Gostem ou não gostem, a vitória foi do Lula. Sem as Forças Armadas, principalmente o equipamento pesado da Marinha, nada teria sido feito. Tristeza, lamento, decepção, ninguém foi preso. Cabralzinho tentou “capitalizar”, não conseguiu.

Helio Fernandes

Foram 10 dias que abalaram o Rio. Desde o meio da semana passada, o ainda presidente Lula decidiu implantar a operação final contra os traficantes do Alemão. São os mais poderosos, os mais abrangentes, que controlavam os morros e as ruas, tinha início a batalha, perdão, a guerra.

Desde o domingo 21, (terminando anteontem, domingo 28) estava plantada a operação federal, comandada e preparada durante três dias pelo próprio Lula. Não se sabia de nada, este repórter só veio a saber dos detalhes no domingo, quase madrugada de ontem. Por isso só conto agora.

Depois de conversar pessoalmente com os comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica, Lula resolveu dar início à verdadeira operação armada. O presidente nem tomou conhecimento de Nelson Jobim, ele é Ministro da Defesa, mas cada Arma tem o seu Comandante, eles é que decidem. E decidiram diretamente com o presidente.

Basta verificar o fato que foi desprezado antes e que estava bem claro, ninguém concluiu, nem mesmo este repórter, trabalhando intensamente. Os 4 generais que apareceram fardados e não para atividades burocráticas, só falaram durante 5 minutos e desapareceram.

Não apareceram mais, o exibicionismo ficava por conta de Nelson Jobim. Disseram: “Estamos autorizados pessoalmente pelo presidente da República. Ele recomendou que não usemos armas, a não ser numa emergência”.

Esses militares do mais alto escalão, que surgiram para tornar públicas as ordens do presidente, (que constitucionalmente é o “Comandante-em-chefe das Forças Armadas”) desmascararam e desmoralizaram a participação de cabralzinho, que fazia força enorme para se colocar na cúpula de tudo.

Tudo acertado com os três comandantes militares, estabelecidos os mínimos detalhes da operação e da hierarquia, na segunda-feira, dia 22, Lula telefonou para cabralzinho, C-O-M-U-N-I-C-A-N-D-O o que ficara decidido, estabelecido, coordenado com os comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica.

Cabralzinho levou um susto, a “inteligência” não o informara de coisa alguma. Quando recebeu o telefonema do presidente, cabralzinho não percebeu que era, tentou primeiro resistir e depois apelar: “Presidente, e a minha posição nisso tudo, como é que fica?”. E Lula, inflexível: “Já decidi tudo com os comandantes militares. Você faz o que achar conveniente, mas a Operação já está montada e será executada”.

Lula, junto com assessores, fazia questão de repetir as mesmas exclamações dos moradores: “Não aguento mais o domínio desses traficantes, será o GRANDE PRESENTE para a população do Rio, que vem sofrendo e sendo castigada por dezenas de anos”.

O presidente cumpriu inteiramente o que planejara, e as Forças Armadas executaram. As declarações mentirosas de cabralzinho (“pedi ao presidente Lula, AJUDA para ACABAR com os traficantes”), provocaram gargalhadas no Planalto.

A perplexidade do presidente se manifestou quando informado de que ninguém foi preso. Assombrado, ainda perguntou o que todo o Rio e o Brasil perguntavam: “Mas não garantiram na véspera, e no dia mesmo da invasão, (domingo, anteontem) que todo o Complexo do Alemão estava cercado, ninguém ENTRAVA ou SAÍA?

O presidente estava disposto a pedir explicações, foi desaconselhado. Achavam, muito justamente, que não era o momento de estimular ressentimentos, acelerar divergências, manifestar descontentamentos pretensamente hierárquicos.

Agora é hora de corresponder à SATISFAÇÃO, à ALEGRIA, ao CONTENTAMENTO do povo. Por exemplo: para onde irão os chefões que fugiram tranquilamente do Alemão? Além da droga, eles controlavam, comandavam e autorizavam os arrastões nas ruas de todo o Rio capital.

Se os arrastões continuarem, a prova de que estão ainda em ação. Se pararem, se não incendiarem mais ônibus e carros, é outra observação. Esse pessoal do Alemão, criou um grupo “especialista” em roubos de carros. Param os motoristas, geralmente de carros mais luxuosos. Perguntam: “Teu carro tem GPS?”. Se a resposta foi afirmativa, dão um tiro na testa do motorista, vão embora, sem levar o carro, facilmente localizável. Se o motorista diz que não tem GPS, mandam ele embora, roubam o carro sem maior atropelo. Roubo com conhecimento da alta tecnologia.

Perguntinha das muitas que envolvem cabralzinho com os traficantes, o crime organizado (?), o Poder paralelo: o TELEFÉRICO que está sendo construído na favela (um avanço para os moradores, se puderem se servir dele) tinha AUTORIZAÇÃO dos SENHORES dos MORROS?

Muitos meses de trabalho, observação, decisões, serão necessários. Como já disse lá em cima, é preciso explicar a fuga de TODOS OS CHEFÕES. E a seguir saber do comportamento deles a partir de ontem, e do tempo que virá.

As tropas das Forças Armadas podem ir embora, desde que o equipamento pesado seja mantido. É que tem que começar imediatamente o estabelecimento SOCIAL e TRABALHISTA de uma política de remuneração dos homens da Polícia Militar.

Conforme mostrei ontem, não podem continuar “recebendo” salários miseráveis, verdadeiramente escravos. Se o deputado Picciani, (derrotado, grande amigo de cabralzinho) é indiciado por EXPLORAÇÃO DE TRABALHO ESCRAVO, o Poder Público não pode cometer o mesmo CRIME.

***

PS – Muita coisa precisa ser explicada ao povão, saber se foi ESQUECIMENTO premeditado ou puro equívoco.

PS2 – Exemplo: sempre se soube e se divulgou, que no Complexo do Alemão, moram 400 mil pessoas. Ontem, oficialmente foi divulgado: “No Complexo do Alemão existem 13 mil residências, que serão vasculhadas nos próximos dias”.

PS3 – Alguma coisa não confere: 400 mil pessoas em 13 mil residências, aritmética e socialmente, dá 31 habitantes por cada casa de favelado. Mesmo para esse tipo de “moradia e moradores”, é impossível.

PS4 – Informação gravíssima, que deve ser apurada, investigada, punida: “Empreiteiras teriam construídos sofisticados túneis subterrâneos, por onde os bandidos fugiram”. Essas empreiteiras são as que TRABALHAM na construção do teleférico? Pode ser mais uma explicação para o acordo bandidos-governo-do-Estado-do-Rio.

PS5 – Detalhes bizarros e bizonhos que devem ser ressaltados. A televisão mostrou uma casa (APENAS UMA CASA) de luxo, e insistiam; “TEM ATÉ PISCINA”. Ha!Ha!Ha! A piscina é o mais barato numa casa. É só estabelecer o tamanho da piscina.  

PS6 – Cavam um buraco, revestem, enchem de água e pronto. A penúltima casa do Leblon, com apartamentos já vendidos por 7 milhões e meio, com piscinas que não custam 1 por cento desse valor. No luxo da Barra, casas de 10 milhões, o preço da piscina, na mesma proporção.

PS7 – A piscina mostrada na televisão, é apenas um tanque. Mais tarde botaram dois garotos brincando ali, ficou visível a falta de conhecimento geral. E os T-R-A-F-I-C-A-N-T-E-S, ONDE ESTÃO?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *