Governo “lamenta” a saída de Jucá, mas considera “impossível” fechar a fronteira

Resultado de imagem para jucá

Jucá tenta fechar a fronteira apenas temporariamente

Roniara Castilhos
TV Globo, Brasília

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou nesta segunda-feira (27) que o Palácio do Planalto “lamenta” a decisão de Romero Jucá (MDB-RR) de deixar a liderança do governo no Senado, mas acrescentou ser “impossível” atender a um pedido do parlamentar.

Jucá havia pedido ao governo federal para fechar temporariamente a fronteira de Roraima com a Venezuela, mas o presidente Michel Temer já disse que a medida é “incogitável”. Diante disso, o senador anunciou nesta segunda ter deixado a liderança do governo.

ERA IMPOSSÍVEL – “Ele [Jucá] solicitou medida de fechamento temporário de fronteiras. O governo entende que, pelos compromissos internacionais e em função da tradição brasileira de acolhimento, não cabia este tipo de atitude. Era impossível este tipo de atitude neste momento”, afirmou Marun.

“Nós lamentamos a saída dele. É uma pessoa brilhante, eficiente, todavia, não foi possível em relação a esta questão de Roraima. Nós deixamos claro na semana passada a dificuldade de atendermos ao seu pleito”, acrescentou o ministro.

Segundo Marun, o Planalto deve anunciar nesta terça-feira (28) o nome do novo líder do governo no Senado.

PEDIDO DE AJUDA – No início deste ano, o governo de Roraima pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para fechar a fronteira com a Venezuela. A ministra Rosa Weber analisou o caso e negou o pedido, argumentando que a medida é exclusiva do presidente da República.

Roraima é a principal porta de entrada dos imigrantes venezuelanos no Brasil. O estado tem enfrentado dificuldades para lidar com o volume de estrangeiros, que deixam o país vizinho para fugir da crise econômica e social.

O governo local já pediu à União ressarcimento de R$ 184 milhões pelos gastos com os venezuelanos, mas o governo federal informou não ver motivo para enviar mais recursos para o estado neste momento.

11 thoughts on “Governo “lamenta” a saída de Jucá, mas considera “impossível” fechar a fronteira

  1. “”Decretei hoje o emprego das Forças Armadas na garantia da lei e da ordem no estado de Roraima. Naturalmente, para oferecer segurança aos cidadãos brasileiros e aos imigrantes venezuelanos que fogem de seu país em busca de refúgio no Brasil”, anunciou.”

    -O Temer deve ter se esquecido que armas não trazem segurança. Deveria ter mandado uma comissão do PSOL e outra dos defensores dos direitos humanos.

  2. Newton, gostaria que você confirmasse: Há 2/3 mêses li em algum lugar que a Venezuela teria pagado ao Brasil 256 milhões de dólares. Depois li no Sputinick que a China teria comprado do Brasil cinco mil toneladas de arroz e mandado para Venezuela. Que a China teria emprestado $5.000.000.000 (cinco bilhões de dólares) para Venezuela. Agora leio a Venezuela cobrando CZ$30.000.000 (trinta milhões de dólares do Brasil por fornecimento de energia para Roraima. Ameaçando cortar a energia). Será que tudo isso é verdade ou não?

    • Acredito que seja tudo verdade, Aquino. É pena o que está acontecendo na Venezuela. O coronel Hugo Chavez fez belo início de governo, depois passar a ajudar Cuba, virou ditador. Seu substituto Maduro é uma espécie de cavalo de Átila, está arrasando o país.
      Abs.

      CN

  3. Newton. as maiores jazidas de petróleo da Venezuela fizeram com que Chaves exportasse não só para Cuba mas para quase todos paises caribenhos petróleo a baixo custo. Maduro herdou o estigma de que a Venezuela é ma ameça ao EEUU como disse Obama. Acho que este êxodo de venezuelanos é uma estratégia dos EEUU para forçarem uma intervenção armada pelos países limítrofes ou pelos própios EEUU. Assim eles fizeram na Síria. Não fora a Russia a Síria já estaria dividida em no mínimo dez paises. Principalmente depois da descoberta de grandes jazidas de petóleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *