Gilmar Mendes diz que Forças Armadas devem acatar o debate institucional da urna eletrônica

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes Foto: Gustavo Miranda/Agência O Globo

Gilmar afirma que não há espaço para coações armadas

Mariana Muniz
O Globo

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quinta-feira que os representantes das Forças Armadas devem “respeitar os meios institucionais do debate sobre a urna eletrônica”.

A manifestação do novo decano da Corte ocorre após a notícia de que o ministro da Defesa, general Braga Netto, teria ameaçado impedir a realização das eleições de 2022 em recado dirigido ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

SEM COAÇÃO ARMADA – Em mensagem publicada nas redes sociais, o ministro também afirmou que “política é feita com argumentos, contraposição de ideias e, sobretudo, respeito à Constituição. Na nossa democracia, não há espaço para coações autoritárias armadas”.

“Os representantes das Forças Armadas devem respeitar os meios institucionais do debate sobre a urna eletrônica. Política é feita com argumentos, contraposição de ideias e, sobretudo, respeito à Constituição. Na nossa democracia, não há espaço para coações autoritárias armadas”, diz a íntegra da manifestação de Gilmar.

Além do decano, o ministro Luís Roberto Barroso, que preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também já havia se manifestado sobre o episódio, reafirmando que “temos Constituição em vigor, instituições funcionando, imprensa livre e sociedade consciente e mobilizada em favor da democracia”.

9 thoughts on “Gilmar Mendes diz que Forças Armadas devem acatar o debate institucional da urna eletrônica

  1. Gilmar Mendes e todos os ministros do STF só deveriam se manifestar nós autos ou quando forem atacados. Fora isso deveriam evitar qualquer comentário seja de política, religião ou futebol.

    • Nisso concordo.
      Não se vê nos EUA, na França notícia de Juízes falantes fora dos autos. Teve na Itália. Aqui no Brasil também tivemos muito com a Lava-jato… Eles não estão no cargo de jurisconsulto. Devem imparcialidade e atuação com discrição, longe dos holofotes.

  2. Boa noite , leitores (as):

    Senhores Carlos Newton , Jorge Béja e Marcelo Copelli que tronia e inversão de valores , o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), exigindo que os representantes das Forças Armadas “respeitem os meios institucionais constitucionais e legais do país , se ele mesmo e seus comparsas no STF , e membros do congresso nacional e do poder executivo , não as respeitam .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *