Grupo dos 11

Martim Berto Fuchs
“Jornalista, em 1964, eu tinha 19 anos, ouvi falar muito do “Grupo dos 11”. Gostaria de saber o objetivo desse “Grupo” organizado pelo senhor Leonel Brizola”.

Comentário de Helio Fernandes
O movimento é dos mais importantes da luta política do Brasil. Só que não aconteceu em 1964 e sim em 1961. Brizola era governador do Rio Grande do Sul, quando Jânio Quadros renunciou. Os comandantes dos Exércitos não queriam dar posse ao vice-presidente, como mandava a Constituição.

Brizola montou esse “Grupo dos 11” no próprio Palácio Piratini (do governo), e resistiu. Com essa resistência, atraiu o general Machado Lopes, Comandante do III Exército. Como os “Exércitos” eram 4, todos com o mesmo poder de fogo, os outros recuaram, fizeram a proposta aceita por Jango, com o protesto do próprio Brizola.

A proposta: “Jango tomaria posse, no Parlamentarismo com Tancredo Neves como Primeiro Ministro”.

Advertência de Brizola ao cunhado: “Já ganhamos, você vai tomar posse sem restrições”. Resposta, digamos sensata, de Jango: “Já ganhamos, mas não temos o Poder”. E tomou posse, liquidando esse Parlamentarismo em 6 de janeiro de 1963, numa fantástica exibição de dinheiro, dos dois lados.

Em 1964, Brizola não teve tempo de formar nenhum Grupo. Revelação textual dele: “Tive que fugir para não ser assassinado”. Rigorosamente verdadeiro.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *