Fui procurado “insistentemente” por Dias, ex-diretor da Saúde, diz representante da Davati

Cristiano Carvalho_CPI da Covid-19

Carvalho, da Davati, complicou a situação de Roberto Dias

Marcelo Montanini e Victor Fuzeira
Metrópoles

O procurador da Davati Medical Supply no Brasil, Cristiano Alberto Carvalho, afirmou, nesta quinta-feira (15/7), que o ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias o procurou insistentemente para negociar vacinas contra Covid-19.

“Eu nunca entrei em contato com o Ministério da Saúde, foi o Ministério da Saúde que me procurou por meio do senhor Roberto Ferreira Dias”, declarou Carvalho à CPI da Covid-19, mostrando mensagens que teria recebido do ex-diretor e mencionando ligações perdidas.

“A primeira mensagem do Roberto Dias comigo, se apresentando como Roberto Ferreira Dias: ‘Boa noite, Cristiano. Roberto Ferreira Dias, diretor de Logística do Ministério da Saúde’. Eu estava absolutamente incrédulo que era um funcionário do Ministério da Saúde entrando em contato comigo às 19h. Foi no dia 3 de fevereiro”, relatou.

CAUSOU RISADAS – “O inverso da Pfizer”, ironizou o vice-presidente da CPI da Covid-19, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), levando os senadores aos risos.

Carvalho, todavia, destacou que o policial militar e vendedor Luiz Paulo Dominguetti Pereira não falou com ele sobre a suposta propina de US$ 1 por dose pedida por Dias.

Segundo o representante da Davati, Dominguetti mencionou “comissionamento” pedido pelo “grupo de Blanco”, que em tese participaria o coronel Marcelo Blanco, ex-assessor do Ministério da Saúde e teria apresentado Dominguetti a uma pessoa com o nome de Odilon e ao próprio Dias.

6 thoughts on “Fui procurado “insistentemente” por Dias, ex-diretor da Saúde, diz representante da Davati

  1. Coronel?! Uai, recentemente um comandante militar perdeu as estribeiras e fez ameaças por tentarem manchar o nome das forças armadas com insinuações como a que o seu Carvalho acaba de atribuir ao DIGNÍSSIMO coronel Marcelo Blanco, conforme a reportagem. E agora, o tal comandante vai nos pedir desculpas ou vai nos bombardear novamente com mísseis salivares?

  2. Se desenrolar esse gigantesco ROLO, lá na ponta da linha (como gosta de falar o genocida) vão encontrar ele segurando o fim do fio.
    Kkkkk

    O que este ladrão fez de bem pelo país?

    Acabou com a reeleição?
    Não!

    Acabou com as
    mamatas?
    Não!

    Acabou com os conchavos políticos?
    Não!

    Acabou com a corrupção?
    Não!

    Acabou com a lava jato!
    Sim!

    Ajudou a soltar o lula?
    Sim!

    Merece mandá-lo pro inferno!!!

    Madame M. no controle.

    JL

  3. Como poderiam esperar algo de bom para o país – vindo de um coiteiro de milicianos?

    Alguém, em sã consciência, poderia apontar algo de bom que as milícias cariocas, por exemplo, fizeram pelo Rio de Janeiro?

    As polícias, qualquer uma delas, que transigem com milicianos em seus quadros entram num processo de metástase de corrupção. Com as forças armadas, idem.

    Quem, com um mínimo de discernimento, diz que votou no atual arremedo de presidente com a justificativa que ele adotaria uma política moralizador – por favor, me desculpe -, impossível acreditar.

  4. O depoente Cristiano171 recebeu AUXILIO EMERGENCIAL na pandemia, mas afirma na cara de pau que a empresa que representava tinha 400 milhões de doses da AstraZenica para vender, que pilantra! Este circo da CPI é imbatível, diversão garantida. Kkk… kkk… kkk…

    Senador Marcos Rogério (DEM-RO) comenta depoimento de Cristiano Carvalho, representante da empresa Davati Medical Supply no Brasil.
    https://www.youtube.com/watch?v=BVxRA8hu7YQ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *