Fla-Flu, Gre-Nal, Ba-Vi, Come-Fogo…

Chico Alencar

Futebol é paixão maniqueísta, torcida do ‘bem’ contra o ‘mal’, que acende em nós os instintos mais primitivos. Às vezes, xingamos nosso próprio clube. Na vitória, abraçamos quem sequer conhecemos.

Futebol é guerra ‘civilizada’, rivalidade com regras. A ‘morte’ do adversário não é seu extermínio. Na rodada seguinte, ou no turno seguinte, ou no ano seguinte, ele pode se recuperar. A popularidade do futebol – esta metáfora da vida – reside no êmulo da peleja entre coletivos e na combinação de emoção e razão.

Pois não é que ando ‘bolado’ com esta Copa do Mundo, justo quando ela se realiza no Brasil? É que nossa cabeça é esférica, como uma bola, para que as ideias circulem… Daí que rola dentro de mim um disputadíssimo ‘clássico’: ele opõe o gosto pelo futebol ao gasto de dinheiro público para recebermos o megaevento.

Levamos uma ‘bola nas costas’ quando o então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, disse, em 2007, que, “por ser a Copa um evento privado, o papel do governo não é de investir, mas de facilitar e induzir”. À época, o presidente Lula não marcou impedimento: “gasto público só com infraestrutura que fica. Construção de estádios é com a iniciativa privada”.

Furou: dos R$ 31 bi despendidos com o torneio, 85% vêm de investimentos de bancos públicos e dos orçamentos da União, estados e municípios.

E O LEGADO?

Meu ‘derby’ interior coloca em confronto o alegado – obras viárias, quadras esportivas em escolas, dinamismo cultural, reestruturação urbana racional e planejada – e o efetivo legado: 60% das intervenções para mobilidade nas 12 cidades-sede não saíram do papel, por exemplo. O que prevalecerá em função do campeonato de um mês é, basicamente, ‘business’. A Copa Fifa 2014, com seus lucros inéditos, será bem mais de negócios do que de futebol.

Nas ruas há pouca decoração. Suspeito que isso vem do fato do povão estar tomado por um certo decoro: o evento da Fifa nos deixa sem pique porque quer tirar o mínimo centavo de tudo, até de um enfeite com sua ‘marca’, enquanto a ação do Poder Público continua precária no que embeleza, de fato, um logradouro: pavimentação bem mantida, rede de água, luz e esgoto funcionando, lixo seletivamente recolhido.

Não perdi o espírito esportivo. Com todos esses questionamentos, na hora do jogo vou reunir gente amiga e torcer para que a Seleção realize em campo o que tem faltado na nossa sociedade e na política: jogo limpo e total empenho, com arte e engenho. Talento em exibição: tática criativa e coletiva, de cooperação.

Fiquei encafifado até com o nosso simpático tatu-bola, o mascote que ganhou o feio apelido de ‘fuleco’. Pelos superfaturamentos, insegurança nas obras (recorde mundial de acidentes fatais) e oposição entre o proclamado e o realizado, impossível não lembrar de ‘fuleiro’, adjetivo que o dicionário Houaiss atribui “a quem age irresponsavelmente, sem seriedade; que não se mostra confiável”. Confiemos: a taça da cidadania tem que ser nossa!

*Chico Alencar é deputado federal (PSOL-RJ).
(artigo enviado por Mário Assis)

 

10 thoughts on “Fla-Flu, Gre-Nal, Ba-Vi, Come-Fogo…

  1. Bateu-me uma saudade profícua de Cartola: O Brasil precisa se encontrar e há preciosidades que representam bons caminhos para isso:

    Deixe-me ir
    Preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir pra não chorar
    Deixe-me ir
    Preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir pra não chorar

    Quero assistir ao sol nascer
    Ver as águas dos rios correr
    Ouvir os pássaros cantar
    Eu quero nascer
    Quero viver

    Deixe-me ir
    Preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir pra não chorar
    Se alguém por mim perguntar
    Diga que eu só vou voltar
    Depois que me encontrar

    Vejam a criatividade e profundidade pusilânime das melhores composições até o momento, como a de Rafael Scan, para a Copa do Mundo do Brasil:

    O ano começou adrenalina a mil
    Com o esporte na veia a torcida do Brasil
    58 foi campeão mundial
    62 foi Bi uma aventura sem igual
    Na Copa de 70 Tri campeão
    94 treta viva a nossa seleção
    2002 aumenta o Brasil é penta
    Agora com o Hexa o Brasil arrebenta
    Vai Brasil

    Vai Neymar vamos jogar com raça
    Põe a bola na rede vamos levantar a taça
    Vai Brasil, com a nossa seleção
    A hora é essa, é Hexa campeão

    no começou adrenalina a mil
    Com o futebol na veia a torcida do Brasil
    58 foi campeão mundial
    62 foi Bi uma aventura sem igual
    Na Copa de 70 Tri campeão
    94 treta viva a nossa seleção
    2002 aumenta o Brasil é penta
    Agora com o Hexa o Brasil arrebenta
    Vai Brasil

    Vai Neymar vamos jogar com raça
    Guarda a bola na rede vamos levantar a taça
    Vai Brasil, com a nossa seleção
    A hora é essa, é Hexa campeão

    Eu sou, torcedor!
    Vai Brasil, o jogo começou
    Somos uma torcida na espera de Gol
    Vai Brasil, agora é ganhar põe os hermanos no bolso
    Agora é só comemorar!

  2. Preciso me encontrar – compositor: Candeia

    Uma pequena correção/elucidação,
    porém que faz toda a diferença:
    o fato de o compositor da poesia não ser o Cartola e sim o Candeia.
    Cartola sim, foi o intérprete que a trouxe ao nosso conhecimento.

    Deixe-me ir preciso andar,
    Vou por aí a procurar,
    Rir pra nao chorar.

    Deixe-me ir preciso andar,
    Vou por aí a procurar,
    Rir pra nao chorar.

    Quero assistir o sol nascer,
    Ver as águas dos rios correr,
    Ouvir os pássaros cantar,
    Eu quero nascer quero viver…

    Deixe-me ir preciso andar,
    Vou por aí a procurar,
    Rir pra não chorar.

    Se alguem por mim perguntar,
    Diga que eu só vou voltar,
    Depois que eu me encontrar…

    Quero assistir o sol nascer,
    Ver as águas dos rios correr,
    Ouvir os pássaros cantar,
    Eu quero nascer quero viver…

    Deixe-me ir preciso andar,
    Vou por aí a procurar,
    Rir pra nao chorar.

    Deixe-me ir preciso andar,
    Vou por aí a procurar,
    Rir pra nao chorar.

  3. Obrigado pela atenção, caro Dione. Devemos dar honra a quem nos honra.

    A referência ao Cartola intérprete nas breves considerações, além da referência a sua grandeza, era mais um trocadilho, piada pronta, com os cartolas do futebol brasileiro.

    Rafael Scan também interpreta a canção vazia do futebol em 2014.

  4. O padrão constante não só da Copa do mundo mas de todo esse desgoverno que nos infelicita há quase 4 anos, já está mais do que definido:

    – É O PADRÃO DILMA!!!!!

  5. Chico Alencar um bobalhão oportunista. Devia dizer que é udenista enrustido; que ficava na sancristia trancado com um padre no Colégio São José aprendendo catecismo. Que com seu récem fundado partido PSOl abandonou a Comissão de Ética para salvar seus coleguinhas do PT inclusive um tal deputado Mentor que tinha surrupiado 120 mil cruzeiros. Depois, questionado pela imprensa diz com a maior desfaçatez: Não adiantava condená-los na Comissão de Ética porque seriam absolvidos no Plenário. É UM TREMENDO FALSO MORALISTA, QUE DECLAROU NA RÁDIO BANDEIRANTES QUE IA APRESENTAR UM PROJETO DE LEI PARA ABSORVER DIRCEU POIS ERA EXAGERO CASSÁ-LO POR OITOANOS. Chega de hipocrisia.

    • Chico Alencar é queridinho da grande mídia. Escreve frequentemente artigos no jornal O Globo. Além do relatado pelo Aquino que explicita que o deputado do PSOL ainda mantém estreitas relações com o PT, o comentarista Carlos Alberto foi certeiro ao lembrar que se um dos mais assíduos integrantes do MAV petista neste blog elogia Chico Alencar é pq, no mínimo, há muito com o que desconfiar

  6. Olha seu CHICO. Pois eu estou muito contente com o fato de todos os apreciadores do esporte bretão desde o ano passado dispor de arenas modernas e confortáveis. Francamente? Acho genial a realização da COPA aqui em nosso Pais, aliás, os recursos arrecadados na COPA DAS CONFEDERAÇÕES ano passado, segundo estudos já cobriram os gastos com a construção das arenas. Eventos dessa grandeza realizados no Brasil me causa grande Orgulho como Brasileiro. Acho que os amantes do automobilismo não devem ficar mal humorados com a realização do Grande Premio de interlagos todos os anos, o Rock in Rio também deve ser motivo de orgulho e alegria para os amantes do Rock, quem adora carnaval não deve ficar magoado com os desfiles espetaculares do sambódromo e do carnaval de Rua de Recife e Salvador por exemplo. Pra frente BRASIL!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *