Fux d mais 60 dias para PF investigar uma propina da Odebrecht a Collor

Resultado de imagem para collor

Na planilha, o codinome de Collor era “Roxinho”

Deu em O Tempo
(Agncia Estado)

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux esticou em mais 60 dias o prazo para a Polcia Federal concluir as investigaes sobre suposto repasse de R$ 800 mil da Odebrecht Ambiental ao senador Fernando Collor (PTC/AL), em 2010. Neste caso, o parlamentar foi delatado por executivos da empresa de saneamento da maior construtora do pas, que disseram pagar os valores ao senador em troca de apoio privatizao dos esgotos de Alagoas.

A deciso de Fux foi tomada no dia 14. “Na sequncia, tendo em vista que o procurador-geral da Repblica manifestou-se favoravelmente ao pedido de dilao do prazo para concluso das diligncias, encaminhem-se os autos Policia Federal, pelo prazo de 60 dias”, anotou Fux.

ROXINHO – O ex-presidente Fernando Collor de Mello – roxinho na lista da Odebrecht, em razo da clebre frase eu tenho aquilo roxo, proferida nos anos 1990 – teria sido beneficirio de caixa dois da Odebrecht Ambiental em razo do lobby pela privatizao do saneamento de Alagoas, segundo o ex-presidente da empresa de saneamento do grupo baiano. Os valores teriam sido operacionalizados entre os executivos e Euclydes Mello, primo do senador, de acordo com a delao da empreiteira.

Fux o relator do caso desde o dia 10 de agosto, aps a presidente do STF, Crmen Lcia, decidir que os fatos narrados pelos colaboradores da construtora no esto relacionados com a operao Lava Jato, que apura desvios na Petrobrs e outras estatais.

PRIVATIZAO – Em 2009, a maior construtora do pas tinha em seus planos pleitear a concesso iniciativa privada do sistema de saneamento do estado de Alagoas, de acordo com o ex-presidente da Odebrecht Ambiental, Fernando Reis.

“O investimento era chamado Sistema Adutor do Agreste, que tinha como objeto o abastecimento de gua aos municpios de Arapiraca, Coit do Nia, Igaci e Crabas dos Nunes e a Minerao Vale Verde. Chegamos a participar de um processo pblico de Proposta de Manifestao de Interesse (PMI) e apresentamos estudo de viabilidade em setembro de 2009. Em duas ou trs visitas Macei, percebi que havia no Estado uma enorme oportunidade para investimentos privados no setor de saneamento, que tem os piores ndices de cobertura do Brasil, chegando at a estudar a privatizao da Companhia Estadual Casal”, afirmou o executivo Fernando Reis.

REUNIO COM COLLOR – A fim de viabilizar o projeto, os representantes da empreiteira disseram se reunir com o ex-presidente no aniversrio dele, em seu apartamento pessoal. No encontro, estavam os executivos Alexandre Barradas e Fernando Reis, Euclydes Mello e Fernando Collor.

Aps ouvir a proposta de privatizao da Companhia Alagoana de Saneamento, Collor disse que era favorvel iniciativa privada e chegou a afirmar que queria que a Odebrecht fizesse obras. Na mesma reunio, ficou definido o repasse, via caixa dois.

Segundo o ex-executivo da Oderbrecht Alexandre Barradas, Collor foi propositivo. “Quero que voc faa as obras”, teria dito. “E ns: Senador, ns no fazemos obras. Nosso negcio investimento, gesto. Inclusive quem faz a obra no somos ns. Ns contratamos as obras. E ele: Quero, quero, quero. Preciso ganhar” narrou Barradas.

COLLOR NEGA TUDO – O senador se pronunciou sobre a delao da Odebrecht no dia 12 de abril, quando seu teor foi revelado.

“Nego, de forma veemente, haver recebido da Odebrecht qualquer vantagem indevida no contabilizada na campanha eleitoral de 2010.”

3 thoughts on “Fux d mais 60 dias para PF investigar uma propina da Odebrecht a Collor

  1. “Nego , de forma veemente, haver recebido da Odebretct qualquer vantagem indevida no contabilizada na campanha eleitoral de 2010″

    Meu Deus! A que ponto chega a desfaatez. O cara confessa que recebeu ” vantagem indevida” mas contabilizada

    ” Aquele que nao fala pelos lbios, fala pela ponta dos dedos: ns nos traimos por todos os poros” Freud.

    • , o Collorido tambm foi absolvido por este mesmo STF. Outras pessoas mas a mesma gana em proteger os amigos bandidos. E, ainda perguntam se o STF serve para alguma coisa.

  2. Certamente os espritos daqueles que morreram sem a sua poupana e dinheiro confiscados pelo deslumbrado, incompetente, corrupto e desonesto ex-presidente, que ratifica o que se pensa dele como senador, em face do seu envolvimento na Lava Jato, devem estar exultando de alegria porque Collor no morrer impune!!!

    Pode no ser preso, pode, pois neste pas a Justia no cega e equilibrada, mas levar para o tmulo e por onde andar, e at depois quando descer s profundezas do inferno, que um corrupto e ladro!!!

    E, que seus bajuladores se rasguem de dio e raiva de mim, mas tambm tero de engolir que reverenciam um canalha, um crpula, e sem maionese, no seco!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.