Folha tenta “aprisionar” seus textos, mas a liberdade da internet acabou falando mais alto

Carlos Newton

Há cerca de 20 dias, a Folha de S. Paulo fez uma aposta arriscada. Passou a restringir a cópia dos textos de seu concorrido site, para evitar que fossem transcritos em outros sites e blogs. Quando alguém tentava enviar uma notícia, foto, charge ou comentário da Folha nas redes sociais, como Facebook e Twitter, ou mesmo num simples e-mail, não conseguia e surgia uma antipática advertência de que aquele material pertencia à Folha e não podia ser editado, algo assim,

Resultado: a audiência do site da Folha caiu vertiginosamente e tiveram de voltar atrás, liberando novamente a cópia de seus textos, fotos e charges. A independência e a liberdade da internet falaram mais, mostrando que a transparência é o caminho da mídia do futuro.

Notícia é como passarinho, que não deve ser preso numa gaiola, porque precisa cantar livremente para todos, não apenas para meia dúzia de carcereiros.

4 thoughts on “Folha tenta “aprisionar” seus textos, mas a liberdade da internet acabou falando mais alto

  1. Caro Jornalista,

    COMO BURLAR E COPIAR TEXTOS DE SITES QUE NÃO PERMITEM COPIAR E COLAR

    Um site protege seu conteúdo através de Javascript, que é um linguagem de programação.

    1) Salve o site no seu computador.
    No teu navegador (Internet Explorer, Firefox) vá no menu “Arquivo>Salvar Como” e salve como “Página da Web”.

    2) Abra o Bloco de Notas do Windows (Iniciar > Programas > Acessórios > Bloco de Notas. Menu Abrir > Ache o arquivo salvo (vai estar com o nome que você escolheu “.html”, provavelmente)

    3) Quando clicar em abrir, vai carregar o código do site, que tem seu texto incluso. Agora vá em “Editar” > “Susbtituir” em “Localizar” coloque: “ Salvar) e abrir a página do seu navegador no link que ficou na página onde você salvou como “Página da Web”. Comigo deu certo.

    -Pronto, já pode fazer a seleção e copiar!

    Fonte: internet.

    Abraços e parabéns pelo trabalho para manter este espaço (e não se esqueça do boleto imprimível).

  2. Sr. Newton, como sempre, parabéns. Nelson Rodrigues disse: a unanimidade é burra.
    A vida é feita de contrastes, existe o bom e o ruim, cada um faça a escolha, e responda por ela, a isso se chama “responsabilidade de ação”, Dignidade de viver, é respeitar o “contrario”, Gutemberg quando inventou a letra impressa, abriu “a portas da Liberdade da IMFORMAÇÃO a Humanidade”.
    A imprensa que nega a divulgação de seu conteúdo, é suicídio na certa, pois, limita e leva ao descrédito o que “escreve”.
    Sr. Newton, permita citar o HELIO FERNANDES, que até hoje paga “o seu AMOR FRATERNO E DE BRASILIDADE”, mas, continua de cabeça erguida, a ser “exemplo” de jornalista e dono de jornal, cuja continuidade, tem sido esse BLOG, que dá oportunidade, mesmo aqueles, que partem para ofensas pessoais descabidas.

  3. C.N.

    Desde 2012, quando a Folha restringiu a leitura de suas matérias apenas na lide da primeira página do site e limitou a gratuidade de leitura à apenas duas matérias por dia (mas passou a enviar publicidade aos montes), eu deixei de ler tal veículo (inclusive deletei o atalho) e me limitei a ler apenas os franqueados.

    Aqui na “roça”tenho o hábito de ler quase todos os jornais diariamente pela internet, colocando na ordem de abertura a Tribuna da Imprensa, G1, Estadão, Zero Hora, Correio Brazilense, Tribuna da Imprensa, os internacionais, Tribuna da Imprensa, os regionais do meu entorno, Tribuna da Imprensa.

    Ai você vai dizer que eu repeti a Tribuna da Imprensa por engano, mas não. Eu leio um e volto à Tribuna da Imprensa porque não resisto em ler suas atualizações e os comentários nervosos da patrulha ideológica petista atenta aos bons argumentos apresentados pelo time de bons colegas desse periódico, para ajudar a recuperação do juízo num país de alienados.

    Pena não poder contar com a opção Newsletter da Tribuna da Imprensa, assim como recebo do Estadão, CBN, MCC, Tribuna de Petrópolis e outros por mim assinados. As postagens caem na minha timeline do Facebook e sendo relevantes eu compartilho com meus grupos. Sou apenas um jornalista aposentado, mas sempre serei um jornalista, portanto…

    A Fôia pode fazer o que bem entender para ganhar muito dinheiro, desde que a Tribuna da Imprensa se mantenha fiel aos princípios do jornalismo ético, verdadeiro e responsável. Tudo o que preciso saber e esclarecer está nela. Parabéns aos resistentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *