Flávio Bolsonaro depõe pela primeira vez ao MP, na investigação das ‘rachadinhas’

Flavio Bolsonaro vai depor em caso da rachadinha e negocia ...

Depoimento de Flávio Bolsonaro foi através de videoconferência

Deu no Correio Braziliense

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) depôs pela primeira vez, nesta terça-feira (7/7), ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), no caso das rachadinhas. Há suspeitas de que o filho do presidente Jair Bolsonaro se beneficiou da devolução de parte dos salários de servidores do gabinete dele, quando ele ainda era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

O depoimento foi feito por videocoferência, 18 meses depois da primeira intimação ao senador. O conteúdo do depoimento está em segredo de justiça. A esposa de Flávio, Fernanda Bolsonaro, que também tinha sido intimada pelo Ministério Público, não compareceu.

CHEFE DO ESQUEMA – Flávio Bolsonaro é apontado como chefe do suposto esquema de desvio de dinheiro público da Alerj. A suspeita é de que funcionários do gabinete devolveriam uma parte do salário para o então deputado, uma prática denominada rachadinha.

De acordo com o Ministério Público, Fabrício Queiroz, preso no mês passado, seria o operador do esquema. Sargento reformado da PM, Queiroz, que era assessor de Flávio, foi preso em uma casa que pertence ao advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, em Atibaia (SP).

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGNesta quarta-feira, o senador Flávio Bolsonaro tentou explicar o inexplicável. Hoje é a vez da mulher dele, Fernanda. O Ministério Público decidiu ouvi-los em separado, na certeza de que haverá contradições. (C.N.)  

2 thoughts on “Flávio Bolsonaro depõe pela primeira vez ao MP, na investigação das ‘rachadinhas’

  1. MAIS DE 67000 MORTES,DESEMPREGO ACIMA DE 40MILHÕES,FAMILIAS sem saneamento e moradias dignas,urberização dos trab alhadores que começam a reagir e nos perdendo tempo falando desses ladrões desqualificados . Não esqueçamos de GUEDES E EMPRESÁRIOS na sua politica criminosa de privatizações.

Deixe uma resposta para zenobio santos de souza Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *