Golpe contra a Petrobras é de R$ 3,7 trilhões, mesmo valor da dívida pública

Resultado de imagem para divida publica charges

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

Carlos Newton

Como o assunto é importantíssimo e a grande mídia não se interessa, vamos voltar a ele. O golpe que a gestão de Pedro Parente armou contra a Petrobras deveria ser o assunto principal do país, neste momento, suplantando em muito a sucessão presidencial, a corrupção epidêmica e a crise eterna da segurança pública, entre outras mazelas. Mas o assunto não frequenta as páginas dos jornais, cujos analistas desconhecem em profundidade a questão e não lhe dão a devida importância, julgam que se trata de mais um enfrentamento entre estatizantes e privatizantes.

Na verdade, o problema é muito mais grave, significa uma ameaça direta à segurança nacional, e o silêncio sobre o assunto só pode ser proposital. Não foi por mera coincidência que o projeto Aleluia teve aprovação pela Câmara na calada da noite, com rótulo de “urgente” e sem passar pelo crivo das comissões técnicas, em plena Copa do Mundo, vejam o profissionalismo que marca este golpe aplicado contra o Brasil pelo próprio Conselho Administrativo da Petrobras, que é pago para zelar pelos interesses nacionais.

SILÊNCIO TOTAL – A grande mídia, que se encontra em avançado processo de falência, é é direta ou indiretamente bem paga para silenciar sobre o assunto, não há outra explicação. Como pode ser aprovado sem debate um projeto parlamentar que envolve interesses da ordem de US$ 1 trilhão, valor equivalente à dívida pública que está aniquilando o Brasil e impede seu desenvolvimento?

Como uma proposta deste nível pôde ser aprovada sem passar pelas comissões técnicas da Câmara e sem que a Polícia Federal e a Guarda Nacional fossem acionadas para algemar os responsáveis por este crime contra a nação? Ou esse grande golpe vai acabar em pizza, sem que ninguém seja responsabilizado?

Os números são estarrecedores. Poucos países do mundo (o Brasil, apesar de tudo, ainda é a nona economia) sabem o que significa US$ 1 trilhão, equivalente a R$ 3,7 trilhões, o total exato da dívida pública brasileira no final de junho.

IDIOTA COMPLETO – O projeto Aleluia foi aprovado numa manobra do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que é um idiota completo, nada entende de economia e não levou um tostão, bastou dizerem a ele que a proposta era contra os estatizantes defensores da Petrobras e ele logo aderiu à “causa liberalizante”.

A proposta permite a venda de 70% das reservas da Petrobrás obtidas pela chamada Cessão Onerosa (o que pode representar até 3,5 bilhões de barris). E vai possibilitar, também, a entrega do petróleo do excedente da Cessão Onerosa, avaliado entre 9 e 14 bilhões de barris.

No total, está se tratando de riqueza potencial de mais de US$ 1 trilhão, estimando-se o barril de óleo a US$ 70, que a Petrobras extrai pelo custo de ridículos 8 dólares no pré-sal, rivalizando com o Oriente Médio, que extrai a 7 dólares em alguns campos.

TRADUÇÃO SIMULTÂNEA – Para quem não conhece o ramo, é preciso esclarecer. Segundo a Agência Internacional de Energia, os custos de exploração e desenvolvimento variam entre 7 e 35 dólares por barril.

O petróleo extraído no Oriente Médio apresenta o menor custo (7 dólares), enquanto o óleo não-convencional produzido nos EUA  (xisto) apresenta o custo mais elevado (35 dólares). O óleo de águas profundas apresenta um custo intermediário, de cerca de 18 dólares por barril. Mas a Petrobras já extrai a 8 dólares (ou 7 dólares, dependendo do câmbio), como se o Brasil fosse a Arábia Saudita do Século XXI. Pense nisso.

NAS MÃOS DO SENADO – O projeto foi criminosamente aprovado na Câmara, em regime de urgência, sem passar pelas Comissões Técnicas, praticamente sem debates, na calada da noite, em plena euforia da Copa do Mundo.

Agora, foi encaminhado ao Senado para ser votado após o recesso. Espera-se que o presidente Eunício de Oliveira (MDB-CE) tenha um ataque de bom senso e faça esta proposta tramitar pelas comissões técnicas. Eunício precisa lembrar que foi iniciado na política pelo sogro Paes de Andrade, um deputado que fez carreira defendendo os interesses nacionais. Sempre foi um ferrenho integrante do “MDB Autêntico”, a ala comandada por dr. Ulysses Guimarães.

###
P. S.
Como dizia nosso amigo Carlos Chagas,  o episódio da visita que Paes de Andrade fez à sua terra, Mombaça, no exercício da Presidência da República, é um episódio menor na trajetória do deputado cearense. Ele deve ser lembrado pela defesa dos interesses nacionais. Na ditadura militar, Paes de Andrade chegou a ser cassado, mas ao redigirem o Ato Institucional, escreveram deputado “Vaz de Andrade”. O presidente da Câmara, Auro Moura Andrade, se fingiu de distraído e não houve a cassação. Mas isso é outra história. (C.N.)

13 thoughts on “Golpe contra a Petrobras é de R$ 3,7 trilhões, mesmo valor da dívida pública

  1. Sem fuzilamento não chegaremos a lugar nenhum. Sem um Judiciario justo, não teremos uma Contabilidade séria, Sem uma Contabilidade séria é impossível um país organizado.

    Vou bater nesta tecla até a exaustão. O problema do Brasil é JURÍDICO/CONTÁBIL

  2. Infelizmente seu artigo não substancia o que afirma. Por exemplo, os dois parágrafos de TRADUÇÃO SIMULTÂNEA. De onde saiu isso? As fontes? São primárias? Que tal a citação de algumas figuras de escol na área de petróleo e, sobretudo, prospecção e refino?

  3. Pois é! O Circo esta dando espetáculo!
    Os PALHAÇOS enriqueceram R$3.000.000.000,00 !!
    E o Brasil tem uma Constituição!
    E as Instituições funcionam!
    E temos soberania!
    Nossa FFAA zelam pelo Brasil e a segurança do seu povo!
    E é tudo uma marolinha!
    E o Chacrinha lhe domina!
    É hora da buzina!
    Vai lá e aperta um numero na urna eletrônica! Voce não assistiu ao comercial?!
    Para sempre mais circo!
    Viva os palhaços brasileiros!

    So falta arrumar a casa, aí sim poderemos comprar maquiagem de palhaço para os Maias, os Eunícios, Padilhas, Angorás, Jucás Temers, que trabalham tão descaracterizados, tão pobres…

  4. Há décadas que se fala da elite brasileira, que é entreguista, anti-nacional e anti-povo.

    Podemos dizer hoje em dia com certeza que nunca existiu uma “elite brasileira” e sim uma “elite estrangeira ou a serviço do imperialismo”, completamente servil aos interesses do capital internacional.

    As corporações e o sistema financeiro tem nessa elite os seus melhores funcionários e serviçais.

    Triste Brasil!!!

  5. Sr. CN, algum país decente e honesto faz ou fez

    uma entrega nesse montante ???

    Isso é um absurdo, lesa Pátria….

    Para vocês que querem votar em um ultraliberal,

    mãos a obra, vamos empobrecer o país.

    Bacana mesmo….. Onde a “vaca vai o boi vai

    atrás”…. vamu lá gado!

  6. …”No total, está se tratando de riqueza potencial de mais de US$ 1 trilhão”, conforme diz Carlos Newton. A palavra chave: potencial. São muitas as variáveis numa equação destas (econométrica?), e o tempo é uma delas. A exploração de tal volume será em quantos anos? E o impacto e a substituição dos fósseis pela energia alternativa no período?

    Quando a telebrás foi pro saco, literalmente, previa-se o colapso das comunicações. Estamos hoje com a internet, várias operações de empresas de telecomunicação, (até lulinha tá rico nesta!) sem a qual não leríamos a TI.

  7. Aparentemente o seu ponto de vista parece estar correto, sobretudo pelo fato de não termos uma política energética de longo prazo. O fato é que o petróleo para nós brasileiros deveria se resumir em ser um produto de exportação, claro que refinado para ter maior valor agregado, pois a movimentação de máquinas, motores e iluminação, deveria em nosso pais ser feita exclusivamente com a utilização de energia elétrica gerada das mais diversas formas (excluindo-se as termelétricas a diesel) e deveria ser política de governo a geração de energia à partir da captação de energia solar e sua conversão em elétrica, sabendo-se que cada imóvel neste país é um gerador e consumidor potencial desta energia. Os preços dos painéis solares por este motivo devem ter como comparação o que aconteceu com os “chips” de computadores na década de 70 do século passado, que depois com a economia de escala pelo uso disseminado de “chips” em diversos equipamentos eletrônicos caiu drasticamente, e se combinado com o desenvolvimento de baterias de maior capacidade de armazenamento, aliviaríamos as linhas de transmissão de energia. Após este preambulo veremos que num futuro não tão distante o petróleo terá outras aplicações principais que não esta de mover máquinas e motores, continuando como matéria prima para fabricação de muitos produtos. Acontecerá com o petróleo algo semelhante, porém atenuado, ao que aconteceu com o carvão no passado. Já utilizamos a energia eólica, como também já usamos a biomassa (como exemplo o bagaço da cana usado pelas usinas de açúcar e álcool) para gerar energia. Temos que aproveitar enquanto o petróleo é o principal gerador de energia no planeta e vendê-lo bem vendido, aplicando os recursos daí provenientes com sabedoria. A meu ver essa é que deveria ser a discussão.

  8. Não entendi a causa Da revolta do nosso redator. Ora, o senhor diz que aprovaram a venda – venda! Ora, se o preço de venda for razoável, qual o motivo de Perturbras manter a posse do petróleo? Não entendi, sr Newton. Por favor, esclareça esse seu leitor de parcos conhecimentos petrolíferos. Por favor. Je vous remercie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *