Governadores dizem que não permitirão uso político das Polícias Militares no dia 7

Governadores em reunião na sede do Governo do DF

Governadores querem realizar reunião com os três Poderes

Renato Machado e Thiago Resende
Folha

Em um momento de elevada tensão institucional, os governadores de estados realizaram uma reunião na manhã desta segunda-feira (23) e decidiram atuar conjuntamente para tentar harmonizar a relação entre os Poderes, pedindo inclusive uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na próxima semana.

“O objetivo é demonstrar a importância de o Brasil ter um ambiente de paz, de serenidade onde possamos garantir a forma de valorização da democracia, mas principalmente criar um ambiente de confiança que permita atração de investimentos, geração de empregos e renda”, disse o governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

RUPTURA INSTITUCIONAL – A reunião do Fórum dos Governadores já estava prevista, mas de última hora teve incluída na pauta a possibilidade de uma ruptura institucional. O assunto veio à tona nos últimos dias após a série de ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Além de Ibaneis e Dias, outros 22 governadores, entre eles o de São Paulo, João Doria (PSDB), participaram de forma remota. A postura de Bolsonaro, que apresentou nesta sexta-feira (20) um pedido de impeachment do ministro do STF Alexandre de Moraes, foi criticada por governadores

“Foi uma proposta de consenso de todos nós, governadores, pela nossa disparidade de posições políticas e partidárias, mas, pela harmonia que temos no nosso grupo, nós temos condições de ajudar nessas relações”, afirmou Ibaneis.

POLÍCIAS MILITARES – Outro item de preocupação abordado durante a reunião foi a atuação de policiais militares durante a crise institucional no país. Os governadores então assumiram um compromisso público e formal de que as corporações não serão usadas politicamente.

“Aprovamos por parte dos estados um compromisso de que as polícias dos estados estarão atuando na forma e nos limites da Constituição e da lei. É um compromisso do Fórum dos Governadores”, afirmou Wellington Dias.

Ibaneis Rocha foi questionado especificamente sobre a atuação da Polícia Militar do Distrito Federal durante os protestos do dia 7 de setembro. Respondeu que ele e seu comandante têm total controle sobre a corporação. “Não tenho menor dúvida, que na Polícia Militar aqui do Distrito Federal não teremos nenhum tipo de insubordinação”, afirmou.

RESISTÊNCIA – Durante a reunião, houve resistência da parte de alguns governadores a adotarem uma postura de maior confronto com Bolsonaro, segundo alguns presentes no evento.

Em mais um sinal de cautela, os pedidos de reuniões serão encaminhados a todos os chefes dos Poderes e não apenas a Bolsonaro. Segundo informou Dias, as cartas individuais solicitando os encontros e apresentando a agenda a ser discutida serão elaboradas até o fim desta semana, para que seja possível realizar as reuniões já na próxima semana.

Serão encaminhados ofícios para o presidente da Câmara e do Senado, respectivamente Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e também para o presidente do STF, ministro Luiz Fux.

13 thoughts on “Governadores dizem que não permitirão uso político das Polícias Militares no dia 7

  1. Encarecidamente Senhor Carlos Newton me faça entender; o que aconteceu na passeata pacífica no Recife/PE onde dois cidadãos que nada tinham com o movimento, foram atingidos por balas de borracha e perderam uma vista cada um. As imagens falam por si. Até hoje ainda não houve explicação.
    PS: Black blocks, quebram, apedrejam, e etc e ninguém vai preso.

  2. A luta do PT contra o bolsonarismo

    – José Dirceu faz lobby por André Mendonça no STF

    – Senadores petistas reconduzirão (junto com a nata da baixa política brasileira) Augusto Aras à PGR, pois ele “descriminalizou a política” (isto é, ignorou crimes do Presidente)

    Zé Dirceu trabalha para aprovação de André Mendonça para o STF no Senado, diz coluna
    https://www.bnews.com.br/noticias/politica/319789,ze-dirceu-trabalha-para-aprovacao-de-andre-mendonca-para-o-stf-no-senado-diz-coluna.html

  3. Fora da pauta.

    Gente, é realmente assustador o que está acontecendo com relação aos currículos que as pessoas estão fabricando.

    Este país é uma brincadeira!!

    Acho que a justiça tem que se debruçar nisso e punir os falsários.

    Essa atitude (falsificação) deveria
    Ser punida com três anos de reclusão no mínimo. Sem direito a recurso!

    Caramba! Não há nenhuma punição pra falsificadores?
    JL

    https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.oantagonista.com/brasil/reverendo-amilton-nunca-estudou-teologia-na-faculdade-onde-diz-ter-se-formado/amp/&ved=2ahUKEwjhjLbBqsjyAhVwGbkGHQYHBUEQlO8DKAB6BAg8EAE&usg=AOvVaw0gFm5Ky9ZnDOVImrKn5aK2

  4. Teriam que ter visto isso muito antes.

    As células (insubordinada) foram implantadas ao longo dos anos especialmente com a Força Nacional de Segurança.

    É fato de que contingentes das polícias militares cedidos para a criação de uma Força Nacional de Segurança, do Governo Federal, serviu para semear células nas Polícias que, num propósito de curto médio prazo, conseguiriam cooptar o maior número possível num menor tempo.

    Tempos atrás, ima Major ou Capitã – não lembro agora – denunciou que a Força Nacional de Segurança estava sendo utilizada com tais propósitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *