Gilmar Mendes pede investigação contra delegado que vazou inquérito contra Toffoli

Acusação a Toffoli deixou Gilmar muito chateado

Camila Mattoso
Folha

Ao votar pela anulação do acordo de delação de Sérgio Cabral, o ministro Gilmar Mendes indicou a necessidade da instauração de uma investigação para apurar possível abuso de autoridade e violação de segredo profissional do delegado que pediu o inquérito contra Dias Toffoli. A delação de Cabral foi conduzida pelo delegado Bernardo Guidali, do Serviço de Inquéritos Especiais da PF.

O pedido de inquérito contra Toffoli foi revelado pelo Painel, que mostrou também a investigação preliminar feita pela PF com autorização do ministro Edson Fachin.

VAZOU PARA A MÍDIA – Para justificar o pedido de apuração por violação ao segredo profissional, o ministro afirma que houve “vazamento seletivo das informações deste caso sigiloso para a mídia”.

Sobre o suposto abuso de autoridades, Mendes afirma que o delegado não tinha autorização do STF para fazer as apurações preliminares que resultaram na produção de um relatório que acompanha os depoimentos de Cabral no pedido de abertura de inquérito.

“A ampla investigação realizada em primeira instância, sem autorização do STF, é flagrantemente ilegal para aqueles que, como o delegado responsável pelo caso, se encontram familiarizados com as regras de competência dos Tribunais e dos processos contra autoridades com foro por prerrogativa de função”, diz trecho do voto do ministro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Na ânsia de defender o amigo, Gilmar Mendes extrapolou e mentiu, ao dizer que o delegado federal não tinha autorização para investigar Toffoli por suspeita de venda de sentenças, porque na verdade existia a autorização, dada pelo relator Edson Fachin. Bem, como está na moda mentir em Brasília, é só embrulhar e mandar, porque ninguém se interessa e Gilmar é mestre nessa especialidade. (C.N.)

6 thoughts on “Gilmar Mendes pede investigação contra delegado que vazou inquérito contra Toffoli

  1. Considerando todas as opiniões favoráveis à autonomia dos delegados, mas essa ingerência petulante de policiais, nas vidas de quaisquer cidadãos – sejam eles com foro ou desaforados – isso parecisa de uma reformulação urgente!
    Sufocada e acorvardada diante da criminalidade, a população até dá amém a certas atitudes tiranas e ilícitas das polícias.
    Esse tema me remete ao que diz um cunhado meu, membro da PMSP: “Sou mil vezes mais importante que um juiz; em um minuto decido se elimino o cara ou deixo vivo. As provas e as contraprovas, depois a gente forja”. Quer dizer: de tanta autoconfiança, as polícias estaduais se converteram em facções pandemônicas, autodefensivas e impuníveis.
    Hoje, quando um “bandicoal” aborda um cidadão, a primeira coisa que ele assalta é o celular. Se o coitado dizer que não tem celular, aí a coisa fica feia, como se fosse obrigatório todo mundo portar esse tipo de telefone. Sob o pretexto de encontrar algum arquivo comprometedor, no aparelho, o bandido chapa-branca mata dois coelhos com uma cajadada só: bisbilhota o que lhe interessa, deixa a vítima desprovida de meios, para comunicar à família ou a um advogado o que está passando-se com ele. Fica no mato sem cachorro. No final, em muitos casos, o samango olha pro coagido e pergunta: “Cê tem nota fiscal desse aparelho?” Nããããooo! “Então já era Mané! E cala o bico, morou!”
    Atualmente, as polícias dos estados compõem o staff armado do crime organizado.
    Em cidades pequenas e de porte médio, policiais atormentam as vidas dos moradores. Na minha cidade, alguém ganhou R$ 6.300.000,00 na Lotomania. Na brincadeira, um grupo de Whatsap atribuiu a sorte grande a um dos participantes. A partir daí o suposto ganhador perdeu o sossego: bastava sair com seu veículo, para ser parado pra revista: naquela papelada que todos conduzem, os policiais queriam encontrar uma pista.
    Outro aqui foi um jovem que entrou, no tráfico. Ele foi “achacado”, em muitas oportunidades a mando de um coronel, para chegarem a um “acerto”, o que o suspeito sempre recusou. Resultado: depois ele foi assassinado com cinco tiros, em circunstâncias misteriosas.
    Proporcionalmente, policiais são recordistas em espaçamentos, torturas psicológicas, cárceres privados e assassinatos contra esposas e namoradas Quantos você já viu punidos?
    Isto é apenas a face light das desgracas que já vi.
    -Plutônio nesses bandidos compulsoriamente remunerados pela sociedade!

    • Sr. Paulo,
      Se a puliça é ruim, imagina as milícias?

      Por isso é que digo:

      Se o demônio se reeleger, vamos comer o pão que o diabo amassou por um bom tempo.

      Um abraço,
      JL

  2. Boa noite , leitores (as):

    O senhor Paulo III , tens algo á ” GANHAR ” com o amordaçamento das polícias Brasileiras ?
    O povo Brasileiro de bem só tem a perder, o senhor acha pouco a negligência e insensatez do Presidente Jair Messias Bolsonaro e seus comparsas na gestão da crise médico/sanitária no Brasil , que estão se aproveitando p/roubarem o dinheiro público , destruindo ás instituições , debochando , caçoando e fazendo chacotas c/as mais de 400 mil pessoas mortas e com seus familiares?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *