Governo Bolsonaro agora recorre à ONU contra desmatamento que atinge a Amazônia

Resultado de imagem para queimadas"

Desta vez, o governo teve de admitir a gravidade da situação

Pedro do Coutto

O governo Bolsonaro resolveu finalmente pedir apoio a ONU contra o desmatamento e as queimadas que ameaçam tanto o presente quanto o futuro da Amazônia. O resultado da última pesquisa realizada acendeu a preocupação do Palácio do Planalto sobre o tema cuja divulgação refletiu-se no panorama internacional. De fato, a questão possui grande amplitude, uma vez que pode atingir países ameaçados pelo aquecimento global.

Reportagem de André Borges e Mateus Vargas, O Estado de São Paulo de quinta-feira, focaliza o assunto que ocupou página inteira do jornal.

SUPERQUEIMADA – Na última segunda-feira o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais identificou uma devastação de 9.700 km², 29% superior a agressão ecológica verificada um ano atrás. E o presidente Bolsonaro afirmou que o processo de queimadas é um problema cultural como se natural fosse o desmatamento da maior reserva florestal do mundo.

O combate ao desmatamento não pode ser considerado uma consequência de um problema cultural, como afirmou o presidente. O governo tem obrigação de atuar evitando o atentado à ecologia brasileira.

Como eu disse há pouco, além de nacional, o desafio tem caráter mundial. O Palácio do Planalto precisa efetivamente agir para conter “um processo cultural”, cujos efeitos conduzem o país para uma escala que é na realidade uma não-cultura, como se o solo amazônico pudesse ser reconstruído com a mesma rapidez em que é destruído.

REFLORESTAMENTO – É óbvio que o replantio demora décadas, ao contrário do que acontece em face da destruição cada vez maior de áreas verdes. Entretanto, embora bastante grave, o problema não se esgota aí. Ao contrário, reflete-se no equilíbrio ecológico, além de atingir a grande presença de animais na região.

Esses animais, na medida em que o verde diminui, vão procurar condições de existir em áreas urbanas. Abre-se assim uma situação de perigo para populações que vivem na grande floresta brasileira. Além de brasileira a região amazônica abrange outros países sul-americanos que dependem diretamente do equilíbrio ameaçado pelas madeireiras e ruralistas.

 E OS ÍNDIOS? – Além disso existe também a população indígena, com sua cultura, seus hábitos, seu consumo. Finalmente, como André Borges e Mateus Vargas assinalaram, o Ministro Ricardo Salles reuniu-se com governadores da região e iniciou esforços junto à Petrobrás em busca de uma participação de 420 milhões de reais para fiscalização e repressão às investidas que sustentam os interesses antiecológicos.

No entanto, as verbas necessárias para o combate aos interesses ameaçadores não pode se restringir a uma etapa. Mas sim também a várias etapas que revestem o confronto para o qual o governo custou muito a admitir. Agora o problema ingressou finalmente na preocupação tanto do Planalto quanto da planície onde nos encontramos. Não se trata de anticultura, mas de sobrevivência.

22 thoughts on “Governo Bolsonaro agora recorre à ONU contra desmatamento que atinge a Amazônia

    • Caro Dr. Ednei, tenho certeza que é porque a soma de 3+8 é 11=STF, ou seja= O número “onze é a essência de tudo que é pecaminoso, prejudicial e imperfeito” no mundo ocultista [W. Wynn Westcott, The Occult Power of Numbers, pág. 100; Nota: Westcott é um dos mais importantes autores de Magia Negra do mundo].

      • Prezado José Guilherme Schossland,

        Embora eu não seja místico, respeito os que estudam a numerologia mística e a cabala mística.

        Vossa Senhoria pode estar com a razão, quando escreve que ” a soma de 3+8 é 11=STF, ou seja= O número “onze é a essência de tudo que é pecaminoso, prejudicial e imperfeito” no mundo ocultista”

        Esta sua constatação mística provém da extensa obra do médico W. Wynn Westcott : “O Poder Oculto dos Números”.

        É uma obra muito extensa, mas Vossa Senhoria, através dos estudos ocultistas, estuda o número 38 e, segundo Westcott, 3 + 8 + 11 , número de ministros do STF e este número 11 significa a essência do mal, o que me parece verossímil com o que está acontecendo no Brasil.

        Mas, como disse, a obra de Westcott é muito extensa, e quem se interessar por ler “O Poder Oculto dos Números” pode fazê-lo acessando o link abaixo:

        https://www.globalgreyebooks.com/numbers-their-occult-power-and-mystic-virtues-ebook.html

  1. NA BOLÍVIA LEVARAM O ÍNDIO: Quando você olha para a tela do seu computador, do seu celular ou de sua fina televisão, você está olhando para uma tela feita de cristal líquido (LCD). Um importante componente da tela de LCD é o índio, um elemento metálico raro processado a partir de zinco concentrado. As duas maiores fontes de lítio podem ser encontradas no leste do Canadá (Mount Pleasant) e na Bolívia (Malku Khota). Os depósitos do Canadá têm o potencial de produzir 38,5 toneladas de índio por ano, enquanto as minas consideráveis da Bolívia são capazes de produzir 80 toneladas. https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/america-latina/61765/o-golpe-na-bolivia-tem-tudo-a-ver-com-a-tela-que-voce-esta-usando-para-ler-isso

  2. Jornal NOTÍCIAS AO MINUTO
    22/11/2019

    APÓS CRITICAR AJUDA, BOLSONARO AGORA QUER US $ 50 MILHÕES PARA AMAZÔNIA

    O governo brasileiro vai aproveitar uma conferência da ONU para pedir doações a nações desenvolvidas destinadas a um novo fundo de preservação do bioma.

    INUSITADO !

    https://www.noticiasaominuto.com.br/brasil/1140185/apos-criticar-ajuda-bolsonaro-agora-quer-us-50-milhoes-para-amazonia?utm_source=notification&utm_medium=push&utm_campaign=1140185

  3. Ou vocês dão um tiro no coco do capitão ou ele transforma a amazônia numa gigantesca fábrica de carvão e numa mega serraria.
    O cara é o Nero daquelas matas e o moto serra de ouro.
    O cabra não se avexa, o único lugar do mundo que tem queimadas e derrubadas é aqui.
    Na Ostrália só queimam ostra, na França só queimam bagulho doido e a rosca.

  4. “O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que o País participará da Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas em Madri (COP-25) para pedir a colaboração financeira para tocar operações de combate ao desmatamento na Amazônia.”

    VAGABUNDO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *