Governo diz que combate a corrupção, mas corta verbas da PF

Delegados e policiais federais já estão pedindo SOS

Deu na Agência Brasil

Representantes dos delegados da Polícia Federal de todo o país e do Distrito Federal promoveram hoje (6), em Brasília, um ato para que os cortes no Orçamento, a serem anunciados pelo governo federal, em meio ao ajuste fiscal, não afetem a polícia.

No movimento Deixa a PF Trabalhar, os delegados criticaram o que classificaram como tentativa do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de limitar a ação da PF na Operação Lava Jato. Em abril, Janot divulgou nota afirmando que cabe ao Ministério Público Federal definir a estratégia de investigação da Operação Lava Jato.

De acordo com o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, Marcos Leôncio Ribeiro, o movimento tem como objetivo preservar as atribuições da PF, seja na questão orçamentária, seja no processo investigatório.

“O que queremos dizer é: queremos fazer o nosso trabalho. Deem condições para que possamos fazer esse trabalho. Isso serve tanto para o Ministério do Planejamento, da Fazenda, como para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot”, explicou Ribeiro.

ATUAÇÃO PREJUDICADA

Segundo o presidente da associação, nos últimos 12 anos, a PF tem vivido de ciclos, ora de investimentos, ora de aperto financeiro. Os cortes orçamentários, frisou Ribeiro, têm prejudicado a atuação da Polícia Federal e se forem feitos este ano há o risco, inclusive, de falta dinheiro para o pagamento de combustível das viaturas.

“Esse movimento demonstra nossa preocupação de que a gente não entre no pior dos ciclos, que é o declínio. Estamos fazendo um alerta para que a sociedade nos ajude a pressionar os poderes da República a aliviar os cortes e limitações sofrido hoje pela Polícia Federal”, disse.

“Reconhecemos que os cortes não são exclusivos da Polícia Federal, mas temos uma dinâmica diferente. A operação policial tem o tempo dela e não podemos ficar aguardando que alguém autorize diárias, despesas para uma operação, porque ela tem que ocorrer naquele momento”, argumentou Ribeiro.

6 thoughts on “Governo diz que combate a corrupção, mas corta verbas da PF

  1. Apesar dos sucessos em operações como a Lava Jato, a Polícia Federal tem enfrentado, em 2015, sérias dificuldades, com a restrição de recursos e a desvalorização dos seus profissionais.

    O orçamento de 2015, por exemplo, vem sofrendo com seguidos contingenciamentos, o que causa severos prejuízos aos trabalhos da Polícia Federal, como no caso dos policiais da operação Lava Jato que estão com um atraso de dois meses nas suas diárias, além de unidades da Polícia Federal com aluguéis atrasados pelo país.

    Os Delegados Federais defendem mudanças no Decreto 7.689, DE 2 de março de 2012, que estabelece, no âmbito do Poder Executivo federal, limites e instâncias de governança para a contratação de bens e serviços e para a realização de gastos com diárias e passagens, para desburocratizar as operações e investigações na Polícia Federal.

    Embora o orçamento de 2015 preveja recursos para o pagamento da indenização de fronteira, o mesmo não sai do papel, prejudicando a fixação de servidores policiais nas regiões de difícil provimento. A ADPF teve que cobrar na justiça federal o cumprimento da lei 12.855 de 2013

    Contratos vitais na área de Tecnologia da Informação da Polícia Federal não foram renovados, tais como manutenção de sistemas, fábrica de softwares, call center e o service desk. Outro retrocesso foi a não renovação do sistema AFIS (Automated Fingerprint Identification System), que permite a identificação criminal por meio de impressões digitais de forma automatizada. Com isso, as consultas voltam a ser manuais, o que constitui um grande retrocesso para as atividades investigativas do órgão.

    A entidade reclama da desvalorização profissional, pois a instituição, que já foi a mais bem paga do país, tem assistido a valorização das polícias civis estaduais sem a mesma equivalência por parte do governo federal. Atualmente nove estados da federação possuem renumeração final superior aos valores pagos aos Delegados Federais.

  2. Carlos Newton, é impressão minha ou tem aqui muitos e muitos comentários desconectados das propostas dos articulista?
    Vez ou outra ver se diante de um texto enorme e totalmente aleatório, como se fosse uma quebra do assunto. Acho esquisito.

  3. A PF do Rio chegou a ficar sem internet e está desligando o ar condicionado e a maioria dos elevadores após às 18:00 hs. O PT inventou o ‘arrocho produtividade’ ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *