Governo negativo, começa na defensiva

Carlos Chagas

Das dificuldades que a presidente Dilma enfrentará em 2015, a mais urgente será estabelecer um objetivo para o seu segundo governo. Em pouco ou nada ajudou a composição do novo ministério. Primeiro por faltar identidade aos 39 ministros. Nada os une, tudo os separa. Tivesse sido feita a todos a pergunta sobre qual o rumo fundamental a seguir nos próximos quatro anos e não  se registrariam duas respostas iguais. Mesmo entre os 13 companheiros, o vazio é uma constante. Nem haverá que falar dos 6 do PMDB, representantes de correntes dissociadas. Quanto aos demais, incluídos os sem filiação partidária, a mesma coisa.

Heterogêneo, o grupo prima pela falta de um denominador comum. Evitar a estagnação econômica não é programa, muito menos garantir maioria parlamentar para impedir iniciativas da oposição, a começar pelo impeachment. Numa palavra, o governo acaba de ser composto por suas características negativas. Fica devendo metas construtivas. Não poderia ser diferente. Faltou à campanha da reeleição um programa onde a candidata exporia propósitos e objetivos. É do que carece o novo governo.

UMA PAISAGEM DIFERENTE

Voltaire acabara de chegar a Paris. Jovem voluntarista, ao saber que o Regente, Felipe d’Orleáns, por medida de economia, decidira vender metade das cavalariças reais, escreveu que em vez de desfazer-se de parte dos seus cavalos o soberano deveria livrar-se dos asnos então gravitando ao redor do trono. Passeando no Bois de Boulogne, o Regente deparou-se com Voltaire e ofereceu-lhe uma paisagem por ele desconhecida: uma cela na Bastilha, com vista para a capital francesa. Depois de alguns meses, arrependido, Felipe mandou soltar o prisioneiro e ainda destinou-lhe uma pensão mensal. O irreverente crítico agradeceu, em carta, acentuando a satisfação de o governo prover sua alimentação, mas abria mão da hospedagem…

Inexistem razões para interpretar os julgamentos pelo que eles não são. Os mensaleiros vêm sendo dispensados da hospedagem a eles oferecida e da inusitada vista de Brasília, pelas janelas da Papuda. Parecem felizes por cuidar da própria alimentação…

QUEM REALMENTE MANDA

Sugeriram ao novo ministro das Minas e Energia, senador Eduardo Braga, do PMDB, solicitar um imediato despacho com a presidente Dilma para saber se pode nomear o segundo escalão de seu ministério, do qual faz parte a Petrobras. Conselho do vice-presidente Michel Temer: “Espere ela viajar para o exterior…”

DÚVIDAS

Até ontem, pelo menos, estavam mantidos os comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica. A dúvida é saber a razão: a presidente Dilma está muito satisfeita com o desempenho deles ou, no reverso da medalha, vão ficar como castigo…

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *