Guedes cria confusão e esquece que governadores são também candidatos

Guedes desconsiderou os interesses eleitorais dos governadores

Pedro do Coutto

O projeto Paulo Guedes, endossado pelo presidente Jair Bolsonaro, propondo um novo sistema de distribuição de recurso fiscais na tentativa de reter os preços nas bombas do óleo diesel, da gasolina e do gás, na realidade criou uma confusão muito grande no país e à luz das análises de especialistas, é inexequível.

O corte do ICMS nos Estados, se aprovada emenda constitucional no Congresso, geraria uma queda enorme nas arrecadações estaduais e, também por isso, os governadores estão reagindo à iniciativa.

CUSTO – Reportagem de Manoel Ventura, Fernanda Trisotto, Camila Zarur e Gustavo Schmidt, O Globo desta quinta-feira, analisa o problema e conclui que se colocado em prática o projeto Paulo Guedes custaria R$ 46 bilhões à União. Além disso, a compensação anunciada pelo ministro da Economia só estaria em vigor até 31 de dezembro deste ano, dois meses após as eleições de outubro.

Como ficaria então a compensação em relação à perda de receitas causadas pela redução acentuada do ICMS? O senador Fernando Bezerra, aliado do governo e relator da matéria nesta Casa do Congresso, calcula que o pacote poderá reduzir em R$ 1,60 o litro da gasolina e em R$ 0,60 o litro do óleo diesel.

O problema é grave não só porque a compensação federal terminaria no final de dezembro, sem dizer como ficariam os governos estaduais a partir de janeiro de 2023, mas também pelo fato de deixar os governadores vulneráveis às opiniões contrárias da opinião pública justamente no momento em que terão seus mandatos avaliados nas urnas.

CONTRA A PROPOSTA – Bezerra disse que o reembolso também será no máximo 17%, mas existem estados em que o ICMS cobrado sobre combustíveis vai além dessa porcentagem. Os governadores Rui Costa da Bahia, Mauro Mendes, Mato Grosso, Rodrigo Garcia, São Paulo, Paulo Câmara, Pernambuco, pronunciaram-se contra a proposta de Guedes.

Da mesma forma, os secretários estaduais de Fazenda se preocupam com a queda de receita em seus estados. Dizem que não há qualquer garantia pelo projeto. O ministro Paulo Guedes desconsiderou os interesses eleitorais dos governadores.

ELETROBRAS – A procura por ações da Eletrobras, segundo informou a sua Direção atual, chegou a R$ 55 bilhões no mercado brasileiro e internacional. Matéria de Manoel Ventura, Geralda Doca e João Sorima Neto, O Globo, focaliza o panorama criado. Nenhum grupo chinês se interessou, ao contrário do que se supunha, o que surpreende, já que alguns ex-dirigentes de estatais elétricas vinham realizando trabalhos para empresas da China.

Mas entre os principais adquirentes de ações figuram o Fundo Soberano de Cingapura e um fundo de pensão canadense CPPIB. O Itaú e o 3G Radar, com posições relevantes entre os acionistas, fizeram também reservas. Supõe-se, portanto, que os Fundos ou as empresas que detiverem a maioria vão escalar os dirigentes administrativos e operacionais da nova Eletrobras.

Entretanto, a Eletrobras atual não revelou quais são as condições em que pessoas indicadas pela maioria acionária encontram-se habilitadas para assumir esses comandos, pois não pode ser qualquer um. É um ponto que a Eletrobras ao colocar as ações à venda esqueceu de assinalar.

NOVO REAJUSTE –  Reportagem de André Borges, O Estado de S. Paulo de ontem, informa que a Direção da Petrobras que ainda se encontra em pleno mandato, apesar da indicação de Paes de Andrade, da assessoria de Paulo Guedes, continua no cargo, e agora colocou em estudos um novo reajuste do óleo diesel para suprir a diferença existente entre compra e venda nas bombas, e o produto em relação ao mercado internacional.

Se isso acontecer, será uma nova bomba política para Jair Bolsonaro, uma vez que ele deseja conter os preços dos combustíveis visando evitar novos desgastes eleitorais.

ATAQUES –  A reportagem, edição desta quinta-feira de O Globo, é de Bela Megale e Rafaela Ribas, e revela que aliados de Bolsonaro, entre eles alguns assessores pessoais, têm aconselhado o presidente da República a não mais atacar os ministros do STF e não levantar dúvidas quanto às urnas eletrônicas, porque com base em pesquisas  qualitativas, esses dois fatos são os maiores fatores de perda de votos.

Bolsonaro na quarta-feira, antes de viajar para Los Angeles, participou de um encontro com empresários na Associação Comercial do Rio de Janeiro e voltou a se queixar do Supremo, contrariando as observações que lhe foram enviadas. Ele, em tom de irritação, disse que é preciso uma reação contra certas decisões da Corte Suprema.

Usou um tom de ameaça no que se refere à transmissão do poder , em janeiro,  a um vencedor que tenha obtido tal condição pelo uso indevido das urnas. Como se constata não seguiu ainda as orientações que têm recebido.

PLANOS DE SAÚDE – Reportagem de Luciana Casemiro e André de Souza, O Globo, analisa a decisão do STJ e seus efeitos nos planos de saúde que operam no mercado brasileiro. O STJ, em sua decisão, determinou que os planos não precisam cobrir tratamentos fora da Agência Nacional de Saúde.

O fato é que o STJ não parece ter levado em consideração os contratos firmados entre as partes. Caso contrário, basta que a ANS coloque algum tratamento fora da lista para que contratos firmados percam parcialmente seu valor.

12 thoughts on “Guedes cria confusão e esquece que governadores são também candidatos

  1. Estaria Bolsonaro tão convicto de uma acachpante vitória que permite-se jogar com esses corriqueiros e insuportáveis reajustes dos combustíveis, como se nada representasse no cotidiano dos usuários?

    • O Agronegócio cresceu 8,3% em 2021 e alcançou 27,4% da Econômica. Me espliquem: Como pode perante tais resultados, este país ter 33 milhões de famintos e outros tantos milhões abeira da fome? Bolsonaro está certo, o Brasil mata a fome de bilhões de pessoas pelo mundo, porém, não se preocupa em nutrir o próprio cidadão brasileiro. Devido estes resultados o Agronegócio apoia o Odorico, enquanto isso a população apoia o Lula e o levará de volta ao poder.

        • Isso tudo vai acabar!

          A entrega das nossas estatais estratégicas como a Eletrobras e a Petrobras, serão o fim da indústria brasileira, pois essas estatais irão para grupos globalistas que sabotarão o agronegócio, a indústria, etc etc etc, brasileira.

  2. Guedão da massa ontem suplicou aos empresários que congelassem os preços ate 31 de dezembro pelo motivo “de estarmos passando por um momento muito difícil”. Já congelou até o fim do ano o preço do diesel.
    Essa é a verdadeira face dos neoliberalóides tupiniquins.

    • Esse Guedes é um falso liberal. Vou passar a chamar ele de esquerdista, porque está zerando impostos federais para baixar o preço de combustíveis. Ele quer subsidiar o diesel, para reduzir o custo das caminhonetes dos ricos. Trata-se de de um Robin Wood ao contrário. Um esquerdista de cabeça para baixo, que tira dos pobres para dar para os ricos. Existe, esse personagem, é ele mesmo.
      Guedes e seus amigos ricaços, investem em paraisos fiscais, os seus ganhos no Brasil para fugir dos impostos, que cobram da gente. O Brasil para esse parasita dos cofres públicos é apenas um pequeno detalhe.

  3. A decisão do STJ em relação às obrigatoriedades dos planos de saúde põem a nu o grau de estupidez e insanidade de alguns ministros dos tribunais superiores. Depois do decidido o órgão regulador do setor pode fazer alterações na lista das coberturas obrigatórias, excluindo procedimentos que considerar lesivo às operadoras, porque os órgãos reguladores sempre agem de acordo com os interesses dos operadores nunca dos usuários.

  4. Para diminuir o preço dos combustíveis vale qualquer medida para tirar dinheiro do povo. O que não pode é a Petrobrás ter um lucro menor para não prejudicar os acionistas

  5. Em uma terra não muito longínqua, uma corja de picaretas, enganando um bando de trouxa, ascendeu ao Poder. Devido seus desmandos, e principalmente por má fé e uma pitada de incompetência, levaram o país ao caos, criando com isso, milhões de famintos, outros tantos de desempregados, outros tantos à beira da pobreza e um bom tanto de Empresas falidas. Enquanto isso, o Peter Pan, Mandatário eleito devido o analfabetismo político daqueles que o elegeram gasta milhões do dinheiro Público promovendo motociatas, andando de jet ski, tirar ferias quinze vezes em um ano e desviar dinheiro da Educação, Saúde, Segurança e de Verbas para financiar a Assistência Social, com intuito de comprar seus comparsa no poder e com isso, perpetuar suas mordomias. QUE TERRAS SÃO ESSAS?

  6. Paulo Guedes ignorou a redução do caixa dos Estados, com a redução do ICMS, visando reduzir no máximo 1 real e sessenta centavos na bomba, uma merreca, que vai para o ralo, quando a Petrobrás tiver que aumentar de novo os combustíveis, por causa das oscilações do dólar e do preço do barril de petróleo.
    Guedes e Bolsonaro causam barulho a troco de nada, porque não enfrentam as verdadeiras causas dos aumentos.
    Para Guedes, não importam os governadores, pois seu foco é a reeleição do presidente, para ele permanecer no Poder como ministro, por mais quatro anos.
    Guedes só pensa nele, um egoísta de mão cheia,. O Brasil só serve para garantir seus interesses e preservação da sua fortuna. O povo não sabe como investir em uma offshore, então, perde dinheiro com aplicações no Brasil, cujos dividendos pagos,busão irrisórios.
    Quedes não está nem aí, para todos nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.