Garotinho dá uma pausa nas pancadas diárias em Cabral e mostra o inacreditável enriquecimento da família Picciani, que é de fazer inveja até ao consultor Palocci.

Carlos Newton

Com a derrocada do governador Sergio Cabral (aquele que precisou mandar fazer um Código de Conduta Ética para saber o que é certo ou errado), o ex-governador Anthony Garotinho está fazendo a festa. Todo santo dia, em seu blog, ele publica alguma denúncia contra o atual governador, que curiosamente Garotinho até ajudou a eleger, no primeiro mandato, em 2006.

Garotinho conseguiu montar um impressionante arquivo de denúncias contra Cabral, o que nem foi difícil, já que praticamente desde o início do mandato do atual governador já começavam a circular pesadas acusações. Esta semana, porém, o blog deu uma pausa no bombardeio a Cabral e voltou os canhões em direção à surpreendente família de do ex-deputado Jorge Picciani, ex-presidente da Assembléia (Alerj) e atualmente presidente estadual do PMDB.

O blog do Garotinho, ilustrado com gráficos e fotografias, mostra que Picciani, quando começou a carreira política. morava no subúrbio de Ricardo de Albuquerque e usava um fusquinha para ir aos comícios. Bem, vamos logo transcrever as denúncias, porque vale a pena conferir a que ponto chegou a política no segundo mais importante estado do país, na era da dupla Cabral-Picciani.

“Era um sujeito humilde que dizia que queria lutar por uma vida melhor para os seus concidadãos. Mas vejam as voltas que a vida dá. Foi na política que descobriu que tinha uma vocação ainda maior para os negócios. Continuou lutando por uma vida melhor, mas só que para a sua família. Em poucos anos como poderão ver abaixo, se transformou no Rei do Gado, com uma evolução patrimonial excepcional. Um faro e uma sorte nos negócios de deixar Eike Batista com inveja.

Para que ninguém tenha dúvidas,  todos os documentos relativos à evolução patrimonial da família Picciani são oficiais. Vamos então começar pelo patriarca da família Picciani, o ex-deputado Jorge Picciani. Notem que no ano de 2000, sua declaração de renda(bens) era de R$ 1.345.777,57. Em 2011, ele alcança sozinho R$ 27.367.931,08. É uma evolução realmente fantástica!

Além de muito competente para aumentar o patrimônio, o ex-deputado Picciani também é muito esperto. Atualizou o capital social de sua empresa de pecuária Agrobilara, somente agora, em 11 de abril de 2011, apesar de ter incorporado a empresa Agrovaz, desde fevereiro de 2009. Mas se tivesse feito a atualização antes, sua declaração ao TRE, no ano passado, não seria de um patrimônio de R$ 11 milhões, mas sim de R$ 27 milhões. Poderia parecer ao eleitor que ficou rico demais, depressa demais.

Mas Picciani não é um fenômeno sozinho, é um excelente pai que ensinou ao filho Leonardo Picciani os segredos de fazer bons negócios e também lhe passou a mesma sorte.

Leonardo Picciani (atual secretário estadual de Habitação, licenciado) seguiu os passos do pai entrando para a política, se elegendo deputado federal, mas acabou descobrindo sua vocação familiar para fazer negócios. Em 2000 declarou no Imposto de Renda R$ 365.624,60, e agora, com o aumento de participação na Agrobilara, seu patrimônio deu um salto para R$ 9.885.603,00, como podem conferir no gráfico abaixo.

Ele é secretário de Habitação de Sérgio Cabral. Se construísse casas para o povo na mesma velocidade que aumenta o seu patrimônio não haveria um sem teto no Rio de Janeiro.

Na eleição do ano passad,o Picciani decidiu lançar na política mais um filho, o caçula Rafael. Agora vejam o que é o destino e a herança genética, o jovem Rafael, de 25 anos, se revelou também um gênio para os negócios. Em 2009, Rafael declarou R$ 1.970.719,33. Agora em 2011, pulou para R$ 7.970.719,33. Em apenas dois anos, quadriplicou o patrimônio. Realmente Rafael, aos 25 anos, é o que se pode chamar de menino prodígio. Deveria ser convidado pela presidente Dilma, para ser ministro do Crescimento Econômico.

Agora observem a evolução de Picciani pai, mais os filhos Leonardo e Rafael. É bom ressaltar que não estão incluídos, a mulher Márcia e outro filho Felipe, que é quem administra os negócios da família. Não é fantástico? De 2000 para 2011 os três aumentaram juntos o patrimônio, de 1.711.402,07 para R$ 58.174.253,61. Um crescimento astronômico de 3.400%.

Mas não pensem que termina por aí. Não, tem muito mais. Como não obtivemos as informações sobre o patrimônio da mulher do Rei do Gado, Márcia Monteiro Picciani, e do seu filho Felipe Picciani, ainda falta muito, muito mesmo, no patrimônio da família. Mas é importante destacar que Márcia e Felipe, só na Agrobilara tiveram um aumento de participação de R$ 13 milhões, em 2011. Não dispomos das informações de tudo o que declararam como patrimônio. Falta, portanto, incluir o valor total das cotas de Márcia e Felipe na Agrobilara e imóveis ou outros negócios que possam lhes pertencer.

Bem, nunca é demais lembrar que isto tudo, esta fortuna familiar que se formou em tempo recorde é só o que está declarado, Dizem que há muito mais, mas não podemos provar.

Vocês devem estar estarrecidos, mas surge uma pergunta no meio da história do humilde morador de Ricardo de Albuquerque que virou o milionário Rei do Gado: se Picciani que é subordinado a Cabral há muitos anos, desde os tempos em que Cabral era o presidente da ALERJ, e ele o secretário tem isso tudo declarado, e o chefe Cabral, quanto tem?

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *