Governo se desestabiliza e Celso de Mello decide sobre exibição do vídeo nesta segunda

Imprensa internacional repercute saída de Nelson Teich | Mundo | G1

Teich peitou Bolsonaro e mostrou que é um homem de caráter

Pedro do Coutto

Com a demissão do ex-ministro da Saúde Nelson Teich ficou flagrante a desestabilização do governo Jair Bolsonaro, uma vez que são muitos os choques entre o presidente e integrantes de seu governo. Na minha opinião, o presidente da República encontra-se em conflito com o candidato vitorioso nas urnas de 2018. Seu alvo deixou de ser o ataque ao PT e ao lulismo. Acredito que ele próprio tenha esta questão como seu próprio enigma.

A semana que se inicia terá efeito decisivo no momento em que o ministro Celso de Mello divulgar sua decisão a respeito do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril.

NUVENS CARREGADAS – O dia de ontem, sexta-feira, foi pleno de nuvens carregadas ameaçando a população brasileira. São 220 milhões de pessoas que dependem de forma absoluta do rumo que o governo vier a tomar, a partir do despacho decisivo do ministro Celso de Melo.

Até ontem, tornaram-se claros os ponto de vista do Procurador Geral da República, do Advogado Geral da União e dos advogados do ex-ministro Sérgio Moro.

O Procurador Geral da República afirmou ser favorável a liberação parcial do vídeo, portanto condicionada às palavras do presidente da República no que se refere à Polícia Federal. Assim nesse contexto está a referência à Superintendência do Rio de Janeiro.

AGU QUER SELECIONAR – A mesma resposta foi fornecida, também ontem, pelo AGU, enquanto os advogados de Sérgio Moro manifestaram-se pela divulgação total do vídeo, que não deixa de ser um fato que certamente balizará os rumos que vão suceder aos dois episódios mais sensíveis dos últimos dias: a confusão na área da saúde e a exposição parcial ou total do vídeo que, na minha opinião, vai se incorporar a história do Brasil a ser observada na sua importância pelos que vierem depois de nós.

ARTIGO DE MOURÃO – Um artigo do General Hamilton Mourão publicado no Estado de São Paulo de quinta-feira, causou reflexos preocupantes por se referir ao poder militar e seu peso nas instituições do país. Um problema a mais, portanto, a ser esclarecido. Entretanto, penso eu, que o vice-presidente no fundo estava mais se referindo a seus colegas de farda para que não se desviem de suas obrigações constitucionais e institucionais.

Acrescentando mais outro problema, desta vez na área econômica, o ministro Paulo Guedes voltou a um de seus assuntos prediletos. Desonerar a folha dos empresários no que se refere as suas contribuições para o INSS e para o FGTS.

Eu adiciono um aspecto: é preciso desonerar o povo brasileiro dos problemas que ele enfrenta todos os dias.

5 thoughts on “Governo se desestabiliza e Celso de Mello decide sobre exibição do vídeo nesta segunda

  1. “Este foi o texto mais pesado, sério, verdadeiro e preocupante, dentre tantos outros que me chegam via internet!
    Parabéns ao advogado Carlos José Ribeiro do Val, pelo seu texto e sua coragem”

    STF – OS EUNUCOS MORAIS
    por CARLOS JOSÉ RIBEIRO DO VAL

    Somente daqui a alguns anos a nação brasileira vai entender o tamanho do dano que o Supremo Tribunal Federal está fazendo com esse país.

    E estão fazendo isso por diversas razões. Uma delas é porque são um bando de egocêntricos apátridas embriagados pelo poder, psicologicamente imaturos, e que não tem grandeza moral para desempenharem o papel de juízes.

    Eles são aproveitadores das benesses e das carcaças de um país apodrecido pela corrupção, cujos políticos ladrões são amparados pelo foro privilegiado, pela lentidão planejada da justiça, e pela fraqueza moral que impera principalmente naquela corte.

    São coadjuvantes da destruição de uma democracia que começava a despontar, hipócritas de um teatro macabro, vassalos da criminalidade. Esse fantasma vai seguramente assombrar os seus descendentes, mas nem isso os afeta.

    Ao invés de guardiães da Constituição como se arvoram, são os prostitutos constitucionais, estafetas da imoralidade e da desesperança, gigolôs do poder absoluto da contravenção, e dos seus defensores feitos milionários pelo dinheiro do crime vindo dos cofres públicos.

    Eles não sabem o que é construir uma nação. Eles se dobram a um líder corrupto, bêbado, vendedor de ilusões, e entregador de desgraças, que quebrou o país e as suas instituições.

    Esses supostos juízes são mais baixos que os desinformados que votam no ilusionista pigmeu, amoral e analfabeto. Eles são cúmplices do populismo devorador do progresso e do desenvolvimento. São verdadeiros assassinos da evolução civilizatória de um povo.

    Esses lenientes doentios, pretensos artistas eruditos de televisão, consumidos por uma vaidade injustificada com tintas de psicopatia, são os torpedeadores da esperança nacional. Os trejeitos efeminados de um deles, na tentativa de projetar uma grandeza inexistente revela a fraqueza moral e a vaidade desmedida. Os argumentos exagerados e mutantes do outro revela que Saulo Ramos tinha razão; é um juiz de merda. As mudanças de opinião de outro revela o caráter mercantilista de sua personalidade e o DNA coronelista que não consegue disfarçar. A necessidade de outro de agradecer o emprego arrumado pela mãe, através da amizade com a mulher do presidente ultrapassa todos os limites, chega a ser patética, se não fosse trágica, o seu clamor por generosidade para com o corrupto condenado. Outro, advogado partidário, não precisaria estar lá, bastaria enviar o voto pelo correio, pois todos os brasileiros já sabem como vai votar. É um voto partidário, a favor da criminalidade.

    Essa corte é o próprio retrato de Sodoma e Gomorra, chegamos ao fim dos tempos.

    Depois de Lula, eles vão libertar Cabral, Cunha, Geddel, Palocci, Beira-Mar, só para mencionar uns poucos. Esses exploradores do lenocínio político que se tornou a nossa nação transformaram a Suprema Corte em guardiã do assalto aos cofres públicos, protetora das máfias partidárias, masturbadores persistentes das mazelas nacionais.

    A corja do STF é pior que Lula, Michel Temer, Palocci, Geddel, Lucio Vieira Lima, Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Eliseu Padilha, Romero Jucá, Jader Barbalho, juntos. Esse pessoal só queria roubar a nação, eles tinham um propósito. Mas eles não tinham o poder de condenar a nação ao eterno inferno do subdesenvolvimento e da violência.

    Os políticos podem ser expulsos pelo voto, o que não é possível com os “Kalifas do STF” que deveriam ser juízes em benefício do povo e não no próprio. Eles só podem ser retirados pelo Congresso, onde estão os corruptos que os colocaram lá.

    Eles tem o poder de condenar o país ao inferno do subdesenvolvimento, e decidiram fazer exatamente isso. O pequeno e frágil conjunto de regras da democracia é constantemente estuprado pelos parasitas supremos, para proteger criminosos famosos. Então eles são mais criminosos do que os criminosos que protegem. Quem defende bandido, bandido é.

    Veja-se a decisão da cassação da chapa Dilma-Temer, onde o Presidente na época prestou um serviço sujo ao seu mestre, deturpando a legislação e a constituição, para mostrar gratidão a quem lhe deu o emprego. Veja-se o outro soltando o amigo e parceiro de negócios do Rio, por diversas vezes seguidas. Aos amigos tudo, aos inimigos a Lei. E o outro que pediu vistas do caso do foro privilegiado, depois de já ter a maioria formada. É ou não é um agente do obscurantismo defendendo o interesse dos seus mestres.

    Os longos e hipócritas argumentos de proteção da constituição proferidos quando a televisão está filmando se esvaem quando, em lugar da proteção da constituição, entregam a cocaína da leniência populista e hipócrita para deleite dos saqueadores da nação.

    São todos muito iguais, nomeados pelos criminosos que deveriam julgar, parceiros nos crimes contra a nação. Eles são, da mesma forma que os corruptos, traidores da nação e dos brasileiros em geral.

    Diga-se por justiça, que não são todos iguais. A Corte faz uma maioria macabra, mas existem almas solitárias que se rebelam contra isso, em homenagem à própria consciência, mas são minoria.

    Essa corte poderia se chamar Supremo Tribunal da Fornicação, ou Tribunal da Eterna Prescrição. Ao longo da sua história, julgou menos de 5% dos processos que lá chegam.

    Vejam o caso de Renan Calheiros, com 11 processos e nenhum anda. Romero Jucá, Eliseu Padilha, Michel Temer, Lucio Vieira Lima, só para mencionar alguns nomes. Meu Deus, o Brasil não merece isso. Todos esse pessoal está protegido pelo STF. E agora o princípio Lula vai valer para todos. Os criminosos da Lava Jato vão estar todos soltos, desfrutando do saque dos últimos anos, e dividindo com os coadjuvantes dessa obra grotesca.

    Esses juízes não se importam se os seus nomes fizerem parte do esgoto da história. Eles querem o aqui e agora… que se dane o futuro. São hedonistas, amorais radicais, midiáticos embriagados, não se importam em ser vilões, desde que sejam remunerados adequadamente e estiverem na TV. O maior mercador da Corte se comporta como Primeiro Ministro e degusta da mesma forma o poder sobre o presidente e parlamentares enrolados, como do comando dos jagunços de Mato Grosso. Ele aprecia muito os dois papéis. Esse é o maior psicopata, que tem os políticos todos na mão, e sem nenhum pudor desfruta disso avassaladoramente.

    O que fazer? Precisamos no mínimo execrar esses personagens macabros da desgraça nacional. Ir para rua. Introduzir mais leis de iniciativa popular. Mudar a forma de indicar os juízes da Suprema Corte. Bandidos no Executivo, bandidos no Legislativo, e bandidos no Judiciário, todos se protegem, não farão leis que beneficiem o país, a não ser com pressão popular.

    Votem em pessoas que nunca estiveram lá. Vamos trocar todos. Só o povo na rua para acabar com esse incesto criminoso entre membros de todos os poderes. Vamos começar indo para rua , para tentar reverter o salvo conduto do molusco pinguço e doente.”

    “(Nota: essa publicação tem autor e notoriedade pública)”

    Agora, somente cabe a nós povo de bem; fazer circular, com a mais absoluta velocidade, tal qual à da luz, ok?

    • Achei exdrúxulas as palavras proferidas pelo autor do texto.
      Um lixo!
      Uma energúmena besta. Que merecia ser processado.
      Não deve ter o mínimo conhecimento de história do Brasil e das competências do Tribunal.

      Não é de hoje que causas no Supremo se arrastam.
      Sempre foi assim!
      A forma como organizado e competências para julgamento de qualquer ação ou recurso que não apenas aquelas de controle concentrado implicam na multiplicação de causa que submetidas aos seus 11 ministros tornam humanamente impossível de julgar a todas com a razoabilidade de tempo.

  2. A PGR e a AGU não tiveram a mesmíssima opinião não!
    Tanto uma como a outra são favoráveis à liberação parcial, no entanto, a PGR opinou por uma restrição um pouco maior que a AGU.

    De todo modo, um absurdo!

    É tirar recortes de um contexto de discussão.

    O juízo de valor deve recair sobre a conduta do indivíduo.

    Se reprovável ou não pelo Direito, e mesmo a Ética/Moral, deve ser avaliada como ação em seu contexto, não como uma fotografia, congelada no tempo, ou uma breve pronuncia de palavras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *