França conquista o segundo título de forma emocionante, mas sem supremacia

Resultado de imagem para frança campeã

Mbappê repetiu Pelé e merecia a bola de ouro

Helio Fernandes
Blog do Helio

Parece surpreendente que alguém (este reporter que viu 9 Copas nos países onde eram disputadas) diga isso de uma seleção, que chegou a fazer 4 a 1. Os dois primeiros gols que começaram e consolidaram a vitoria, altamente duvidosos. O primeiro depois de uma falta visível, que registrei, e o Arnaldo Cesar Coelho chamou de ilegal. O segundo, depois do empate, sem ameaça de gol, a bola resvalou no braço de um jogador da Croácia, penalti inexistente, marcado e confirmado.

Depois, 2 gols sensacionais, de fora da area, desses que chamam de golaço. Um deles do Mbappê, que merecia uma bola de ouro, deram de prata. Não faz mal, ele pode disputar mais 4 Copas.

A Croácia, guerreira, fez o segundo gol, esteve perto de fazer o terceiro, o que elevaria o suspense a um nível emocional inacreditável. Não aconteceu, mas a Croácia, saiu engrandecida, e agradecida pelos 90 mil que estavam no estadio, e os milhões pelo mundo.Mas emocionante mesmo foi o final, pela confraternização de grandes personagens que estavam fora do campo.

O presidente da França (Macron, um dos meus preferidos) abraçava os jogadores da Croácia, com a mesma efusividade que dispensava para seus campeôes. A presidente da Croácia, uma mulher sensacional, deslumbrante e predestinada, provocava mais emoção. De todas as Copas que vi desde 1950, nenhuma teve um final tão emocionante e feliz.

Para lembrar a vitoria de 1998 , um dos grandes jogadores da melhor seleção da França, o craquíssimo Didier Deschamps, levantou novamente a Copa, agora como tecnico. É o terceiro a participar dessa façanha. O primeiro, Zagalo, depois Beckenbauer, agora Didier.

No esporte, nenhum repete e transmite tanta sensação quanto o futebol.
França, campeã.

(artigo enviado por Carmen Lins)

22 thoughts on “França conquista o segundo título de forma emocionante, mas sem supremacia

  1. Hélio Fernandes é um jornalista ímpar. Conhecedor profundo da história recente do Brasil, viveu de perto tudo o que aconteceu na política brasileira nos últimos 70 anos e merece todo o nosso respeito. Porém, convenhamos que como comentarista de futebol é um desastre.

    • Todos no Brasil são ímpares, mas a pátria amada não faz nada de novo ou impressionante. O único esforço de inovação recente resultou na esdrúxula tomada elétrica que não é compatível com nenhuma no mundo! Viva a nossa ingênua mediocridade.

  2. A exemplo da política brasileira, os candidatos, que se apresentam como “todo certinho”, quando raramente se elegem uma vez, param por aí, nunca se reelegem.
    Desde que sagrou-se campeã, de lá até hoje, a França só ficava no quase.
    Enquanto não somatizou a malandragem dos jogadores latino-americanos, apenas um bom e ético futebol, nunca foi suficiente para levar a seleção francesa ao podium outra vez.
    Agora que resolveu encarnar a nossa malícia futebolística, a França jogou pra cima da sua vizinha Bélgica e deu certo. Ao final do embate, os jogadores belgas detonaram, pichando os gauleses de covardes, malandros e praticantes do anti-fair play.
    Além da esperteza que a França somou ao seu modo de jogar, como todo malandro conta com a sorte, o cansaço da seleção croata foi muito bem explorado pelos agora bicampeãos.

  3. Croácia ganhou o respeito de todos mas não levou a Copa. Torci muito pela Croácia,embora ame a França e seus cantores, como Aznavour, Edite Piaf, Trenet, Georges Moustakii. a Torre Eifel e muito que há na Cidade Luz. Queria que a Croácia levasse a Copa! A principal torcedora da Croácia, uniformizada e viagens do próprio bolso: por que a presidente da Croácia faz sucesso na Copa. Muito simpática

  4. Teria preferido uma vitória da Croácia, apenas por questão de simpatia pela parte mais fraca. Mas isso seria quase impossível. Os próprios jogadores da Croácia cuidaram de preparar o terreno para sua derrota. A Croácia poderia ter contado na final com a torcida dos russos, cuja seleção foi honrosamente derrotada nos pênaltis pelos croatas. No entanto, Domagoj Vida cometeu a imensa estupidez de provocar os russos via Youtube, postando vídeos fazendo saudações à Ucrânia, um país com um governo virulentamente anti-russo bancado pelos americanos. Vida tentou se desculpar, mas o estrago foi feito e a partir daí os russos passaram a torcer em peso pelos franceses.

  5. Concordo com o artigo de Hélio Fernandes.
    E na minha opinião, com os dois primeiros gols, o jogo perdeu a graça.

    Definitivamente hoje não era o dia da Croácia, como foram os das suas partidas anteriores.

  6. O Futebol precisa de duas mudanças :

    1) Bola na mão não intencional, não pode ser pênalti.
    2) Disputa nos pênaltis, antes da prorrogação. Na prorrogação, o time vencedor nos pênaltis fica com a vantagem do empate.

  7. No meu ponto de ver foi a pior copa que assisti, com jogos medíocres. Em especial a nossa seleção cheia de medalhões feitos por nossa imprensa esportiva foi um fracasso total. Nenhuma vitória da nossa seleção convenceu, ganharam mais com um futebol feio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *