Fundador do PV desabafa sobre as falcatruas no partido e acusa diretamente Gabeira e Sirkis

Eduardo Coelho

“Prezado Carlos Newton.

Parabéns pelo brilhante texto! E parabéns por suas reportagens publicadas na Tribuna da Imprensa, em 2008, sobre as fraudes do PV. E deixo desde já, uma sugestão para que você relembre e informe aos leitores do blog sobre aquelas reportagens.

Estive entre os companheiros do PV que receberam denúncias em 2006, sobre fraudes e falcatruas existentes nas contas partidárias. Na ocasião, eu fazia parte do Diretório Nacional do PV. E junto com outros companheiros, fomos várias vezes ao TSE para averiguar as denúncias, que se confirmaram verdadeiras. Diante dos fatos estarrecedores que jogavam a dignidade do PV na lama e no esgoto, nos mobilizamos de forma veemente e contrária a toda esta quadrilha que lá tinha se instalado.

Procuramos o então deputado Fernando Gabeira, que era uma de nossas poucas esperanças, para que tal tipo de coisa tivesse um fim. Mas para nossa tristeza, o referido parlamentar, como você bem disse “nada fez”. Tentamos nos articular nacionalmente para impedir uma série de coisas que ocorriam no PV, como: os desvios de verbas oriundas do Fundo Partidário (dinheiro público); as diárias exorbitantes para militantes que já eram pagos pelo partido; a sede do PV em Brasília com piscina, churrasqueira, sauna, barzinho, várias vagas na garagem; etc.

Mas o que fizeram os numerosos integrantes do Diretório Nacional, parlamentares e lideranças estaduais? Se acovardaram! Outros se “venderam” para o sr. Penna e sr. Sirkis, “A DUPLA DINÃMICA”.

E infelizmente,  Fernando Gabeira sabendo de todos os fatos “NÃO FEZ NADA”! Talvez, como você disse, estivesse querendo não prejudicar sua candidatura de Prefeito do Rio, que ocorreria em 2008.

E em uma Convenção Nacional do PV, em maio de 2007, eu e alguns companheiros denunciamos tudo o que estava ocorrendo “NOS PORÕES DO PV”. Logicamente, os covardes foram maioria e se perfilaram com o sr. Penna e com o sr. Sirkis.

Como consequência pela nossa coragem de não se curvar ao sr. Penna e ao sr. Sirkis, e mantendo nossa dignidade intacta, eu e mais alguns companheiros “FOMOS EXPULSOS DO PV” em agosto de 2007. E ainda “FOMOS EXPULSOS SEM DIREITO DE DEFESA”. Por isso, eu e meus companheiros temos muito orgulho por termos desafiado “OS DITADORES E LADRÕES DO PV QUE SÃO TRAVESTIDOS DE ECOLOGISTAS”.

Quando Marina Silva entrou no PV existiam alguns ingênuos que imaginavam que ela pudesse fazer alguma coisa para mudar tal estado de coisas. Marina Silva entrou no PV sabendo que existiam terríveis problemas internos, desde “FALTA DE DEMOCRACIA INTERNA” e até “ROUBALHEIRA NAS CONTAS”. Portanto, não estava sendo enganada de nada. Muito pelo contrário!! Ela é que enganou também. Pois, Marina Silva ao entrar no PV prometeu trabalhar para resolver os problemas do partido. E Marina Silva “não moveu uma palha” pra resolver nada. Foi mais uma “OPORTUNISTA”. Entrou no PV para tratar de sua candidatura à presidência.

Mas, nada como um dia após o outro. Todos os que foram atingidos agora pelo sr. Penna, merecem tudo o que estão passando. Terão que fundar outro partido mesmo. Pois, o sr. Penna já comprou todo mundo no PV.

E pra terminar, fica uma frase dedicada ao sr. Sirkis: “QUEM COM FERRO FERE, COM FERRO SERÁ FERIDO”.

Saudações Ecológicas e Libertárias,

Eduardo Coelho é Professor de História e ambientalista,
foi fundador do Partido Verde em 1986

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *