Fundão Eleitoral de R$ 5,7 bilhões, o maior do mundo, é um atentado à democracia

Charge do Nani (nanihumor.com)

J.R.Guzzo
Estadão

A democracia brasileira, por conta do que estão fazendo com ela no mundo das coisas reais, em que os fatos vão na direção exatamente contrária ao mundo de fantasias pregado dia e noite pelos discursos, manifestos e orações das classes esclarecidas, não está valendo quase mais nada hoje em dia.

O “quase” está aí unicamente porque, bem ou mal, o sujeito ainda não pode ser trancado na cadeia pelo guarda da esquina, o fiscal da prefeitura não tem o direito de expropriar o imóvel onde ele mora e outras graças deste tipo; no resto, e principalmente na política, foi tudo para o diabo.

VIVEMOS EXAGEROS – Sempre que se diz algo parecido, sempre mesmo, a primeira reação é: “Exagero… Vivemos problemas normais dos regimes democráticos… A democracia tem o seu preço…” e etc. etc. etc. Sempre que se escuta essa conversa toda tenha certeza de estão batendo a sua carteira.

Almas boas podem até acreditar que a democracia é mesmo sujeita a dificuldades aqui e ali, que só podem ser combatidas com “mais democracia” e outros feitos virtuosos.

Mas os vigaristas, que sempre estão em maioria absoluta nessas coisas, sabem muito bem que não é exagero nenhum. Na verdade, dão graças a Deus pela delicadeza com que são tratadas hoje em dia as safadezas praticadas por eles para encher seus próprios bolsos com a utilização sistemática do sistema democrático.

FUNDÃO ELEITORAL – Que exagero pode haver, quando se trata de destruição da democracia, ou da destruição de democracias rigorosamente um quarto-de-boca como a nossa, em chamar de calamidade um “Fundão Eleitoral” como esse que inventaram aí?

Da última eleição geral de 2018 – presidente, governadores senadores e deputados – para esta agora de 2022, o dinheiro extorquido dos pagadores de impostos para financiar as campanhas eleitorais foi aumentado em quase três vezes, ou perto de 6 bilhões de reais. É duro acreditar num roubo deste tamanho; mas aí é que está, esse roubo acaba de ser feito. Se isso não é jogar uma banana de dinamite em cima da democracia, o que é, então?

Além do crime, há as agravantes e os detalhes sórdidos; para ficar em apenas um deles, a Câmara dos Deputados, que figura como um dos Doze Apóstolos das sagradas “instituições” nacionais, impediu, com trapaças de regimento, que os deputados pudessem votar individualmente pelo “sim” ou pelo “não”. Não deu para saber, assim, quem votou em quê; foi como fornecer máscaras para os bandidos esconderem os seus rostos durante o assalto.

AGRESSÕES À DEMOCRACIA – O Supremo Tribunal Federal, os meios de comunicação e o consórcio OAB-MST-CNBB-LGBTQIA+ conduz neste momento uma guerra termonuclear contra “atos antidemocráticos” e outros crimes de lesa-pátria. Não lhe ocorre, nunca, que as agressões mais viciosas contra o Estado de direito e as liberdades estão sendo feitas, com a bênção de todos, em safadezas cheias de desculpas virtuosas como esta do Fundão Eleitoral de 6 bi.

Uma das maneiras mais eficazes para se destruir uma democracia é tirar dela o apoio da população – uma população que se tornou hostil ou, pior ainda, indiferente. É o que acontece hoje no Brasil, com a corrupção deslavada, o perdão aos ladrões de porte máximo, a impunidade permanente oferecida pelo STF e demais tribunais superiores, a vadiagem dos políticos e tudo o mais.

O respeito do povão por Congresso, Supremo, “instituições”, etc. está em zero – com viés de baixa.

17 thoughts on “Fundão Eleitoral de R$ 5,7 bilhões, o maior do mundo, é um atentado à democracia

  1. E também o povo, Rocha, meu amigo e professor!

    Simplesmente não fazemos nada com relação a esses roubos, escárnios, deboches, que temos sido alvos deste antro de venais, o legislativo.

    Enquanto aceitarmos, permitirmos, concordarmos, com este acinte, esses tapas em nossas caras sem qualquer reação, teremos muito ainda para comentar sobre esses mesmos assuntos.

    Abração.

  2. O PSIQUIATRA EDNEI FREITAS ANALISA A CABEÇA DE LULA: ESSE TIPO DE PSICOPATA É DIFÍCIL DE CURAR E O PACIENTE NÃO MELHORA NA CADEIA – POR AUGUSTO NUNES

    Postado em 9 de Novembro de 2015

    Num comentário publicado no blog Tribuna da Internet, o psiquiatra Ednei Freitas fez um diagnóstico da personalidade de Lula. Os exames informam que o ex-presidente é portador de um tipo de transtorno dificilmente curável. Outra notícia pouco animadora para o Brasil decente: os afetados por essa disfunção não saem da cadeia melhor do que entraram. Confira o parecer do doutor. (AN)
    Embora não seja uma prática usual um psiquiatra apresentar uma prática diagnóstica de um sujeito que não examinou pessoalmente nem a ele pediu exame, vou apresentar aqui o que penso ser a personalidade de Lula por se tratar de figura pública e que tem afetado os brasileiros por suas vigarices.
    A antiga denominação do que tem o ex-presidente era Personalidade Psicopática. A classificação diagnóstica mudou. Hoje, na ONU, a CID-10 é chamado de Transtorno da Personalidade Anti-Social. A Associação Psiquiátrica Americana qualifica a DSM-IV-TR de Transtorno da Personalidade Dissocial.
    O quadro clínico para esse tipo de psicopata é assim descrito:
    “Os pacientes podem mostrar-se altivos e dignos de credibilidade ao entrevistador. Entretanto, sob a aparência (máscara de sanidade) existe tensão, hostilidade, irritabilidade e cólera. Entrevistas provocadoras de estresse, nas quais os pacientes são vigorosamente confrontados com inconsistências em suas histórias, podem ser necessárias para a revelação da patologia. Até mesmo os profissionais mais experientes já foram enganados por tais pacientes”.
    Uma investigação diagnóstica completa deve incluir um exame neurológico minucioso, uma vez que esses pacientes costumam exibir eletroencefalogramas anormais e leves sinais neurológicos sugestivos de um dano cerebral mínimo na infância.
    Os portadores da disfunção frequentemente apresentam um exterior normal e até mesmo agradável e cativante. Suas histórias, entretanto, revelam muitas áreas de funcionamento vital desordenado. Mentiras, faltas à escola, fugas de casa, furtos, brigas, promiscuidade com amantes e atividades ilegais são experiências típicas que, conforme relatos dos pacientes, começaram durante a infância. As personalidades anti-sociais frequentemente impressionam o clínico do sexo oposto com suas características exuberantes e sedutoras, mas os clínicos do mesmo sexo podem considerá-las manipuladoras e exigentes.
    Os indivíduos com personalidade anti-social demonstram uma ausência de ansiedade ou depressão, o que pode aparecer incongruente com suas situações, e suas próprias explicações do comportamento anti-social fazem-no parecer algo impensado. Ameaças de suicídio e preocupações somáticas podem ser comuns. Ainda assim, o conteúdo mental do paciente revela uma completa ausência de delírios e outros sinais de comportamento irracional. De fato, eles frequentemente demonstram um senso de teste de realidade aumentado e impressionam os observadores por terem uma boa inteligência verbal.
    Os pacientes com personalidade anti-social são altamente representados pelos chamados “vigaristas”. São exímios manipuladores e frequentemente capazes de convencer outros indivíduos a participar de esquemas que envolvam modos fáceis de obter dinheiro ou de adquirir fama e notoriedade, o que eventualmente pode levar os incautos à ruína financeira, embaraço social ou ambos.
    Não falam a verdade e não se pode confiar neles para levar adiante qualquer projeto, ou aderir a qualquer padrão convencional de moralidade. Promiscuidade, abuso do cônjuge, abuso infantil e condução de veículos sob os efeitos do álcool são eventos comuns. Há ausência de remorso por tais ações, ou seja, tais pacientes parecem desprovidos de consciência.
    As perspectivas de tratamento são sombrias. Os portadores desse transtorno são praticamente intratáveis. E a ressocialização penitenciária, quando presos, é nula.
    Augusto Nunes é colunista da Revista Veja

    Fonte: Veja.com

    • Comportamento de Bolsonaro indica problemas de desequilíbrio emocional que podem ser graves
      Publicado em 25 de julho de 2021 por Tribuna da Internet
      FacebookTwitterWhatsAppPrint

      Bolsonaro deveria ser examinado por uma junta médica

      Ednei José Dutra de Freitas

      Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Paranoide, que parece ser o caso de Jair Bolsonaro, caracterizam-se por suspeitas constantes de desconfiança quanto às pessoas em geral. Recusam qualquer responsabilidade por seus próprios sentimentos e atribuem responsabilidade aos outros.

      O fanático e o colecionador de injustiças são indivíduos litigiosos. Podem ter um linguajar impulsivo-agressivo, desconfiar de todos, duvidar das Instituições, como é o caso agora de denunciar fraudes até nas urnas eletrônicas, e defender os já provados fraudulentos votos impressos.

      Não sente empatia pelo sofrimento alheio e é falso amigo dos que têm convívio amistoso com eles, mas é uma amizade aparente, porque, diante de qualquer pretexto ou contrariedade a seus interesses, destrata os que dele se acham amigos e os abandona à própria sorte, e algumas vezes os leva a ruína.

      CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS – A característica essencial do Transtorno de Personalidade Paranoide é uma tendência global e inadequada – começando na idade adulta jovem e presente em uma variedade de contextos – para interpretar as ações alheias como deliberadamente humilhantes, persecutórias ou ameaçadoras.

      Quase invariavelmente estes indivíduos esperam ser prejudicados pelos outros de alguma forma. Frequentemente questionam, sem justificativa, a lealdade ou confiabilidade de amigos e colegas.

      Esses pacientes externalizam suas próprias emoções e usam como defesa a projeção – isto é, atribuem a outros indivíduos impulsos e pensamentos que são incapazes de aceitar em si mesmos. Além disso, Ideias de referência, grandeza e ilusões são defendidas comumente.

      EMOCIONALMENTE FRIOS – Os pacientes com este transtorno são afetivamente restritos e são frios, em termos emocionais. Orgulham-se de serem racionais e objetivos, mas este não é o caso.

      Esses pacientes não possuem calor humano e se impressionam e prestam muita atenção a temas de poder e hierarquia, expressando desdém por aqueles vistos como fracos, doentios, prejudicados ou de alguma forma defeituosos.

      Em situações sociais, os indivíduos com Transtorno da Personalidade Paranoide podem parecer práticos e eficientes, mas frequentemente geram medo ou conflito com outros indivíduos.

      JUNTA PERICIAL – Em consequência, dados os comportamentos visivelmente bizarros do presidente da República, negando a pandemia de coronavírus, frequentando multidões sem máscara, induzindo seus asseclas a prescreverem medicamentos ineficazes para a covid-19 e provocando aglomerações e discursando para um grupo de apoiadores que desejam a volta do AI-5 o fechamento do STF, do Congresso, além da indiferença com os mortos pela Covid-19, não mostrando compaixão ou luto pelos mortos e respectivos parentes, por tudo isso é necessário que o Supremo indique uma junta pericial de Psiquiatras Forenses, para diagnosticar e atestar o estado de saúde mental do Presidente Jair Bolsonaro.

      Se for confirmado Transtorno de Personalidade Paranoide (que não tem cura, pois não é uma doença psiquiátrica mas um transtorno inato da personalidade, o que é inato é imutável) ou outra doença que exiba alienação mental, que seja afastado definitivamente da função de presidente da República.

      (Ednei José Dutra de Freitas, PhD. é psiquiatra, psicanalista, Membro Titular da Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro, Analista Didata
      da International Psychoanalytical Association (IPA), ex-professor de Psiquiatria e Psicologia Médica da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ)

      • As duas postagens acima, isto é, a cópia do que escrevi (e foi exatamente isso) por Armando, e a repetição feita por mim da postagem que fiz mais recentemente, significam que não é saudável votar nem em Lula nem em Bolsonaro. Precisamos nos unir com os brasileiros de bem para escolher um candidato à Presidência da República competente, equilibrado e sobretudo honesto – a terceira via !

        Proponho três nomes, à escolha do eleitor: o Governador do RS – Eduardo Leite, o senador Randolfe Rodrigues e a senadora Simone Tebet.

      • Prezado Armando,

        Agradeço o seu empenho. Precisamos escolher uma terceira via, conforme postei abaixo, quando eu digo que : As duas postagens acima, isto é, a cópia do que escrevi (e foi exatamente isso) por Armando, e a repetição feita por mim da postagem que fiz mais recentemente, significam que não é saudável votar nem em Lula nem em Bolsonaro. Precisamos nos unir com os brasileiros de bem para escolher um candidato à Presidência da República competente, equilibrado e sobretudo honesto – a terceira via !

        Proponho três nomes, à escolha do eleitor: o Governador do RS – Eduardo Leite, o senador Randolfe Rodrigues e a senadora Simone Tebet.

        Um grande abraço,

        Ednei

  3. E o cara que vai consertar tudo isso com certeza não será o BOZO! Ele mais do ninguem faz parte do problema e não da solução.
    Essa vaga de salvador da pátria continua em aberto!

  4. Os caras votam no Centrão.
    Logo o Centrão faz das suas,vide quem votou a favor e quem votou contra.
    A culpa,do Lula,PT, de qualquer um……menos minha..

  5. XÔ ENTULHO$ AUTORITÁRIO$ MALDITO$. Xô heranças malditas. Xô mentalidade escravocrata maldita. Xô ditaduras partidária, militar, sindical, midiática, econômica e miliciana$ do sistema apodrecido. O FATO É QUE O TEMPO DO BRASIL LAGARTA EXPIROU-SE. E, DORAVANTE, A SUPER BORBOLETA, VERDE, AMARELA, AZUL E BRANCO, VAI TER QUE VOAR, para o bem de todos e todas e não apenas em favor de corruptos e das elites delinquentes dos fundões bilionários roubados na cara dura do sangue, suor, vidas e lágrimas do sofrido povo brasileiro, porque a chapa começou a esquentar. Por que há cerca de 20 anos, a mídia brasuca nega a liberdade de expressão para o projeto novo e alternativo de política e de nação, a nova política de verdade, a terceira via de verdade, o novo caminho para o novo Brasil de verdade ? Por que Borba Gato e o famigerado Fundão Eleitoral, ambos com a mesma mentalidade doentia, psicopata, louca por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, à moda todos os bônus para ele$ e o resto que se dane com os ônus, sumiram da pauta da mídia brasuca ? A impressão é que liberdade de expressão, na mídia brasuca, na seara política, salvo exceções, é só para políticos, partidos, ou bandidos, de estimação contra adversários, à moda meias verdades e mentiras vestidas com roupas roubadas da verdade, até porque da verdade, verdadeira, nua e crua, fogem igual o diabo foge da cruz, ao que parece. O fogo e a fumaça que se levantaram a partir dos pés de Borba Gato, em São Paulo, são elementares, Caro Watson, Freud os explicam, são emblemáticos, visam chamar a atenção para o sofrimento dos andares debaixo do conjunto da sociedade, e basta olhar para o ranger de dentes da cortina de ferro do sistema apodrecido, que são as ditaduras partidária, militar, sindical, midiática, econômica e miliciana dos me$mo$, que se abastecem fartamente do erário, para constatar o ato de protesto político dos garotos da periferia de São Paulo surtiu efeitos, posto que a mentalidade doentia das elites delinquentes que ainda impera e domina SP e o Brasil sentiram a pegada política pedagógica, e, doravante, os psicopatas loucos por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, que operam à moda todos os bônus para ele$ e o resto que se dane com os ônus, que se confunde com a mentalidade do famigerado centrão do super fundão eleitoral bandido, vão ter que começar a se reeducar politicamente para a vida em sociedade, por um novo tempo de responsabilidade social, posto que, com certeza, com o fogo no rabo de Borba Gato, já sentiram na própria carne um possível fogo revolucionário, a partir do protesto político contra a mentalidade exploradora doentia do tipo Borba Gato, em que pese a aversão dos protagonistas do ato à violência e ao vandalismo, venham de onde vierem, até porque, creio eu, o sonho deles de transformação do nosso país, de modo a torná-lo melhor para todos e todas, é tb pela via pacífica e democrática, pela conscientização da população, e via urnas eletrônicas, se possível, porque evoluir é preciso. https://www.youtube.com/watch?v=cmcKC5okuI4

  6. Felipe Quintas (via Facebook)

    A questão nacional tem precedência sobre a luta de classes. Como a Nação é maior que as classes e é a única arena possível da cidadania, somente nela que a luta de classes (bastante real porém não envolvente de todo o conjunto das relações sociais) pode ser solucionada de acordo com o interesse comum.

    Nesse sentido, a construção nacional, em seus mais diferentes âmbitos (territorial, linguística, produtiva etc.), não se opõe a nenhuma classe, mas é a condição básica para que todas possam se fazer representar, serem representadas e, assim, cooperarem na grande obra de conservar e aprimorar a nacionalidade.

    Fora da Nação e da questão nacional, a luta de classes inevitavelmente resvala em guerra civil, em alianças subalternas com forças estrangeiras e, portanto, em dilapidação do patrimônio e dos recursos comuns. Ao fim e ao cabo, todos no país conflagrado são derrotados. Essa é uma das lições que se pode extrair da Guerra Civil Espanhola, por exemplo.

    Por isso, as revoluções marxistas bem sucedidas consagraram a centralidade da questão nacional. Essa é a razão do socialismo num só país de Stalin e do socialismo juche norte-coreano, dois exemplos de como o socialismo, depurado do seu caráter negativo/agônico, serviu à construção da Nação, incorporando e atualizando os respectivos legados nacionais pré-socialistas.

    Isso não quer dizer, evidentemente, que esses sejam os únicos modelos de organização nacional. Cada país deve encontrar o seu, com base na sua história e na sua realidade. Ao meu ver, o Estado Novo, orgulhosamente herdeiro do bandeirantismo, das guerras de expulsão dos estrangeiros e dos movimentos independentistas, foi o regime político que melhor organizou o País no sentido da realização do lema da Bandeira, os dois pilares de qualquer projeto nacional digno do nome: Ordem e Progresso.

    Urge no Brasil, portanto, um Estado Novo do século XXI.
    https://www.facebook.com/felipe.quintas.1/posts/1637655916431656

  7. Dr. Ednei,
    A meu ver Sr. Alessandro Vieira é um excelente nome também.
    O Sr. esqueceu dele ou não tem uma opinião formada ainda do Senador

    Um forte abraço,
    José Luis.

    • Sr. Espectro,

      Realmente o nome do senador Alessandro Vieira (Cidadania) deve ser considerado. Apesar de eu ser simpatizante do Cidadania, pelo desempenho do senador Alessandro Vieira ser menos incisivo do que o desempenho do senador Randolfe Rodrigues, eu preferiria que Alessandro Vieira, cuja experiência é a de delegado de polícia, sendo mais investigador do que político, prefiro que ele ocupe a Vice-Presidência, quer seja na chapa do Senador Randolfe Rodrigues (Rede), ou do governador do RS Eduardo Leite, ou da senadora Simone Tebet, esses três acima citados me parecem mais preparados para presidir a República,

      Cordiais saudações,

      Ednei

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *