Governo sem energia, não pune apagão da Light

Ultraje, desprezo, desinteresse, favorecimento ao infrator. Determinaram que a “cada duas horas sem energia, o cidadão receberá 1 real e 23 centavos”. É isso mesmo, não estão lendo errado. E o “desconto” será feito pela própria Light, que não tem a menor credibilidade. Nunca teve.

Quando começou a explorar o Brasil, há mais de 100 anos, assinou um contrato. Dizia o seguinte, na última frase: “Terminado o contrato, os bens    REVERTERÃO À UNIÃO”. Não reverteram nada, fiz uma campanha intensa, perdi, claro.

Só para ter uma idéia desses bens, vou ver se me recordo de alguns.

Galeria Cruzeiro – Era o centro do Rio, onde os bondes faziam a volta. Acabado o contrato, a Light construiu ali o Edifício Avenida Central, ganhou uma fábula de dinheiro.

Terreno na Voluntários – Com frente para essa rua e fundo para a São Clemente. Vendeu para um grupo que construiu a Cobal, o maior mercado da Zona Sul.

Corcovado – Terreno também grande no Cosme Velho, ponto de partida e chegada dos que vão visitar essa atração turística.

Largo do Machado – Terreno maior do que todos, ao lado do restaurante Lamas, tradição do Rio, a maior concentração de estudantes durante dezenas de anos. Venderam para guardarem ônibus. Outra fortuna ROUBADA da União. Em se tratando da Light, não há outra palavra, tem que ser ROUBADA mesmo.

Agora, essa Light, que pertence a uma empreiteira e a uma estatal de Minas, e outro terço à própria Light, presente do “presidente” Geisel, todo poderoso.

Pelo apagão em 17 estados (e Brasília) o cidadão receberá 3 reais e 32 centavos, avaliados e “pagos” pela própria infratora. Explicam: “Não é para COMPENSAR e sim para obrigar a Light a fazer os INVESTIMENTOS INDISPENSÁVEIS”.

Ora, para isso bastava fixar prazos para esses investimentos e a cada prazo não cumprido, MULTA VIOLENTA no infrator, perdão, INFRATORA.

Elevador-prisão – No apagão total, milhares ficaram enclausurados, não sabiam por quanto tempo. Souberam depois, foram horas. Agora, todos os dias, nos mais diversos bairros, acontecem apagões de 40 minutos, 1 hora, por aí. Não serão indenizados, não eram consumidores, apenas fechados em elevadores. É uma indecência, ninguém vai protestar, este é um país de cabisbaixos.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *