General é nomeado para substituir o indicado do Centrão que se envolveu no rolo da Covaxin

Charge do Duke (domtotal.com)

 

Luci Ribeiro
Estadão

 O Ministério da Saúde designou o general da reserva Ridauto Lúcio Fernandes como responsável pela área que era chefiada por Roberto Ferreira Dias, diretor do Departamento de Logística em Saúde exonerado nesta madrugada após ser acusado de pedir propina para fechar um contrato para compra de vacina anticovid.

Ridauto, que atua no mesmo departamento desde janeiro deste ano, vai assumir a função do assessor do departamento, tenente-coronel Marcelo Blanco da Costa, dispensado nesta quarta-feira, por também ser acusado de participar das negociações por propina. Blanco da Costa foi um dos militares nomeados na Saúde pelo então ministro Eduardo Pazuello ainda em maio do ano passado.

INTERINAMENTE – A troca foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) nesta tarde. A portaria com a mudança é assinada pelo secretário executivo do ministério, Rodrigo Otavio Moreira da Cruz.

Pelo menos por enquanto, Ridauto responderá pela área que era chefiada por Roberto Ferreira Dias. A demissão de Dias já havia sido anunciada na noite de terça pela pasta e ocorreu depois que o empresário Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como representante da Davatti Medical Supply, afirmar à Folha de S.Paulo que Dias pediu propina para o governo federal fechar contrato de compra de vacinas contra a covid-19.

Dominguetti também disse à Folha que o tenente-coronel Marcelo Blanco estava no encontro em que Dias cobrou propina. Hoje, a CPI da Covid no Senado aprovou requerimento de convocação de Blanco para depor ao colegiado.

US$ 1 POR DOSE – A propina seria de US$ 1 para cada dose da vacina da AstraZeneca/Oxford adquirida pelo Ministério da Saúde. O laboratório nega, no entanto, que a Davatti Medical Supply seja sua representante. A empresa americana também foi desautorizada pela AstraZeneca no Canadá.

Antes mesmo da denúncia de Dominguetti , o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e seu irmão, Luis Ricardo Fernandes Miranda, chefe de Importação do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, já haviam citado Roberto Ferreira Dias como participante de um suposto esquema de corrupção envolvendo a aquisição de vacinas.

A indicação de Dias ao cargo na Saúde é atribuída ao ex-deputado Alberto Lupion (DEM-PR), com respaldo do atual líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (Progressitas-PR), que teria sido apontado pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo relato do deputado Luis Miranda, como o responsável pelo “rolo” da Covaxin.

NOMEAÇÃO FRUSTRADA -O agora ex-diretor do Ministério da Saúde também quase ocupou uma diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no ano passado.

Bolsonaro desistiu da indicação após o Estadão/Broadcast mostrar que o diretor havia assinado contrato de R$ 133,2 milhões no Ministério da Saúde com indícios de irregularidade, para compra de 10 milhões de kits de materiais utilizados em testes de covid-19.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O escândalo é bipolar e está atingindo não somente o governo, como também as Forças Armadas. Como diria o Barão de Itararé, era só o que faltava. (C.N.)
 

8 thoughts on “General é nomeado para substituir o indicado do Centrão que se envolveu no rolo da Covaxin

  1. Mais um milico com a farda emporcalhada. Triste fim das forças armadas, oficiais superiores, subservientes a um governo imbecil. Impressionante…

  2. Bolsobárbaro é muitíssimo relutante nas tentativas malfadas ao fracasso, ou é do tipo que usa um abismo para tapar um buraco.
    Ora, se um dos mais graves problemas do seu desgoverno é o empestamento dos militares, na sua administração. Logo, insistir e persistir no uso duma súcia, na qual a burrice e outros desvios se fazem endêmicos, isso pode ser qualicado como autossabotagem.
    Salvo se o presidente entender, que para ficar no comando de uma récua, cada égua deve ser escoiceadora o suficiente, para dissuadir invasores, assim tornar o lote autossustentável e autodefensivo.

  3. Espero que as Forças Armadas não tardem a reagir logo aos desmandos desse idiota que diz governar o país e tirem esse boçal da presidência o quanto antes. Caso contrário, a reputação dos militares brasileiros estará irremediavelmente manchada por MUUUUITO TEMPO !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *