Governadores criticam Bolsonaro, falam em demissão de Mandetta e impeachment

Resultado de imagem para witzel

Witzel contesta Bolsonaro e segue as recomendações da OMS

Camila Mattoso
Folha

Governadores criticaram o pronunciamento de Jair Bolsonaro em rede nacional, na noite desta terça-feira (dia 24), e dizem que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, perdeu legitimidade no governo.

O presidente voltou a se referir ao coronavírus como “gripezinha” e “resfriadozinho”, disse que o isolamento é exagero, criticou os gestores que optaram por fechar escolas e culpou a imprensa pelo que chama de histeria.

AUMENTAM AS VÍTIMAS – Segundo o Ministério da Saúde, 46 pessoas morreram vítimas da doença e mais de 2.000 foram infectadas.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), afirmou que a fala indica que “estamos sem direção”. “Desconectado da realidade, desconectado da ação do Ministério da Saúde, atrapalha o trabalho dos governadores e menospreza os efeitos da pandemia”, afirmou.

“Os governadores precisam se reunir, estamos sem coordenação. O ministro e os governadores de um lado e o presidente menosprezando a pandemia de outro”, disse.

DESAUTORIZA MANDETTA – O discurso, segundo o capixaba, desautoriza ainda o trabalho do ministro Mandetta. “O ministro não tem legitimidade para permanecer mais no ministério”, disse.

Flávio Dino (PC do B), governador do Maranhão, avalia que Bolsonaro “viu que perdeu a governabilidade”. “Ele mesmo deflagrou o seu próprio processo de impeachment. Está completamente fora da realidade”, afirmou.

Fátima Bezerra (PT), governadora do Rio Grande do Norte, disse que a declaração “é de uma perplexidade sem tamanho, é inaceitável e lamentável”.

NA CONTRAMÃO DO MUNDO – “Confesso que depois da iniciativa do presidente, de ter atendido os governadores, achei que fosse mudar”, disse ela. “E aí hoje ele vem com essa postura e com esse conteúdo, totalmente na contramão de todas as medidas que, com tanto esforço e responsabilidade, os governadores e prefeitos vêm enfrentando a pandemia?”, disse.

A governadora do Rio Grande do Norte afirmou que os cuidados estão sendo recomendados em todo o mundo e que o país precisa de união contra a doença.

“Espero que o presidente não insista nesse caminho”, afirmou ela.

NÃO É “GRIPEZINHA” – Wellington Dias (PT), do Piauí, gravou um vídeo em que lembrou que uma boa parcela dos infectados pelo coronavírus em outros países estão sendo internados por semanas na UTI, entubados.

“No Piauí tive que tomar medidas duras, de suspender cirurgias marcadas, de casos importantes, seguindo orientação do ministro da Saúde do seu governo [de Bolsonaro] para garantir vagas para quem pudesse precisar, por conta do coronavírus […] ​Não se faz isso por uma gripezinha.”

“Sei que as pessoas terão prejuízo, mas há algo em primeiro lugar agora, é a vida humana […] Vamos seguir com o isolamento social onde for necessário, com a ciência e com Deus”, disse.

ASSEGURAR TRATAMENTO – Hélder Barbalho (MDB), governador do Pará, informou em nota que trabalha para assegurar tratamento dos infectados.

“Todo o nosso objetivo é aliviar o sistema de saúde para que as pessoas que eventualmente fiquem doentes possam ser tratadas. Por isso, suspendemos temporiariamente as aulas, festas, o comércio e os bares. Com menos gente circulando, o vírus circula menos e a gente não tem uma multidão batendo nas portas dos hospitais ao mesmo tempo”, disse.

Ele afirmou ainda que espera que as medidas anunciadas pelo ministro Paulo Guedes (Economia) “precisam ser colocadas em prática imediatamente, porque as empresas não aguentam muito tempo.”

NO MELHOR CAMINHO – Camilo Santana (PT), governador do Ceará, publicou em suas redes sociais um comentário em que afirma que todas as medidas tomadas foram recomendadas por profissionais da saúde “e têm sido a melhor forma de enfrentamento ao coronavírus”.

“Tenho apenas um comentário a fazer: vamos continuar trabalhando fortemente as ações que visam evitar o avanço do coronavírus em nosso estado, como temos feito até aqui”, destacou o governador do Ceará.

OBEDECER A OMS – No Rio de Janeiro, antes de participar de uma videoconferência com o presidente Bolsonaro e os governadores do Sudeste, Wilson Witzel afirmou que não é possível seguir o que diz o presidente Bolsonaro, pois ele está o contrário do que recomendam a Organização Mundial da Saúde e o próprio Ministério e instituições especializadas do país.

Disse Witzel que o presidente pode falar o que bem entender, mas os governadores continuarão obedecendo as recomendações da OMS e dos cientistas brasileiros.

26 thoughts on “Governadores criticam Bolsonaro, falam em demissão de Mandetta e impeachment

  1. Isso mesmo. Para os políticos e bom. Não precisam correr atrás do pão de cada dia.
    São mais de 40 milhões de autônomos. Vão passar fome??? Ou os governadores vão pagar as contas deles.

  2. A responsabilidade é dos governadores.
    O blog acha que o Mandetta está fazendo um mau trabalho, então sugira o ministro da saúde do Lula, que, atualmente, é deputado daquela turma que vive querendo o mal do Brasil, e , como a maioria da pocilga, vivendo às nossas custas.
    Bando de crápulas.

    • Não sei de onde você tirou isso, Albuquerque Lima. O blog acha Mandetta é o melhor ministro da Saúde desde José Serra, que enfrentou e derrotou o lobby dos laboratórios multinacionais. Pessoalmente, não gosto do Serra, mas reconheço que trabalhou bem, numa área que não é a dele.

      Abs.

      CN

  3. Sem golpe. Foi o PT que espalhou UPAs por todo o país, embora a saúde seja de responsabilidade dos municípios. Percebam que os golpistas de 2016 estão de volta. Golpe não resolve. Esperem mais 3 anos e avaliem melhor em quem votar.

    • Eis um ponto importante a se ponderar. Se culpam chineses por não divulgarem a epidemia, embora tenham fechado os acessos de uma cidade com milhões de habitantes e depois suas fronteiras, o que resta para a Itália que se preocupou em não perder seus turistas.
      É essa a responsabilidade que o presidente do país pretende assumir?

  4. Fico abismado e preocupado com a fala de alguns governadores de que “o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, perdeu legitimidade no governo”.

    Não obstante o atual ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta seja filiado a um partido deplorável, o DEM , e tenha contra ele um processo por desvio de dinheiro público em seu Estado (mas isso é a regra, e não exceção no ambiente parlamentar) – Mandetta responde a processo por corrupção cometido quando era parlamentar , embora eu não o esteja nem o perdoando nem o condenando por causa disso, e aliás o processo está paralizado e sem julgamento na Justiça, o fato é que, apesar disso tudo, o ortopedista Luiz Hentique Mandeta está efetuando um árduo e produtivo trabalho para atenuar a crise trazida pelo coronavirus. Verdade que há bons médicos e sanitaristas no Brasil, mas demitir Mandetta, já experiente e fortemente engajado no combate ao coronavirus, até mesmo para um experiente sanitarista mas sem a experiência já adquirida por Luiz Henrique Mandetta, tanto administrativa como técnica no combate a esta virose mortal passa a ser uma temeridade.

    Além do mais, Mandetta nada tem a ver com os recados, transmissões desastradas televisivas e twites do Presidente Bolsonaro. Não é Mandetta quem aconselhou Bolsonaro a misturar-se ao público, apertar a mão de apoiadores em manifestação na porta do Palácio, a convocar reuniões com conglomeração de pessoas em seu narcísico apoio, ou a proferir ofensas a jornalistas e políticos, nem a chamar o coronaviris de “gripinha”

    Repito: Mandetta é filiado a um partido podre, tem contas a acertar com a Justiça, todavia está sendo um excelente ministro da Saúde, especialmente em tempos de crise universal pandêmica. Junto com Sérgio Moro, compõe a dupla de melhores ministros escolhidos por Jair Bolsonaro, destacando-se entre a plêiade de ministros fracos, puxa sacos e incompetentes que foram e permanecem escolhidos pelo atual presidente da República.

    Sou favorável a que Luiz Henrique Mandetta, permaneça no cargo de ministro da Saúde enquanto durar o governo Bolsonaro, e as contas que tem para acertar com a justiça fiquem para depois que o coronavirus não mais seja ameaça no Brasil.

    Não tem cabimento a fala de alguns governadores que desejam a cabeça de Mandetta, e este desejo não provém do processo que Mandeta responde na Justiça, muito menos de sua filiação ao partido podre DEM, até porque os governadores que querem sua cabeça se alojaram em partidos mais fisiológicos e mais condenáveis de que o próprio DEM. Me parece que este movimento dos governadores tem o fito apenas de fustigar e minar mais o já desacreditado governo de Jair Bolsonaro. Eu também não quero mais Bolsonaro, mas não concordo com este golpe baixo e covarde dos governadores..

  5. Este ser psicopata deveria após este momento conturbado ser enquadrado na lei de segurança. Não basta o Judiciário ser o poder mais corrupto, estão querendo lançar este tipo no poder executivo. Psicopata é o melhor adjetivo para esta criatura das trevas. Bem fez Gabigol que ignorou este sujeito rasteiro.

  6. Esse Witzel, não tem competência para cuidar da água do Rio de Janeiro e quer comandar o país numa crise como essa?

    Doria soube do corona e implicações em janeiro, montou uma gabinete de crise e mesmo assim patrocinou e participou do que ele chamou de “maior carnaval da história” com inúmeros convidados estrangeiros. Foi negligente com o perigo. Esse é outro que comandar o Brasil nesta crise?

    Bolsonaro esta certo na estratégia de expor os governadores. Lidarmos só com o vírus é melhor do que lidarmos com o vírus, desemprego e fome. Tem que colocar na conta dos governadores sim.

    E o STF? Que vergonha? Dar suporte inconstitucional a esses governadores irresponsáveis.

    O Mandetta era bom até criticar a mídia e governadores. Por isso agora pedem a sua demissão. Bando de canalhas e lesa-patria!

    Como disse o presidente, depois desta crise, o povo saberá que disse a verdade e enganou o povo.

  7. O Presidente da República,Jair Bolsonaro,com suas declarações estapafúrdias, está protocolando,seu próprio impeachment.Conseguiu a unanimidade da Nação.Todos contra.
    Realmente uma pena.
    Sorte que podemos contar com o vice-presidente,general Hamilton Mourão.

  8. Um recado (advertência) para Wilson Witzel e Marcelo Crivella

    O GLOBO – 25/03/2018

    SEM ÁGUA E ESGOTO, MORADORES DA CIDADE DE DEUS CONVIVEM COM MEDO DA EVOLUÇÃO DA PANDEMIA

    (Em vez de cuidar desta comunidade abandonada, que já registrou paciente com coronavirus, Wilson Witzel conspira com governadores para afastar Bolsonaro do governo, com golpe baixo, sugerindo a destituição do ministro da Saúde  Luiz Henrique Mandetta)

    Região foi a primeira comunidade a registrar um caso de coronavirus

    Por: Gustavo Goulart e Rafael Nascimento Sousa

    https://oglobo.globo.com/rio/sem-agua-esgoto-moradores-de-cidade-de-deus-convivem-com-medo-da-evolucao-da-pandemia-24326607

  9. O GLOBO – 25/03/2020

    PREOCUPADA COM ECONOMIA, ITÁLIA IGNOROU QUARENTENA ANTES DE SE TORNAR EPICENTRO DO CORONAVIRUS NA EUROPA

    Premier mudou estratégia quando mortos começaram a subir exponencialmente. País tem hoje mais de 1.500 mortos

    https://oglobo.globo.com/mundo/preocupada-com-economia-italia-ignorou-quarentena-antes-de-se-tornar-epicentro-do-coronavirus-na-europa-1-24327729?utm_source=notificacao-geral&utm_medium=notificacao-browser&utm_campaign=O%20Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *