Governo Temer enfrenta tendência de queda acentuada, segundo o Ibope

Charge do Amarildo amarildo.charge.wordpress.com)

Pedro do Coutto

Um dos ângulos contidos na pesquisa que o Ibope realizou para a Confederação Nacional da Indústria sobre a aprovação e reprovação do governo Michel Temer junto à população refere-se ao fato de o resultado assinalar uma tendência. A Folha de São Paulo, edição de sábado focalizou o tema. Chama atenção o fato de em setembro de 2016 a reprovação ao governo ter sido de 39 pontos, passando a 46 em dezembro e agora ter atingido 55%. Isso de um lado. De outro, os que achavam o governo regular eram 35 em dezembro e hoje são 31%. Enquanto isso diminuiu de 13% para 10% a faixa da opinião pública que considera o desempenho do Executivo como bom e ótimo.

Portanto, o levantamento assinala uma tendência geral que reflete a insatisfação popular. E o registro das tendências é um ângulo extremamente importante das pesquisas. Isso porque serve de aviso para que os rumos políticos sejam alterados, uma vez que a sociedade está reagindo desfavoravelmente ao desempenho do governo.

MUDANÇA DE RUMO – Nesse cenário inclui-se um aviso importante para o Palácio do Planalto: o de que há necessidade de alteração de rumo e apresentação de projetos capazes de ir ao encontro das reivindicações populares.

O desemprego, por exemplo, alcança índices assustadores e tal fenômeno contribui fortemente para tornar a imagem negativa do governo. A reforma previdenciária torna-se, sem dúvida num grande fator de desgaste governamental. Mais até do que a reforma trabalhista. Portanto, quando a reforma previdenciária passar à discussão aberta no Congresso, o Governo sentirá o reflexo negativo envolvendo sua ação. Afinal, qual a pessoa que pode ser favorável a uma redução de direitos, sem discutir o mérito final da iniciativa?

SEGUIRÁ EM QUEDA – Diante de um panorama de perda e popularidade a presidência da República, através da pesquisa do IBOPE, recebeu um aviso. Se não alterar seu desempenho no plano social, continuará a perder pontos junto à opinião pública.

O aspecto mais importante nas pesquisas de opinião é exatamente o registro das tendências. Algumas apontam para cima, outras apontam para baixo. Quando isso ocorre, há necessidade de mudança de rumos.

5 thoughts on “Governo Temer enfrenta tendência de queda acentuada, segundo o Ibope

  1. Pedro do Couto fez uma análise perfeita da tendência da popularidade do governo Temer,
    Apesar do alto desemprego,o governo atual não ser responsável, este governo vem cometendo vários erros, com ênfase para a reforma da Previdência, que vai atingir negativamente o trabalhador e consequentemente o país.
    Sem emprego, com salários aviltados e com a incerteza de conseguir a aposentadoria, este governo está levando o país a andar para trás, porque vai inibir mais ainda o consumo e sem consumo, não ha progresso. Tudo isso acontece a título de combater a inflação. Será, que só se combate a inflação com a miséria do povo?

  2. Na região onde moro, nos anos 70/80, na maior cidade, havia um político que desde a primeira vez que chegou ao poder, tratou de fazer tudo o que podia e não podia com o dinheiro público.
    Após 4 anos de muitas obras, ele escolhia um companheiro bem “ruinzinho” para disputar a eleição e consequentemente perder.
    O eleito, que era oposição, ao assumir ficava todo o mandato sufocado com o endividamento herdado.
    Na eleição seguinte, voltava o salvador da pátria
    com o discurso de que só ele sabia administrar o município e ganhava a eleição.
    Fez isso por 3 ou 4 vezes e a oposição nunca percebeu o golpe.
    Agora o Michel Temer passa a praticar a mesma
    tolice, fazendo com que o lula tenha o mesmo e velho discurso de que só ele sabe com administrar o pais.
    O PMDB anda mesmo é com vontade de devolver o poder ao PT e parece que o tucanato já começou a perceber.

  3. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, e os dois excelentes Comentários acima, do Sr.NÉLIO JACOB e Sr. LRV, vão direto ao ponto.

    O Gov. TEMER, tendo recebido da Presidenta DILMA uma péssima situação Fiscal ( gastava bem mais do que arrecadava) e com Endividamento Público alto, já começando a causar dúvidas de sua solvência, em meio a maior Recessão desde a de 1929, tem que fazer Reformas Impopulares ( Reduzir a Despesa Pública e Arrecadar mais), o que detona sua Popularidade.

    Creio que sua estratégia seja só permanecer no Governo até 31 Dez 2018, melhorar um pouco sua baixa Popularidade a medida que vai tirando o brasil da Recessão e entregar um Governo saneado Financeiramente para quem assumir em 1 Jan 2019. Mais do que isso me parece impossível.

  4. Caro Flávio José Botolotto,
    É isso mesmo, Eu costumo dizer que um governo depende do governo anterior. Juscelino, só conseguiu em 5 anos adiantar o brasil 50 anos, porque encontrou uma base deixada por Getúlio e a ditadura levou o Brasil a oitava economia do mundo porque encontrou uma base deixada por Juscelino. FHC, apesar de ser um péssimo governo, fez parte da equipe (ideia de Itamar Franco) de criar o Plano Real e a Responsabilidade Fiscal, o que acabou com a inflação de quase 1000%. O cagão do Lula pegou o país com a economia normalizada, com a inflação sob controle e a China comprando a rodo nossos commodities, havia uma fartura de dinheiro Lula poderia ter feito muito pelo futuro do Brasil, mas durante 8 anos optou pelo populismo e corrupção, era preciso muito dinheiro para o partido se manter no poder durante longos anos. Ao sair do governo, Lula colocou um poste com a lâmpada queimada para acabar de destruir, as finanças e economia do país.
    Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *