Governo tenta impedir investigação da campanha de Dilma

Deu no Correio Braziliense

A decisão do ministro Gilmar Mendes de pedir que a Procuradoria-Geral da República (PGR) e a Polícia Federal investiguem eventuais crimes cometidos na prestação de contas do PT na campanha presidencial de 2014 será devidamente questionada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), informou, por meio de nota, o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva.

Edinho lembra que a decisão se refere ao processo de prestação de contas da campanha da reeleição da presidenta Dilma Rousseff aprovado pelo plenário do TSE em dezembro do ano passado.

O ministro da Secretaria de Comunicação afirmou ainda que “que todos os recursos financeiros utilizados na campanha da presidenta Dilma Rousseff foram arrecadados de forma absolutamente legal e lícita. As contas de campanha da presidenta Dilma foram aprovadas por unanimidade pelo TSE, com parecer favorável do procurador eleitoral do Ministério Público Federal, após rigorosa auditoria.”

ANTES DA LAVA JATO

Ao pedir a investigação, Gilmar Mendes alegou que a decisão do TSE de aprovar as contas da campanha de Dilma não levou em conta as suspeitas de doações ilícitas a partidos investigadas na Operação Lava Jato.

Edinho também destacou que há mais três processos em curso na Justiça Eleitoral desde o final do segundo turno eleitoral questionando, de alguma forma, o resultado das urnas. Um deles, do PSDB, pedia a auditoria do resultado das eleições – tendo sigo negado pelo plenário do TSE.

6 thoughts on “Governo tenta impedir investigação da campanha de Dilma

  1. O PT ta com o c., que não cabe uma melancia. Não existe indicio maior de culpa, do que tentar barrar uma
    investigação. Dai uma perguntinha inocente, nestes últimos 13 anos, este partido fez alguma coisa que fosse legal?
    Os “agraciados”com os pixulecos, estão por ai, defendem o petralhismo com unhas e dentes.

  2. Na Grécia, o primeiro ministro de Esquerda renunciou. Ninguém falou em golpe, golpismo e golpistas. Serão convocadas novas eleições, provavelmente ainda este ano. O Parlamentarismo trata os eleitores com maturidade.

    A saída talvez seja deixar Dilma na Presidência, proclamar o Parlamentarismo e colocar o Temer como Premier.

    • Prezado Antonio Rocha,

      Uma das propostas do PPS para a reforma política é a implantação do Parlamentarismo no Brasil, mas à partir de 2018 para que não seja visto como golpe. Se nós estivéssemos no regime Parlamentarista, como aconteceu na Grécia, o Primeiro Ministro, que é o chefe do Executivo (no caso Dilma Roussef) já teria caído e já teriam sido convocadas novas eleições. Para implantar o Parlamentarismo há que superar este parlamento retrógrado que temos para mudar a Constituição, e ganhada a causa, ainda teríamos de fazer um Plebiscito para saber se o povo brasileiro assim deseja ou não.

      Mas a sua opinião é muito boa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *