“Flor Amorosa”, obra-prima de Catulo e Joaquim Callado, no tempo da msica romntica

Paulo Peres
Poemas & Canes

O relojoeiro, msico, cantor, compositor e poeta maranhense Catulo da Paixo Cearense (1863-1946) e seu parceiro Joaquim Callado (1848-1880) criaram o clebre choro Flor Amorosa, gravado por Aristarco Dias Brando, em 1914, pela Odeon.

FLOR AMOROSA
Joaquim Callado e Catulo da Paixo Cearense

Flor amorosa, compassiva, sensitiva, vem porque
uma rosa orgulhosa, presunosa, to vaidosa
Pois olha a rosa tem prazer em ser beijada, flor, flor
Oh, dei-te um beijo, mas perdoa, foi toa, meu amor
Em uma taa perfumada de coral

Um beijo dar no vejo mal
um sinal de que por ti me apaixonei

Talvez em sonhos foi que te beijei
Se tu pudesses extirpar dos lbios meus
Um beijo teu tira-o por Deus
V se me arrancas esse odor de resed

Sangra-me a boca, um favor, vem c
No deves mais fazer questo
J perdi, queres mais, toma o corao
Ah, tem d dos meus ais, perdo
Sim ou no, sim ou no
Olha que eu estou ajoelhado
A te beijar, a te oscular os ps

Sob os teus, sob os teus olhos to cruis
Se tu no me quiseres perdoar

Beijo algum em mais ningum eu hei de dar
Se ontem beijavas um jasmim do teu jardim

A mim, a mim
Oh, por que juras mil torturas
Mil agruras, por que juras?
Meu corao delito algum por te beijar no v, no v
S por um beijo, um gracejo, tanto pejo
Mas por qu?

One thought on ““Flor Amorosa”, obra-prima de Catulo e Joaquim Callado, no tempo da msica romntica

  1. Meu conterrneo Cearense at no sobrenome. Por aqui dizem que cerca de 34% dos maranhenses descendem de cearenses. Eu, por exemplo, j tive duas mulheres, cujos avs vieram da terra alecarina.
    No ano passado li a concluso de uma pesquisa, na qual os cearenses aparecem como descendentes de holandeses, com uma percentagem 26%. E que, em mdia, 22% dos nordestinos o so, na ordem decrescente: Paraba, Rio Grande do Norte, Cear, Pernambuco…… Neste ltimo, h um municpio denominado Surubim; l pode-se no encontrar o peixe que deu o topnimo ao lugar, mas gente com bitipo flamengo abundante.
    Do Maranho os flamengos foram expulsos a bala, todavia, permaneceram na letra do hino do Estado. Aqui, consta que, poca, o governo federal ordenou a troca dos sobrenomes batavos por tupiniquins. Raros foram os cls que conservaram a onomstica original, a exemplo da numerosa famlia, Jansen.
    Quanto letra do Catulo, quando a escreveu, ele no estava nos seus melhores dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.