Fux diz que fake news desvirtuam a ideia de democracia e criam “bolhas de eleitores iludidos”

Fux destacou que desinformação elege pessoas por força de fraude

Carolina Brígido
O Globo

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta sexta-feira, dia 3, que o impulsionamento de notícias falsas promovido por empresas em campanhas eleitorais gera ilusão entre os eleitores, que acabam escolhendo mal seus candidatos. Segundo Fux, as fake news nas eleições comprometem a democracia, porque colaboram para a eleição fraudulenta de políticos.

A manifestação foi feita em uma palestra virtual promovida pela Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep). “As fake news desvirtuam a ideia de democracia porque, na verdade, o governo que for eleito para o povo será representado por pessoas que foram eleitas por força de fraude”, disse, completando: “O excesso de disparos por robôs contratados por empresas de notícias falsas acaba criando bolhas de eleitores iludidos e desinformados que, através da fake news, acabam elegendo mal”.

ABUSO DO PODER ECONÔMICO – O ministro afirmou também que empresas especializadas no impulsionamento de notícias falsas não podem financiar candidatos. Para Fux, há crime de abuso do poder econômico nesse tipo de prática.”A coisa pública não pode se imiscuir na coisa privada. Se o cidadão vai ser eleito para exercer cargo público, ele não pode ser financiado por empresas que bancam, monetizam o disparo de informações falsas. Isso é abuso do poder econômico, isso é fraude, isso tem tutela no ordenamento jurídico”, afirmou.

Ainda na palestra, Fux defendeu a liberdade de expressão. Ele ponderou, no entanto, que crimes contra a honra e ataques não são inseridos nesse direito e estão sujeitos a punição.

PONDERAÇÃO – “É muito importante que a gente faça uma ponderação entre liberdade de expressão e democracia. Se nós avançarmos muito na criminalização da liberdade de expressão, nós podemos começar a derruir o Estado Democrático, que tem entre seus pilares a liberdade de imprensa. Isso aí nós conhecemos, esses processos que vão avançando e acabam transformando o país numa ditadura de informação. A minha geração teve muitas pessoas que tiveram a vida ceifada por “delitos de opinião”. Então, temos que ter uma ponderação entre liberdade de expressão e democracia”,  concluiu.

“É fundamental também ter presente que às vezes se fazem posições de repulsa à mídia. A mídia funciona dessa forma. E é fundamental num processo, digamos, plenário, nós temos sempre que ter alguém que seja um ferrinho de dentista, que fica furuncando o dente do sujeito para sentir dor. Isso faz  parte do papel da construção do consenso, inclusive num momento de catarse, momento em que possamos esvaziar o nosso ódio. Porque, sem a catarse, não se chega ao fim e ao cabo à composição e à solução”, disse Jobim.

8 thoughts on “Fux diz que fake news desvirtuam a ideia de democracia e criam “bolhas de eleitores iludidos”

  1. Como disse o Genial Raul Seixas…”Quem não tem colírio usa óculos escuros !!” Tá faltando Óleo de peroba na praça ??? Será que o que os Governadores e Prefeitos, Obedecendo Fielmente o Decreto do STF para Mandarem e Desmandarem com as Verbas Federais do Coronavírus e Assaltando Cinicamente à Luz do Dia Dinheiro para Saúde e praticando Assumidamente Genocídio com o Povo Brasileiro é “Fake News” Sr. Ministro ?? Quando é que o STF vai se Pronunciar e Assumir serem Cúmplices desses Desmandos ???? Será que foi culpa de Bolsonaro Senhores Ministros ???

  2. Sr. E DEIXA A TOGA VOAR!!!
    O bolsonaro tem muita culpa sim! Não é só dar o dinheiro e lavar as mãos. Não!
    Ele como presidente deveria ser o primeiro a não desdenhar do vírus e muito menos incentivar as pessoas a desrespeitar regras de saúde que o mundo inteiro faz questão de seguir, na tentativa de diminuir o número de óbitos.
    Vetou a utilização de máscaras em lugares que certamente a contaminação vai acontecer fatalmente.
    Me diga, qual o sentido que o Sr. vê nesta decisão? Me responda objetivamente com um bom argumento, saberei concordar com o Sr. caso me convença.
    Por enquanto não compactuo do seu raciocínio.

    O bolsonaro tem um comportamento de homem bomba, um terrorista letal. Em suma, um GENOCIDA CONSCIENTE!! Com toda a intenção de matar.
    Simplesmente UM LOUCO que desdenha sem a menor piedade do povo que se encontra totalmente fragilizado diante de tantas desgraças.
    Cordialmente.

  3. “A preguiça de raciocinar e o desprezo pela leitura erudita fazem do indivíduo um convencido das verdades prontas!”
    O problema não está nas fake news, mas no tipo de receptores dessas ciladas midiáticas. Somos um povo novelista. Adoramos seguir fórmulas prontas: tanto, que, segundo o Globo Repórter, somos os maiores produtores (falsificadores) de Wisky Escocês do mundo.
    Esses marketeiros mefistofélicos conhecem muito bem nosso calcanhar-de-Aquiles. Um bom exemplos disso é: através de pesquisas eleitorais forjadas, eles no apresentam um algarismo “X” associado a um dado candidato desprezível. Muitas vezes, tal algarismo fictício acaba-se convertendo em número real, em forma de percentual a favor do candidato; graça a nossa pobreza de discernimento coletivo. Foi assim que a Globo elegeu Collor de Mello: bastava um toque digital comandado por Collor, e na tela surgia aquelas imagens de computação gráfica (uma novidade à época), nós ficávamos abismados como índios para as caravelas de Cabral.
    Um repórter de encomenda abordava um pau-de-arara e indagava ao matuto: “Em que você vai votar? -Ni Cólo! Por que Collor? Purquê Cólo mermo!
    A conversa entre os eleitores urbanos, pretensamente, mais esclarecidos: votariam em Collor porque ele era um “gato” – as mulheres. Para ambos os sexos, o carioca-alagiano era o melhor, porque todos os “problemas do Brasil, ele já tinha enfiado, em um computador que resolve tudo”

  4. Ministros do STF, os senhores foram “democraticamente eleitos pelo voto do povo”?Qual idoneidade tem as figurinhas para falar de eleições e democracia, exercendo cargo vitalício?

    • Felizmente não são eleitos pelo voto do povo, porque se fossem ai sim estaríamos definitivamente desgraçados, por o povo só faz merda nas urnas, infelizmente. Aliás, merdas impostas por partidos, ou por golpes ditatoriais.

  5. Por tudo que vocês comentaristas disseram, e mazelas que apontaram no processo eleitoral, inclusive o Ministro Luiz Fux, dando conta de fake news, mentiras, enganações, abuso do poder econômico, mídia partidária, mercenários, instituições aparelhadas, marqueteiros sacanas, partidos de araque, monopólio partidário das eleições, fundo partidário, fundão eleitoral, “pedágio”, corrupção, fraudes, eleitores desqualificados e manobrados como se fossem gado…, etc., etc., etc. e tal…, só podemos concluir que então não temos uma Democracia de verdade, e nem um estado de direito de verdade que é o que realmente deve caracterizar uma Democracia de verdade, como tem afirmado a Democracia Direta, com Meritocracia, a Terceira Via de Verdade, que não se cansa de dizer que, na verdade, o que temos ai no lugar da Democracia de Verdade é uma plutocracia putrefata com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia, muito doida, pra lá de doente, que está adoecendo cada vez mais o país e o sofrido povo brasileiro que não consegue identificar a causa da sua doença. Plutocracia essa, no Brasil, forjada e protagonizada pelo militarismo e o partidarismo, polítiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, há 130 anos, imposta a todos goela abaixo, sob pena de multas e sanções civis, a quem não votar na dita-cuja, sob o teto da qual, na política, quase “Tudo Vira Bosta”, ou pega cana, logo depois das suas eleições ou golpes, como cantam Rita Lee e Moacyr Franco, e se alguém ousar dizer que isso não é Democracia de Verdade, corre o risco de ser processado por crime contra a segurança nacional , fato que nos leva à conclusão de que vivemos, ou sobrevivemos, ainda, em estágio de selvageria e loucura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *