Fuga de Carlos Ghosn de priso domiciliar no Japo aconteceu aps semanas de planejamento

Carlos alega ser vtima de cabo de guerra entre a Nissan e a Renault

Deu na Folha

A fuga de Carlos Ghosn do Japo para o Lbano ocorreu depois de semanas de planejamento por parte de colaboradores que pretendiam levar o ex-executivo do setor automotivo para um pas que acreditassem oferecer um ambiente jurdico mais favorvel para julgar as alegaes de irregularidades financeiras contra ele, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

No fim de semana passado, uma equipe reunida para realizar sua transferncia colocou o plano em ao com a ajuda de cmplices no Japo. Ghosn foi levado de sua residncia monitorada pela Justia em Tquio para um jato particular, com destino Turquia.

OPERAO – Ghosn continuou de avio para o Lbano, aterrissando no pas na manh de segunda-feira, segundo pessoas familiarizadas com o assunto. L, ele encontrou-se com sua esposa, Carole Ghosn, que desempenhou um papel importante na operao.

Segundo a agncia de notcias Reuters, teria se encontrado tambm com o presidente do Lbano, Michel Aoun. A reportagem afirma que o encontro ocorreu no gabinete da Presidncia e que Ghosn agradeceu a Aoun pelo apoio dado por ele e por sua esposa Carole enquanto estava detido.

“MELHOR PRESENTE” – Em uma mensagem de texto para o Wall Street Journal, Carole Ghosn descreveu o reencontro com o marido como o “melhor presente da minha vida”. Segundo uma pessoa com conhecimento do assunto, o plano de Ghosn limpar seu nome, buscando um julgamento no Lbano, terra natal de seus ancestrais e um lugar onde ele considerado um heri nacional.

Os advogados de Ghosn acreditam que, de acordo com a lei libanesa, os promotores locais poderiam trabalhar com seus homlogos japoneses para interpor uma ao judicial ainda que em condies que Ghosn considere mais favorveis do que as do Japo.

Os promotores japoneses ainda no comentaram a deciso, mas em ocasies anteriores defenderam seu sistema legal e disseram que Ghosn seria julgado de maneira justa. A lei libanesa permite que os cidados sejam processados por crimes cometidos no exterior, desde que o crime tambm seja um crime no Lbano.

ACUSAES – Ainda no se sabe se as autoridades libanesas ou japonesas concordariam em seguir essa via legal, caso ela seja aplicvel a Ghosn. No Japo, Ghosn, ex-presidente de Renault SA, Nissan Motor Co. e Mitsubishi Motors Corp., acusado de crimes financeiros, incluindo evitar que a Nissan informasse mais de US$ 80 milhes em receita futura planejada nos resultados financeiros da empresa e direcionar o dinheiro da Nissan a ser gasto para benefcio prprio.

Ele disse ser inocente de todas as acusaes e prometeu contestar essas acusaes em um julgamento que deveria comear em 2020. A fuga de Ghosn surpreendeu seu prprio advogado no Japo. Junichiro Hironaka disse que viu Ghosn pela ltima vez em 25 de dezembro e planejava encontr-lo novamente em janeiro.

PASSAPORTES – Ele disse, sem fornecer detalhes, que o voo de Ghosn pode ter envolvido uma “grande empresa na preparao, e que a equipe jurdica ainda est com os passaportes francs, libans e brasileiro de Ghosn. A deciso de Ghosn de fugir tem sua origem no que ele considerou como maus-tratos por um sistema jurdico que ele acredita estar contra os rus.

“No fugi da Justia – escapei da injustia e da perseguio poltica”, disse ele em comunicado enviado a reprteres na tera-feira de manh. Ele reclamou de “um sistema de justia japons fraudulento em que se presume culpa”.

CABO DE GUERRA – O ex-executivo do setor automobilstico, que alega ter sido vtima de um cabo de guerra entre a Nissan e a Renault, passou mais de quatro meses na priso, em dois perodos diferentes, antes da Justia determinar sua libertao sob fiana no final de abril. Mas ele se revoltou especificamente com as restries impostas pelo tribunal ao seu contato com a esposa, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

Ento, a Justia deu a Ghosn o que ele considerou um insulto duplo no Natal, segundo pessoas familiarizadas com o assunto. Primeiro, negou seu pedido de ter contato com a esposa durante as festas de final de ano. E em uma audincia no dia de Natal, ele presumiu que o tribunal estava propositadamente atrasando o julgamento, levando-o a temer que este no ocorreria antes de 2021.

HUMILHAO – “Ele no podia ver sua esposa. Ele no conseguiu obter datas para o julgamento “, disse uma das pessoas. Foi uma humilhao. Foi uma tortura moral. Nos bastidores, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto, os conselheiros de Ghosn estudavam vrios cenrios para poup-lo de um julgamento no Japo, onde mais de 99% dos indiciados so condenados, segundo estatsticas oficiais.

Advogados e familiares apelaram aos lderes franceses para intervir, por exemplo. Eles tambm analisaram o que aconteceria se ele fosse para a Frana, o Brasil ou os EUA. O Tribunal Distrital de Tquio disse imprensa japonesa que revogou formalmente a libertao de Ghosn sob fiana. Isso significa que o governo confiscar os 1,5 bilho de ienes (US$ 13,8 milhes), em dinheiro da fiana que Ghosn pagou.

No foi possvel saber exatamente como Ghosn conseguiu escapar das autoridades japonesas para entrar no jato particular que o tirou do pas. Ghosn estava morando em uma casa em Tquio. Embora ele tivesse autorizao para sair de casa, ele foi obrigado a permanecer no pas at o julgamento.

RASTREAMENTO – Os dados de rastreamento de voo detalham apenas uma jornada que corresponde aos movimentos de Ghosn entre o Japo e o Lbano. Um jato executivo de longo alcance da Bombardier deixou o Aeroporto Internacional de Kansai, perto de Osaka (cerca de seis horas de carro a oeste de Tquio) no domingo, s 23h10.

Depois de atravessar o espao areo russo, o avio chegou na manh de segunda-feira ao aeroporto de Ataturk, em Istambul, segundo dados de rastreamento de voo. Um jato menor operado pela mesma empresa, a MNG Jet Havac?l?k AS, com sede na Turquia, deixou o aeroporto em direo a Beirute pouco mais de meia hora depois, segundo os dados.

VESTGIOS – Uma pessoa que atendeu o telefone da MNG Jet se recusou a comentar. No ficou claro a princpio se Ghosn teve que passar pela alfndega no aeroporto de Ataturk antes de embarcar para a segunda etapa de sua viagem a Beirute. Na quarta-feira, o ministro do Interior turco, Suleyman Soylu, disse, de acordo com o jornal Hurriyet, que no havia encontrado vestgios nos registros oficiais de uma escala de Ghosn na Turquia.

Ghosn entrou no Lbano com um passaporte francs e um documento de identificao libans, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto. Autoridades em Beirute disseram na tera-feira que ele chegou ao pas legalmente e que as entidades competentes no tomariam nenhuma medida contra ele.

ESTADIA PROLONGADA – Ele agora enfrenta a perspectiva de uma estadia prolongada no Lbano, caso o Japo decida prosseguir com um mandado de priso internacional. O Lbano no tem um tratado de extradio com o Japo.

Ghosn est no Lbano com sua esposa em uma casa da famlia, que possui um sistema de monitoramento, segundo pessoas familiarizadas com o assunto. Ghosn teme ser retirado fora e devolvido ao Japo.

VIGIADO – Uma manso cor de rosa, em um bairro nobre que a Nissan havia comprado e reformado para uso de Ghosn, estava sendo vigiada na tera-feira por um carro da polcia e agentes armados. Ghosn, no entanto, no est hospedado l, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. Um comerciante ao lado da casa disse que a polcia no costuma ficar na rua, mesmo na vspera de Ano Novo. “Estamos aqui em uma misso para garantir a lei e a ordem”, disse um dos policiais.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
A verdade que a surpreendente fuga do executivo deixou os japoneses intrigados e sem saber como um dos rostos mais conhecidos do pas conseguiu dar uma volta na estreita vigilncia policial e bater em retirada rumo ao Lbano antes do seu aguardado julgamento. Existe at a especulao da imprensa local que Ghosn teria deixado a priso domiciliar dentro da caixa de um instrumento musical de uma banda que havia se apresentado em sua residncia. (Marcelo Copelli)

4 thoughts on “Fuga de Carlos Ghosn de priso domiciliar no Japo aconteceu aps semanas de planejamento

  1. Recordar viver

    Uma jornalista fez perguntas polticas, que Leonel Brizola respondeu de forma truncada. Ela, irritada, perguntou: verdade que o senhor fugiu do pas em 64 vestido de mulher? E o Brizola respondeu: “Sim, com as calcinholas de sua me”.

  2. Brasileiro exercendo a bandidagem no exterior, alegando perseguio, humilhaes, cerceamento ao direito de defesa, condenao antecipada, etc… empresrio dos 3 passaportes, Japo nunca mais, com os recursos amealhados, que se foda a justia nipnica, no ? melhor nunca mais sair da terra do Hesbolah, viva como um rei, colecionando sarcfagos, gastando pelo resto de sua existncia, sendo admirado como heri nacional! Conterrneos, no reclamem de discriminao e preconceito no exterior, a fama merecida!

Deixe um comentário para Haremhab Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.