Folia de Reis é a arte de pagar promessas e alcançar graças

Resultado de imagem para folia de reis

Reis Magos são os personagens principais da Folia

Paulo Peres

As festas natalinas de Minas Gerais, São Paulo e em alguns municípios do Rio de Janeiro mantêm viva a tradição da folia de reis ou companhia dos santos reis. O folguedo procura reproduzir a viagem dos Reis Magos a Belém para adorar o Menino Jesus, enquanto os palhaços mascarados tentam desviá-los do caminho apontado pela Estrela do Oriente.

Além do sentido bíblico, as folias têm também a função de “pagar uma promessa” ou “alcançar uma graça”. Por isso, é necessário que elas saiam às ruas por um período mínimo de sete anos, depois dos quais os foliões estão “desobrigados” com a folia.

Os foliões partem à meia-noite do dia 24 de dezembro e encerram sua jornada no Dia de Reis, 6 de janeiro. A caminhada é realizada somente aos sábados, domingos e feriados. À frente da folia segue a bandeira, o estandarte empunhado e defendido pelos “alferes”. É ela o símbolo maior, armada com paus em quatro, papel de seda, rosas artificiais que emolduram estampas religiosas, quase sempre os Magos montados em camelos sob a luz da Estrela do Oriente.

Em primeiro plano, vão os cantores e músicos, vestidos com uniformes. Durante a jornada marcham a passo lento em formação militar. Os instrumentos mais comuns são a viola, o cavaquinho, a sanfona, o triângulo, o pandeiro, e o bumbo. O Mestre, chefe responsável por toda a organização do folguedo, canta e improvisa versos, com a ajuda do contramestre, acompanhados, em sua maioria, por resmungos fanhosos dos demais integrantes.

Ao lado da bandeira, ou atrás dela, sem nunca passar-lhe à frente, seguem os palhaços, saltando, dançando, recitando chulas e fazendo brincadeiras. Com originalidade eles confeccionam suas roupas e máscaras. Os rostos devem estar sempre cobertos e os pés descalços.

Os palhaços têm a obrigação de tirar os sete anos, pois têm parte com o diabo, eles são os soldados de Herodes e somente através da árdua penitência das máscaras poderão livrar-se dos seus influxos maléficos.

Para a confecção das máscaras usam latas, peles de animais ou panos, ornamentados com dentes, bigodes, narizes, orelhas, chifre e guizos de forma a provocar a hilaridade de quem os vê. Os palhaços são a grade atração da folia, rodeados sempre pelas crianças e curiosos, quando a bandeira se detém à porta de alguma casa amiga.

Feitos os entendimentos, a folia de reis entra nas casas. Na sala, o agradecimento pela hospitalidade e pela contribuição, em dinheiro, do chefe da família, é feito através de cantoria. “Minha bandeira se adespede, vai no giro de Belém. Adeus, senhores e senhoras, até pro ano que vem”.

 

One thought on “Folia de Reis é a arte de pagar promessas e alcançar graças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *