sudeste Asiático.
          Torço que Fidel tenha um momento de lucidez, de caridade, um lampejo de consideração, e devolva Cuba para os cubanos, a partir deste reatamento com os americanos.
          Um abraço, minha querida Dorothy.

  3. Que beleza.
    Agora o lobão já pode pegar uma coisinhas á mais na fila do Mercadinho Ex- Comunista, como 4 asinhas de frango, 4 coxas de frango, e um pezinho de galinha., e um squinho de farofa daYOKI.
    Por enquanto,
    Tem deesperar mais um pouquinho para pegar o”miolo da picanha”….

  4. É interessante observar que Che era médico, o que pressupõe deveria lutar para salvar vidas, no entanto executou a sangue frio milhares de prisioneiros. E ele descreveu com detalhes, com orgulho de um conhecedor da anatomia humana, médico que era, como acertava com um tiro a área exata da nuca do prisioneiro.
    Fidel, advogado, que deveria praticar aquilo que aprendeu para esta profissão, ou seja, procurar ser justo, dando direito de defesa a qualquer acusado preso, preferiu linchá-los do “bom” e velho jeito comunista de fazer “justiça”.
    Se Che e Fidel fossem militares, que são treinados para matar, não teriam assassinados tantos. Se somados os mortos pelos militares do cone-sul não dá metade dos mortos da dupla Fidel e Che.
    Isto são fatos.

  5. Trabalhei no Oriente Médio por um bom tempo. O governo mais tirano que havia entre os árabes era o saudita.
    Seria até interessante que se começasse a expor ao mundo o que são os direitos humanos lá.
    Ou romper relações diplomáticas.

    “Oil, stupid !” ou “Yeah, they’re SOB but they are OUR SOB”.

  6. Pois é. Quero ver agora os Castros dizerem que o atrazo da ilha é culpa dos americanos. Talvez seja por não terem ajudado na implantação do cominismo em Cuba, vai saber.
    P.S. Perguntar não ofende: será que agora a Coca-Cola vai rolar solta em Cuba?

    • Por toda Cuba existem lojas de conveniência repletas de produtos americanos (Coca-Cola inclusive), europeus, japoneses, brasileiros, etc. Tudo vendido em CUC, EURO e DOLAR.
      Só a que a população miserável não tem acesso.

  7. A Venezuela está com a economia apodrecida e entra 2015 numa crise sem fim. A Rússia vai ter que amargar uma recessão em 2015 que já começou.
    Os Castro, que não são tontos, viram a geopolítica mundial e se agarraram na tábua-Obama de salvação pata tentar manter o governo sob controle. Em casa onde falta pão….
    Se pudessem manteriam a posição de país líder bolivariano das Américas (o ídolo de Fidel era Bolívar e não Marx, está na história). Porém era pegar ou pegar a bóia americana.
    Correm o risco de ver crescer o movimento contra eles na ilha, pois agora vão ter muita gente observando a dolce vida cubana. Além disso vai começar a entrar mais dinheiro via Miami e uma nova classe média vai aparecer, patrocinada pelos parentes ianques.
    Mas não tinham escolha. É o canto do cisne.
    O risco é os haitianos correrem para lá…

  8. Um monte de bobagens, “os cubanos foram pegos de surpresa”, devem deportar o espiao americano sem saber que estão fazendo isso, e exigiram a libertação dos cubanos presos nos EUA sem saber que estavam exigindo isso. Essa midia nossa de cada dia só não é mais hilaria por falta de picadeiro.

  9. O início do fim de Cuba.
    Após seis décadas será preciso muita grana, muita tecnologia, muito investimento externo. E é claro, lucro também. afinal, doações de recursos só os dos brasileiros.
    Tomara Cuba possa reiniciar sem maiores sacrifícios do que os que lhe impuseram interna e externamente.
    Quando ao CHE, existem personagem que a fama ultrapassa o real. Ele é um desses.
    Os petistas adoram-no. Será preciso, como no caso da CNV nossa, criar uma dele.
    Os comunistas vendendo sonhos eram a esperança de muitos povos.
    Meio século depois ai estão os resultados.
    E tem gente que continua cantando hinos e louvando aqueles que mandaram matar milhões de seres humanos. Para os crentes, foram mortes necessárias, de pessoas que combatiam a divisão da esperança.
    Se julgados por tribunais internacionais, seriam condenados como tantos outros criminosos, assassinos e aproveitadores da miséria física e mental de alguns povos.

  10. Nas condições em que está se fazendo a normalização Diplomática entre Cuba e EUA, após 53 anos de rompimento e Guerra Fria, pode-se considerar uma grande vitória de Cuba. A pequena Nação Caribenha composta principalmente de Latinos e Negros, resistiu há mais de meio século ao orgulhoso Império Anglo-Saxônico EUA, e saiu vencedora.

    • Meu querido mestre Bortolotto,
      Respeitosamente questiono esta vitória de Cuba sobre o “orgulhoso Império Anglo-Saxônico EUA”, como escreveste.
      A meu ver, foi uma vitória “pírrica”, onde os danos foram maiores que a conquista.
      Um ditador há 55 anos no poder;
      Milhares de mortos perseguidos pelo regime comunista de Fidel;
      Centenas que morreram afogados em fugas desesperadas da ilha caribenha;
      Um povo que tem cerceada a sua liberdade por meio século;
      Privado de conforto, direito de ir e vir, alimentos limitados;
      Sem acesso aos meios de comunicação;
      Sem poder de aquisição;
      Com medo da espionagem do governo e prisão sumária, quem sabe até morto.
      Então, eu não usaria esta palavra, “vitória”, mas sacrifício!
      Vitória será com Fidel deixando o poder junto com seu irmão, e restituindo a democracia, a livre escolha, a liberdade de expressão, o direito à vida pessoal, familiar e profissional.
      Perdão pela minha insolência, Bortolotto, mas é o meu pensamento a respeito do sofrimento deste povo insular, ocasionado pelo déspota Fidel, que se imagina dono do país e de ter direitos sobre a existência da população, controlando-a com mão de ferro, amedrontamentos, ameaças, perseguições e prisões.
      Um abraço, meu caro amigo.

  11. Cuba e Coréia do Norte representam hoje o que restou do comunismo. Entre os escombros da ideologia nefanda, responsável pelo extermínio de cem milhões de seres humanos mortos no século XX, restou estes dois países símbolos do ideário socialista-comunista.
    Cuba representa o estado-policial onde a família Castro se apossou do poder, submetendo a todos a toda sorte de privações materiais e espirituais, ao mesmo tempo que lotearam o poder, transmitindo o comando político de irmão para irmão, na forma de uma capitania hereditária.
    Cerca de 17 mil cubanos foram mortos pela repressão comunista. Milhares de pessoas, aproximadamente 20% da população fugiu do país, se lançando ao mar em pequenas embarcações, tentando escapar das perseguições perpetradas por Fidel Castro, em nome do socialismo. Aqueles que ficaram em Cuba enfrentaram privações materiais, salários irrisórios, privação das liberdades (liberdade de expressão, liberdade de ir e vir, controle da vida privada, liberdade econômica).
    Cuba é o maior símbolo do ideal socialista preconizado por K.Marx, onde a “vanguarda socialista” toma de assalto o “estado burguês”, implanta a “ditadura do proletariado”, avança as ideias socialistas pavimentando o caminho para o comunismo.
    O fracasso de Cuba representa exatamente o fracasso do socialismo, pois em Cuba ou em qualquer outra parte nunca foi possível cercear as liberdades, sem que houvesse completo aniquilamento das forças econômicas. Em parte alguma a engenharia social produzida por socialistas produziu cidadãos empreendedores, criativos, pelo contrário, o socialismo só consegui produzir miséria, dor.
    O fracasso econômico e moral de Cuba deve servir como exemplo para a Humanidade, no sentido de se precaver e buscar erradicar a praga do socialismo.

  12. O mercado é da natureza humana. Nasceu do óbvio quando o homem começou a armazenar alimentos. Assim trocava o que tinha com o que não tinha com seus semelhantes.

    Mas, criadas ideologias e ou religiões , suas falsas-moral criminalizou nossa natureza de milhões anos e o mercado não poderia ficar de fora.

    E não é que até hoje uma dessas ideologias nefastas ainda perdura condenando o mercado?
    E foi exatamente isso, sua proibição que fez com que falissem a URSS e seus satélites, Cuba e Coreia do Norte.

    O caso cubano nada tem a ver com boicote e sim com o delírio nefasto de seu tirano proibindo a livre iniciativa, sua produção e seu mercado.

    Todo governante que fracassa , principalmente ditadores sempre dão a boa e velha desculpa do “inimigo externo”quando aparecem os resultados nefastos de suas ações e o “boicote” a Cuba ainda funciona para isso. Até hoje, pasme.

  13. Meus Queridos Capitalistas (escrevo com todo respeito)… convido-os (pago a passagem de ônibus quentão ou trem) para visitarmos as instâncias Neoliberais Capitalistas da Baixada Fluminense e vcs vão presenciar miséria braba, casebres de madeira, barracos de palafita à beira de rios ultrapoluídos, frutos de esgotos a céu aberto, valões etc. De fato, o Brasil Ocidental escapou do Comunismo, temos a Sexta (cesta?) Economia do Mundo Livre (eita progresso para uns poucos afortunados ! ) a Política Democrática (e os Políticos Probos) vai (vão) de vento em popa surfando nos mares nunca dantes navegados da Liberdade sem a Ideologia Socialista. Ora meus amados (em Cristo) respeito suas posições mas aqui não é, nunca foi nenhum paraíso há 514 anos… e nem tão cedo será… as classes dominantes lindas e maravilhosas, aqui no Grande Rio, já prometem para 2015 o aumento das passagens nos transportes coletivos. Neste passeio escolheremos uma hora quando os onibois estão mais vazios e como quem convida paga, faço questão de pagar o lanche, nada chique… mas dá para o gasto… abraços de um sonhador/inocente útil e afins…

    • Parabéns Rocha por suas observações, mas o Brasil nunca foi um país capitalista.
      Com o estado sugando o cidadão e empresas com impostos altos e o excesso de leis em cia da iniciativa privada para colocá-la de joelhos diante da máquina administrativa a coisa aqui não funciona como nos EUA, um país capitalista de verdade.
      Só para se ter um pequeno exemplo disso é que as empresas aqui gastam 2600 horas/ano para cumprir suas obrigações tributárias, enquanto nos EUA, 170.

  14. A meu ver é “O INÍCIO DO RECOMEÇO” de Cuba. Será a retomada do desenvolvimento cubano pré 1959. Hoje, a ilha não passa de um PARQUE TEMÁTICO DA MISÉRIA. Após longuíssimos 55 anos os irmãos Castro, um, Raul, quase morto e outro, Fidel, quase sepultado, “jogaram a toalha”, pediram arrego. Talvez até para que tenham um sepultamento e que seus cadáveres não sejam oferecidos a cães famintos. Houve uma capitulação. No poder, os irmãos comunistas perseguiram, prenderam, mataram afogados em fugas desesperadas da ilha ou em paredões, cercearam a liberdade, privaram de conforto e tiraram o direito de ir e vir de milhões de cubanos. Tudo em nome do comunismo, uma ideologia fracassada e nefanda que exterminou milhões no mundo. Aos EUA não caberia outra alternativa senão aceitar pois no momento do último suspiro dos irmãos ditadores, com os americanos na ilha a transição será facilitada. Caso contrário teríamos dezenas de milhares de cubanos rumo a Florida em frágeis botes de fabricação caseira.

  15. Que sabe, em todo o lugar do mundo tem prostituição. Nem mais num país nem menos noutro. É a profissão mais antiga da planeta.
    Mas em Cuba agora ela está batendo o recorde.
    Por uns míseros dólares se encontram até crianças se oferecendo aos turistas.

  16. Meu prezado, o Brasil nunca foi capitalista e por isso nunca vai progredir. Vai sempre ficar nesse meio caminho entre os ricos e os pobres. O estado forte, colocando empresas e povo sob uma repressão de regulamentos e altos impostos, impede o país de deslanchar rumo ao progresso verdadeiro.

    Enfim, mesmo nesse meio caminho entre uns EUA, rico e Cuba, miserável, aqui ainda é bem melhor que a Ilha presídio.

  17. Prezado Sr. FRANCISCO BENDL, também meu Mestre.
    Tudo o que o senhor escreveu me contestando, é verdade. Apenas que minha opinião se dá a nível Geo-Político.
    Depois que os EUA compraram a Luiziânia a NAPOLEÃO BONAPARTE (grande General, péssimo Comerciante) em 1803, depois de conquistarem mais da metade do México via invasão consentida e no fim Guerra mesmo, depois de vencerem em Guerra o decadente Império Espanhol se apossando do espólio desse, ( Flórida, Philipinas no Pacífico, e Cuba que ficou subordinada via Emenda Platt, etc), depois que tomaram conta Politicamente de toda a América Central e do Sul, via Doutrina MONROE, só a Tirania dos CASTROS a partir de 1959 conseguiu se INDEPENDIZAR do “Orgulhoso Império Anglo-Saxão- USA”, e agora, a meu ver vitoriosa a TIRANIA DOS CASTROS , voltam a reatar RELAÇÔES DIPLOMÁTICAS, em respeito mútuo.

    • Mestre Bortolotto,
      Este teu energúmeno discípulo agora te compreendeu!
      Tirania por tirania, a dos Castro não só foi mais duradoura que a do Tio Sam, como saiu-se vitoriosa pela maneira exatamente igual de comandar os cubanos, subjugando-os cruelmente, explorando-os, prendendo-os, matando-os impiedosamente.
      Neste aspecto, Fidel venceu os Estados Unidos, admito, comprovando que o comunismo é mesmo muito mais sádico e violento que o capitalismo, e infinitamente mais insano nas relações com seres humanos quando esses questionam a forma autoritária de governar.
      Minha reverência à tua sabedoria, e agradecimento por entender que a minha limitada inteligência pleiteava por maiores esclarecimentos.
      Prometo me comportar futuramente, e não mais te interpelar de maneira tão ignorante e risível.
      Um abraço, professor.

      • Prezado Sr. FRANCISCO BENDL, também meu Mestre.
        A culpa não é sua, porque me expliquei mal. Por isso que os Judeus dizem que a Arte mais difícil ” É Escrever Bem”. Concordo. A Tirania dos CASTROS em Cuba foi a única que resistiu com exito ao Imperialismo Econômico dos EUA, e sobreviveu para contar a história. Agora estão fazendo as Pazes, em clima de Respeito Mútuo. Mas é um problema deles. A Nós Brasileiros cabe, abrir bem os olhos para ver como funciona o Mundo, e criar aqui uma Economia Autônoma, baseada principalmente na Empresa Privada com Matriz no Brasil, aquela que cria Tecnologia Nacional, que CAPITALIZA de verdade nossa Economia, dentro de um Regime Capitalista BEM REGULADO, porque de longe o mais eficiente, para gerar Muita RIQUEZA com JUSTIÇA SOCIAL e gozando da Preciosa LIBERDADE INDIVIDUAL. Só assim nos livraremos de 90% do efeito econômico deletério das Potências Imperialistas capitaneadas pelos EUA, e não corremos risco também de cair numa Tirania à La CASTRO, aqui. Abração.

  18. CUBA: ANTES E DEPOIS DA REVOLUÇÃO COMUNISTA
    O que foi que aconteceu?
    A primeira nação da América espanhola, incluindo a Espanha e Portugal, que utilizou máquinas e barcos a vapor foi Cuba foi em 1829.
    A primeira nação da América Latina e a terceira no mundo (atrás da Inglaterra e dos EUA), a ter uma ferrovia foi Cuba, em 1837.
    Foi um cubano que primeiro aplicou anestesia com éter na América Latina em 1847.
    A primeira demonstração, em âmbito mundial, de uma indústria movida a eletricidade foi em Havana, em 1877.
    Em 1881, foi um médico cubano, Carlos J. Finlay, que descobriu o agente transmissor da febre amarela e definiu sua prevenção e tratamento.
    O primeiro sistema elétrico de iluminação em toda a América Latina (incluindo Espanha) foi instalado em Cuba, em 1889.
    Entre 1825 e 1897, entre 60 e 75% de toda a renda bruta que a Espanha recebeu do exterior vieram de Cuba.
    Antes do final do Século XVIII Cuba aboliu as touradas por considerá-las “impopulares, sanguinárias e abusivas com os animais”.
    O primeiro bonde que circulou na América Latina foi em Havana em 1900.
    Também em 1900, antes de qualquer outro país na América Latina foi em Havana que chegou o primeiro automóvel.
    A primeira cidade do mundo a ter telefonia com ligação direta (sem necessidade de telefonista) foi em Havana, em 1906.
    Em 1907, estreou em Havana o primeiro aparelho de Raios-X em toda a América Latina.
    Em 19 maio de 1913 quem primeiro realizou um voo em toda a América Latina foram os cubanos Agustin Parla e Rosillo Domingo, entre Cuba e Key West, que durou uma hora e quarenta minutos.
    O primeiro país da América Latina a conceder o divórcio a casais em conflito foi Cuba, em 1918.
    O primeiro latino-americano a ganhar um campeonato mundial de xadrez foi o cubano José Raúl Capablanca, que, por sua vez, foi o primeiro campeão mundial de xadrez nascido em um país subdesenvolvido. Ele venceu todos os campeonatos mundiais de 1921-1927.
    Em 1922, Cuba foi o segundo país no mundo a abrir uma estação de rádio e o primeiro país do mundo a transmitir um concerto de música e apresentar uma notícia pelo rádio.
    A primeira locutora de rádio do mundo foi uma cubana: Esther Perea de la Torre. Em 1928, Cuba tinha 61 estações de rádio, 43 deles em Havana, ocupando o quarto lugar no mundo, perdendo apenas para os EUA, Canadá e União Soviética. Cuba foi a primeira no mundo em número de estações por população e área territorial.
    Em 1937, Cuba decretou pela primeira vez na América Latina, a jornada de trabalho de 8 horas, o salário mínimo e a autonomia universitária.
    Em 1940, Cuba foi o primeiro país da América Latina a ter um presidente da raça negra, eleita por sufrágio universal, por maioria absoluta, quando a maioria da população era branca. Ela se adiantou em 68 anos aos Estados Unidos.
    Em 1940, Cuba adotou a mais avançada Constituição de todas as Constituições do mundo. Na América Latina foi o primeiro país a conceder o direito de voto às mulheres, igualdade de direitos entre os sexos e raças, bem como o direito das mulheres trabalharem.
    O movimento feminista na América Latina apareceu pela primeira vez no final dos anos trinta em Cuba. Ela se antecipou à Espanha em 36 anos, que só vai conceder às mulheres espanholas o direito de voto, o posse de seus filhos, bem como poder tirar passaporte ou ter o direito de abrir uma conta bancária sem autorização do marido, que só ocorreu em 1976.
    Em 1942, um cubano se torna o primeiro diretor musical latino-americano de uma produção cinematográfica mundial e também o primeiro a receber indicação para o Oscar norte-americano. Seu nome: Ernesto Lecuona.
    O segundo país do mundo a emitir uma transmissão pela TV foi Cuba em 1950. As maiores estrelas de toda a América, que não tinham chance em seus países, foram para Havana para atuarem nos seus canais de televisão.
    O primeiro hotel a ter ar condicionado em todo o mundo foi construído em Havana: o Hotel Riviera em 1951.
    O primeiro prédio construído em concreto armado em todo o mundo ficava em Havana: O Focsa, em 1952.
    Em 1954, Cuba tem uma cabeça de gado por pessoa. O país ocupava a terceira posição na América Latina (depois de Argentina e Uruguai) no consumo de carne per capita.
    Em 1955, Cuba é o segundo país na América Latina com a menor taxa de mortalidade infantil (33,4 por mil nascimentos).
    Em 1956, a ONU reconheceu Cuba como o segundo país na América Latina com as menores taxas de analfabetismo (apenas 23,6%). As taxas do Haiti eram de 90%; e Espanha, El Salvador, Bolívia, Venezuela, Brasil, Peru, Guatemala e República Dominicana 50%.
    Em 1957, a ONU reconheceu Cuba como o melhor país da América Latina em número de médicos per capita (1 por 957 habitantes); com o maior percentual de casas com energia elétrica, depois Uruguai; e com o maior número de calorias (2870) ingeridas per capita.
    Em 1958, Cuba é o segundo país do mundo a emitir uma transmissão de televisão em cores.
    Em 1958, Cuba é o país da América Latina com maior número de automóveis (160.000, um para cada 38 habitantes). Era quem mais possuía eletrodomésticos. O país com o maior número de quilômetros de ferrovias por km2 e o segundo no número total de aparelhos de rádio.
    Ao longo dos anos cinqüenta, Cuba detinha o segundo e terceiro lugar em internações per capita na América Latina, à frente da Itália e mais que o dobro da Espanha.
    Em 1958, apesar da sua pequena extensão e possuindo apenas 6,5 milhões de habitantes, Cuba era a 29ª economia do mundo.
    Em 1959, Havana era a cidade do mundo com o maior número de salas de cinema: 358, batendo Nova York e Paris, que ficaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.
    E depois o que aconteceu?
    Veio a Revolução… comunista… e hoje… resta o desespero de uma população faminta, sem liberdade nem mesmo de abandonar o país, sem dignidade, onde a atividade que mais emprega é a prostituição.
    FONTE:
    http://revistaescola.abril.com.br/historia/fundamentos/revolucao-cubana-50-427274.shtml

    PRECISA MAIS?

    • Caro Antonio F. Valente,

      Parabéns por ter mostrado a Cuba pré Fidel, com suas conquistas e desenvolvimento.
      Agora chegou a hora da ilha retomar o que foi desfeito após a chegada ao poder dos
      irmãos Castro, ditadores sanguinários que não pouparam nem os companheiros Camilo e Guevara e transformaram a ilha em um grande presídio que hoje está à deriva no mar caribenho.

      abraço fraterno

  19. Pingback: O despertar dos zumbis bolivarianos 2 – Alucinação e teatro sobre o acordo entre Estados Unidos e Cuba - Reader

  20. Caríssima Srta. Dorothy:
    Tenho certeza que aqueles que defendem o sistema político cubano não aceitariam viver em um país onde só os “amigos do rei” podem deixar o país, onde todos os outros são proibidos de fazer um simples passeio ao exterior.
    Cuba levou as ideias socialistas ao paroxismo, deu no que deu.
    Desejo-lhe um feliz natal, e boas festas.
    Saudações afetuosas.
    A.F.V

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *