Ganância de Tarso Genro prejudica o PT gaúcho

Leandro Almeida

Em Porto Alegre, um dos primeiros redutos petistas e vitrine do chamado “modo petista de governar”, eles até tentaram modificar o modelo de fazer política, apresentando um programa de governo acima do personalismo das pessoas, nos quatros mandatos consecutivos na capital gaúcha.


Naturalmente, o vice-prefeito era o próximo candidato ao paço municipal. Foi assim com Olivio-Tarso, Tarso-RaulPont e deveria de ser também com RaulPont-Fortunati. Mas tinha um Tarso Genro no meio do caminho.Que colocou seu nome na disputa. E nas prévias do partido venceu os outros dois postulantes, o prefeito Pont (que com a nova lei poderia ser reeleito) e seu vice José Fortunati (que foi para o PDT logo depois).

Tarso Genro se consagrou nas urnas como o quarto prefeito consecutivo da capital gaúcha. Sua ganância pelo poder não parou ai. No meio do mandato renunciou à prefeitura para ser candidato a governador, depois de desbancar o governador petista Olivio Dutra nas prévias.

O aprendiz de caudilho misturado com messias perdeu a eleição. E o PT perdeu com ele sua dinastia na capital. José Fogaça colocou a última pá de cal nos petistas com dois mandatos consecutivos. E agora seu vice Fortunati se consagra nas urnas com 65,22% dos votos válidos.

E no governo do estado, Tarso Genro, depois de se eleger governador no primeiro turno, vai fazendo um governo fraco. As eleições de 2014 estão aí, esperando para Tarso apagar a última luz do petismo no Rio Grande do Sul.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *