Governo federal sabia que os presos se autogovernam nos presídios do Amazonas

Resultado de imagem para rebelião no presídio do amazonas

Nas penitenciáias, “está tudo dominado”

Deu no Estadão

A ação de administração penitenciária no Amazonas é “bastante limitada” e “omissa diante da atuação de facções criminosas”. Esta é uma das principais conclusões de um relatório do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, vinculado ao Ministério da Justiça, publicado no ano passado. Segundo o documento, os presos “basicamente se autogovernam nas unidades prisionais, afetando a segurança jurídica e, mais grave, o direito à vida das pessoas”.

Após vistoria em dezembro de 2015 no Complexo Penitenciário Aníbal Jobim (Compaj), local da chacina, a ameaça à vida dos presos mantidos nas celas separadas chamadas de “seguro” foi uma das principais preocupações do relatório, que também apontou a “prática sistemática da tortura e de outras ilegalidades cometidas por agentes públicos e privados nas unidades visitadas no Amazonas”.

Foi justamente no “seguro” do Compaj que 56 pessoas foram assassinadas entre domingo, 1º, e a manhã desta segunda-feira, 2

RISCO DE MORTE – “É muito importante ressaltar a situação dos presos dos chamados ‘seguros'”, diz o relatório. “Caso fiquem em contato com a massa carcerária, tais pessoas podem ser alvo de fortes represálias, correndo risco de morte. Nessa linha, várias pessoas isoladas relataram que os presos dos pavilhões têm ferramentas capazes de quebrar as paredes das unidades que são, aparentemente, frágeis. Então, mesmo ‘isoladas’, sentem muito receio de estarem em locais de fácil acesso e, assim, serem torturadas e morrer. Esse temor se exacerba em situações de motins ou rebeliões”, aponta o relatório.

O documento cita uma chacina em 2002 no mesmo espaço no Compaj conhecido como “seguro”, com 13 mortes. Registra também que 12 pessoas morreram em 2015 por diversos motivos nas unidades visitadas. “Em suma, o direito à vida nos cárceres do Amazonas pareceu fortemente fragilizado”, diz.

TORTURA – Além das ameaças de morte, os presos no “seguro” estariam “sujeitos a precárias condições de privação de liberdade, raramente realizavam atividades de estudo, trabalho e lazer, ficando confinados durante todo o tempo”. A conclusão é de que “as condições de insalubridade, alto risco e segregação podem equiparar-se à prática de tortura dentro de realidade observada”.

O relatório cita que as unidades prisionais masculinas são marcadas pelas ações da Família do Norte (FDN) e do Primeiro Comando da Capital (PCC). “Ou seja, os cárceres amazonenses estão divididos por facções, o que gera um contexto de fortes disputas e tensionamento entre grupos no sistema penitenciário estadual.”

Os peritos apontaram que os grupos criminosos “estipulam rígidas regras de convivência entre os presos”. Pessoas LGBT, por exemplo, “são punidas com espancamentos e abusos sexuais quando desrespeitam regras impostas pela facção criminosa”. Também há “celas-cativeiros”, onde há punições e até morte de quem rompe com as regras impostas.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como se vê, trata-se de uma tragédia anunciada, em que se constata a omissão do governo do Amazonas e também do governo federal. Como se diz na gíria do crime, está tudo dominado. (C.N.)

13 thoughts on “Governo federal sabia que os presos se autogovernam nos presídios do Amazonas

  1. Os nossos governantes so se preocupam com suas contas em paraísos fiscais, vôos de jatinho, buscar filho bêbado no reveilon de helicóptero, carros oficiais com motoristas, propinas, suas aposentadorias, seus serviçais pagos com dinheiro público, desvios de verbas públicas, curtição no exterior, etc etc etc

  2. Ora,

    -Quem manda nas cadeias de todo o país é o crime organizado. Tanto é assim que rebeliões e mortes acontecem quando bem querem.
    -Meses atrás discutíamos aqui que somente no Brasil preso fazia manifestação para escolher o diretor de presídio (já imaginou como seria ridículo tal cena em Guantánamo?).
    Mas a situação era bem pior do que supúnhamos:

    -No Brasil BANDIDO ESCOLHE ATÉ JUIZ DA VARA DE EXECUÇÕES PENAL – E AINDA TEM O PODER PARA MANTÊ-LO NO CARGO, conforme diz a reportagem abaixo, da Isto É:

    “Ao autorizar as diligências contra Valois, o ministro Raul Araújo, do STJ, apontou como relevante “a informação de que em momento de crise institucional no sistema prisional do Estado do Amazonas, o mencionado magistrado teria solicitado apoio dos presos para permanecer na função”. A solicitação foi flagrada pela PF em conversas interceptadas entre advogados da FDN e um dos líderes da facção chamado José Roberto.”
    Fonte:http://istoe.com.br/juiz-chamado-por-presos-para-negociar-e-suspeito-de-ligacao-com-faccao-do-am/

    -Uma espécie de FORO PRIVILEGIADO para os chefes mais poderosos do crime organizado…
    -Teriam aprendido com o Lula/FHC ou o Lula/FHC aprenderam com o crime organizado?

  3. “A ação de administração penitenciária no Amazonas é “bastante limitada” e “omissa diante da atuação de facções criminosas”.”

    Ora, senhores, qualquer bêbado da esquina já sabia – e ainda sabe – disso. Não precisava juntar (e gastar dinheiro público) uma “plêiade” de “especialistas” e “peritos” para fazer chover no molhado!

    -Tá bom! Fizeram o relatório.
    -E daí? Tem papel higiênico no Ministério da Justiça.

  4. Esqueçam o Brasil,já era acabou. A constituição cidadã, que deveria ser a redenção da pátria, foi na verdade a dose excessiva do remédio, que matou o doente.
    Só deu direitos, cassou os deveres, agora esta ai o monstro que em todo as as esferas tem os seus tentáculos.
    É a coisa mais assombrosa do mundo, o poder público ter de fazer malabarismos, porque tem que garantir a vida do preso, custe o que custar.
    Presidiário morto por outro apenado, na cadeia, enseja vultuosa indenização.
    Agora vejam a discrepância, o cidadão de bem, aquele paga impostos, quando é vítima destes mesmos presos, só que nas ruas, o estado se exime de qualquer responsabilidade, como se o imposto, não fosse obrigatório e sim uma contribuição espontânea do cidadão para o estado.
    O cuidado com o preso é total, que nada lhe falte,
    inclusive a boa vida na cadeia, principalmente para os chefões.
    Assim como as famílias dos presos mortos deverão acionar os governos na justiça, os cidadão deveriam da mesma forma acionar também os governos, por não cumprir sua parte nos contratos. Segurança é obrigação dos governos.
    A propósito, encarceramento é ato voluntário de qualquer cidadão. Só vai para a cadeia quem quer, principalmente sabendo das suas lotações.
    Para não ser preso, basta ficar longe do crime.
    Condenado não pode reclamar do estado precário do presídio.

  5. O crime organizado (quadrilhas) surgiu quando os militares cometeram a burrice de colocar delinquentes comuns juntos com presos políticos radicais nos presídios.

    Daí, os delinquentes comuns – que agiam individualmente – passaram a ter aulas de organização grupal e ação conjunta.

    Hoje, ficou difícil a solução do problema sem medidas rigorosas. Sem elas, a situação tende a piorar.

  6. O sistema penitenciário do Brasil é piada, traficantes continuam suas atividades mesmo presos, há regalias que não se mostra, mas quem tem poder dentro do presídio tem privilégios, é preciso uma grande reformulação deste sistema, se o poder público não tem condições para fazer um sistema seguro, passe para a iniciativa privada, mas cobrem tudo que está acontece dentro do mesmo, é preciso uma avaliação de grau de periculosidade de presidiários, separar estes grupos, colocar os mais poderosos longe dos mais fracos, é preciso mais responsabilidade do MP, governo estadual e governo federal, caso contrário estaremos assistindo coisa pior do que esta.

  7. Celso, o respeito é uma consequência do medo. Quando bandido perde o medo da lei e por consequência da autoridade, o que se vê é isso que esta ai.
    Só que o banditismo esta igual a cachorro que corre atras de carro, quando o carro para, ele não sabe o que fazer.
    No ritmo que vai,provavelmente o crime organizado vai destruir o estado politicamente organizado. E depois, vão fazer o que? Viver num estado bandido a moda do velho oeste?
    A solução já me parece ter de ser traumática.

  8. Mas os presos são seres humanos e devem ter um tratamento mais digno nas prisões, que no Brasil muitas delas são um verdadeiro chiqueiro.

    Muitos destes prisioneiros estão lá porque viveram, na sua infância e juventude, em condições sociais não condizente com o ser humano.Viveram sem estudos,sem alimentação, sem roupa para vestir, fazendo suas necessidades fisiológicas ao ar livre. E muita outras coisas.

    Eles que praticaram crimes devem ser,evidentemente,condenados, mas que tenham um tratamento condigno, mais humano.

    Ao serem jogados em celas imundas junto com outros criminosos de alta periculosidade – muitas vezes de facções criminosas – trará como resultado isso que assistimos quase todos dias:rebeliões e mais rebeliões.

  9. O PCC que surgiu sob as barbas do PSDB/SP, está presente em todos os estados e em 6 países, aliás o nosso ministro da justiça o conhece bem…
    Pode estar vindo pela frente uma guerra em todos os estados.

  10. Veja a situação de duas vizinhas que tenho. Uma é mãe solteira, precisa trabalhar mas não consegue vaga nas creches para seu filho, a criança ora fica com um ora com outro.
    A outra, casada, o marido foi assaltar uma empresa em dia de pagamento numa cidade vizinha e foi preso reincidente.Conclusão, o filho do casal já está recebendo do estado em torno de R$ 1.200,00 por mes de auxilio reclusão.

  11. Enquanto os pastores bebem vinho e festejam, os lobos dizimam o rebanho.

    Palavras de um ex-delegado de polícia daqui do Rio de Janeiro, na época capital do Brasil, atualmente com 94 anos de idade: “não se pode ter tolerância com criminosos; tolerância tem casas especializadas para isso”.

  12. O nosso sistema carcerário é falido e ultrapassado
    Todos os detentos tem que ter um tratamento digno, assim como os trabalhadores brasileiros que ganham um salário mínimo e pagam seu impostos e taxas. Presidiário tem que trabalhar para fazer jus a um salário mínimo. Os mais perigosos com trabalhos mais duros como abrir estradas de ferro por esse Brasil afora. Os que tem pena menor, menos perigosos com trabalhos menos duro. Os presídios serviriam apenas para dormitório. Os presos que quisessem estudar teriam uma redução do horário de trabalho.
    Nada melhor para recuperar um presidiário, que o trabalho e ainda eliminaria uma série de mazelas que exitem dentro dos presídios, como comandar o crime de dentro da cadeia .com uso de celular. A cabeça vazia é a oficina do diabo. .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *