Guerra na Ucrânia mostra a inutilidade e a ilegalidade do Conselho de Segurança da ONU

Rússia adia votação no Conselho de Segurança por falta de apoio

Embaixador russo veta resolução da ONU contra seu país

Jorge Béja

A Organização das Nações Unidas (ONU), e seu ilegalíssimo, prepotente e imbecil Conselho de Segurança, envergonham o mundo. Não se vai aqui contar a história da ONU. A abordagem é sobre fatos, passados, presentes e atualíssimos. Faltam à instituição internacional e seu Conselho de Segurança, moralidade, poder e autoridade. Até hoje, passados mais de 70 anos, a Resolução do Conselho de Segurança que ordenou que a China desocupasse o Tibet não foi cumprida. E a ocupação permanece.

E o Dalai Lama Tenzyn Guiatzu, que tive a honra de defendê-lo na Justiça brasileira por ocasião da Eco-92, continua refugiado na India, onde chegou a pé, atravessando as montanhas geladas do Tibet, na década de 50, junto com um pequeno grupo  de seu povo. E a ONU, covarde, cruza os braços. Até hoje nada fez. E nunca fará.

ONU PROCESSADA – Na condição de advogado de Gilda Vieira de Mello, abri processo na Justiça brasileira contra a ONU. A certidão de óbito de seu filho, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, Alto Comissário da ONU para Direitos Humanos, foi expedida com dois graves erros. Um, apontava Sérgio com “cidadão iraquiano”. Outro, a médica norte-americana Elizabeth House apontou como “explosão” a causa da morte de Sérgio, em Bagdá, para onde a ONU o enviou por ordem do então presidente George W. Bush e da secretária Condolessa Rice.

O saudoso médico Ednei José Dutra de Freitas, que foi comentarista e articulista da Tribuna da Internet e também amigo de Dona Gilda, contestou a causa da morte. “Explosão foi o fato, mas para a medicina é preciso, através da autópsia, indicar qual o órgão ou quais os órgãos do corpo que foram atingidos e que deu ou deram motivo à morte“, escreveu o Dr. Ednei no seu Parecer entregue à Justiça.

E Dona Gilda venceu a causa. A ONU perdeu. E a ONU teve que expedir outra certidão de óbito.

CONSELHO INÚTIL – No tocante ao Conselho de Segurança da ONU, pode-se afirmar que tal Conselho viola todos os princípios primários da Ciência do Direito, da Razão e do Bom Senso. É vergonhoso que um de seus cinco membros, quando julgado e a ele imposta sanção, esta seja vetada pelo próprio membro que a sofreu e a decisão torna-se inócua e cai por terra.

O fato é recente e atual. Punida pelo Conselho, a própria Rússia –  que não poderia votar, mas votou – vetou a punição contra si própria. É nada mais, nada menos, que dar ao acusado o direito de decidir sobre o crime que cometeu e, quando condenado, tem ele o poder de descumprir, desatender, vetar, anular e retirar do mundo jurídico-político, a sanção que o próprio acusado sofreu.

É vergonhoso e insensato. Que tribunal? Que corte de justiça? Que instituição é essa que permite que um de seus juízes vote, vete e descumpra a sanção que o colegiado lhe impôs?

###

DECÁLOGO DA PILANTRAGEM DA ONU

Aqui na TI não há espaço para dissertar sobre o tema ONU. Mas para se ter uma ideia do ambiente que reina naquele prédio de vidro em Nova Iorque, vamos ao “Decálogo de Um Funcionário da ONU”, que o brasileiros Hernane Tavares de Sá, que foi Segundo-Secretário de Informação Pública da ONU, de 1960 a 1965, nos deixou publicado e que está esgotado. Em síntese diz o “Decálogo”:

1) Nunca expresse sua opinião por escrito sobre coisa alguma.

2) Passe sempre para o papel tudo aquilo que não for de importância, mas redija de maneira que seus colegas pensem duas vezes antes de atribuir-se a autoria.

3) No trato diário e no diálogo, inclusive em conversas informais nos corredores, procure apurar o dom de fazer que o banal se torne prenhe de possibilidades misteriosas, e que o irrelevante pareça profundo.

4) Telegrafe com maior frequência possível, e que cada telegrama seja marcado “confidencial distribuição vedada”, visto que isto lhe dará prestígio.

5) Em reuniões, use da palavra bem ao começo ou então quando a sessão já vai chegando ao fim, mas nunca deixe de se fazer ouvido.

6) Quer em sessões formais ou em pequenas reuniões, quando lhe fizerem uma pergunta responda sempre com outra pergunta, pois isto desconsertará seu interlocutor.

7) Nunca se prontifique a dar uma informação. Não se esqueça que qualquer informação é um artigo de valor, que não deve ser esbanjado.

8) Se você foi promovido a um posto já em nível onde são tomadas decisões, nunca as tome. Sempre que chamado a decidir diga que vai refletir antes.

9) O cordial aperto de mão e o sorriso constante são instrumentos básicos para o seu trabalho e nunca você deve cansar-se deles. Sorria para a sua imagem no espelho ao barbear-se pela manhã e sorria diante do espelho durante o dia, na ONU, toda vez que for ao toalete dos homens.

10) Preocupe-se e siga preocupando-se. Se não o fizer, não terá uma carreira bem sucedida ou promoções rápidas, ainda que seja hábil na lisonja, nas manobras ou nos planos”.

Taí um “Decálogo da Pilantragem”. Nada é sincero. Tudo é postiço. Tudo é falso. Nada é autêntico nem verdadeiro. E é nesta Organização que o destino da Ucrânia e dos ucranianos está sendo decidida. Coitados. A depender da ONU e do seu Conselho de (In)Segurança, a Ucrânia corre o risco de desaparecer junto com o povo ucraniano. E o presidente Zelenski ter um trágico fim de vida.

26 thoughts on “Guerra na Ucrânia mostra a inutilidade e a ilegalidade do Conselho de Segurança da ONU

  1. Qual a diferença desta guerra para dezenas de outras ocorridas após a segunda guerra?
    Os EUA sempre se escondem na “força internacional”.
    O caso mais notório foram as armas químicas do Sadam no Iraque.
    O metodo americano é destruir completamente. Iraque, Afeganistão, Líbia, morreram quantos civis? A mídia americana nunca noticiou.
    Então não morreu civil!
    Agora não se fala em outra coisa como se fosse novidade.

  2. Prezado José Guilherme Schossland, importante e oportuna matéria o senhor nos apresenta para ler.
    Li toda a entrevista de Carolina à Revista Cláudia. Um detalhe importante – Sempre que eu ia à casa de Dona Gilda em Copacabana, Carolina estava lá. Eu comentava com Dona Gilda que ela deveria abrir processo indenizatório contra a ONU. Afinal, foi um seu funcionário mandado a serviço no Iraque e lá encontrou a morte que, para muitos não foi surpresa, eis que Sérgio Vieira de Mello estava cotadíssimo para substituir Kofi Annan na Secretaria-Feral da ONU.

    Mas minhas sugestões não eram aprovadas por Carolina. Teve um dia que ela (Carolina) e eu nos desentendemos, desde a sala até a aporta do elevador, desentendimento que Dona Gilda interveio para apaziguar. Creio que Carolina tinha pretensão de ingressar na ONU, ou à ONU regressar, porque Carolina sempre se opôs à ação indenizatória.

    A moça é um talento de pessoa. Linda, linda, linda. Sérgio escolheu a mulher certa para o segundo matrimônio. Só meses depois é que eu vim ser advogado de Dona Gilda, por causa da certidão de óbito. Mas se antes fosse, eu não deixaria o corpo de Sérgio, que veio para o Rio ser velado por uma tarde inteira, voltar naquele mesmo dia para a França, onde foi enterrado no Cemitério dos Príncipes.

    Mesmo com a presença de Lula, então presidente, se eu estivesse lá no velória criaria caso. Exigiria que o caixão fosse aberto para saber se dentro estava mesmo o corpo de Sérgio. E mais: exigiria que o caixão fosse para o IML do Rio para ser autopsiado, visto que a médica americana que atestou o óbito apontou como causa da morte “explosion” como constatei tempos depois, quando a certidão me veio às mãos para corrigi-la na Justiça, o que fiz e os erros foram corrigidos.. Mas naquele dia do breve velório no Rio (durou apenas uma tarde e o corpo voltou) se eu fosse advogado de Dona Gilda e estivesse presente, eu ia brigar muito. Ia falar alto. Podiam até me prender que não me importava, porque a causa era justa. E os anos se passaram e agora tudo e tarde demais. Desejo felicidades à Carolina a quem quero bem. E espero que Carolina também queira bem a mim.

    • Caro Dr.Béja, Saudações!
      Na época do “evento” eu havia reunido muitos elementos/depoimentos inclusive da companheira do “implodido” sobre a dificuldade dela em se aproximar do corpo ainda com vida, levando-a e tb à nós a crer que apesar de implodido, foi” finado”, para sair de cena! Elementos aqui postados e sumidos tb do google onde constavam como memória de atos criminosos de “piratas modernos”!

  3. O “DECÁLOGO DE UM FUNCIONÁRIO DA ONU”, está, em maior extensão, da página 145 à 148 do livro “NOS BASTIDORES DA ONU”, de Hernane Tavares de Sá, Biblioteca do Exército – Editora – 1967.

  4. Doutor Jorge Béja, podemos acrescentar que a ONU desde sempre poderia ter impedido diplomaticamente, o que estamos presenciando mas, o objetivo ali era realmente colocar o Putin em uma “sinuca de bico” pois se ele deixasse, a Ucrânia entraria para a OTAN e a Russia ficaria exposta se se opusesse, teria que usar a força e passaria como está acontecendo como responsável pela guerra. Realmente os EUA tem uma força formidável para países desarmados; vide que estão sempre colocando serviçais onde os interessa.
    Só nos resta rezar para que não caiamos na guerra nuclear pelas tramas mau sucedidas da OTAN.
    PS: Rogo a Deus, bendito seja Seu nome, para que dê forças aos ucranianos e que trabalhe a consciência dos ocidentais, para o Plano de Reconstrução do que restar da Ucrânia.

    • “As mentes radicais que estão por trás da Nova Ordem Mundial criaram um projeto socialista e totalitário de abrangência global. Rastreando os primeiros passos graduais rumo a um governo mundial, podemos encontrar o fundamento definido por uma mistura eclética de visionários socialistas, financistas globalistas, revolucionários comunistas, sociedades secretas, líderes da Nova Era, ricos capitalistas e suas fundações isentas de impostos.

  5. Toda guerra tem um motivo, mas quando um país não tem motivos justos para invadir o outro, cria–se um motivo, mesmo que depois seja descoberto, como foi o caso da invasão dos EUA ao Iraque que morreram mais de 600 mil pessoas. Não vi a mídia mundial se escandalizar, como agora.
    No caso da Ucrânia, a guerra é entre os EUA e a Rússia, no meio a Ucrânia. O motivo, é a fronteira da Rússia com a Ucrânia que fica a 780 Km de Moscou, e qualquer míssil de médio alcance pode atingir Moscou sem dar tempo do exército russo detectar o míssil. Ainda há as regiões separatistas de maioria russa que vinha sendo atacada pelo grupo de neonazistas que formam o batalhão Azov do exército ucraniano. Há relatos que faziam barbaridades com os prisioneiros russos, inclusive castração.
    O que forma nossa opinião com relação a uma guerra são as informações que temos da mídia ocidental dominada pelos EUA.
    Antes da invasão havia possibilidade de acordo, bastava algum órgão internacional próprio (não sei qual) mediar e discutir as razões dos EUA e da Ucrânia em querer entrar para OTAN e a Rússia não querer. Poderia chegar-se a um acordo e evitar a brutalidade e insanidade da guerra.
    Vejo a televisão mostrando os mortos nas ruas, como se numa guerra não houvesse mortos e noticia que morreram tantos civis, mas não dizem quantos soldados ucranianos e
    paramilitares morreram. Se Zelenski obrigou todos o homens de 18 a 60 anos a lutar na guerra, este caso, não são mais civis, são paramilitares.
    Às sanções que os EUA fez contra a Rússia, vem causando inflação e crise no mundo inteiro, mas Joe Biden diz que o culpado da crise mundial é a Rússia.
    A meu ver, não haveria guerra se os EUA não quisesse acuar a Rússia.
    Na vida, é preciso muito cuidado com o que ouvimos. Há mentiras cativantes e verdades sem graça. Isso costuma confundir a razão

  6. Vocês são papagaios
    Só repetem, repetem, repetem demonizando a Rússia
    Falaram da Rússia deixando a cidade com corpos nas ruas e mulheres estupradas
    O prefeito da cidade fez um vídeo no dia da saída da Rússia. Não falou absolutamente nada. Dois dias depois outro vídeo com corpos pela rua (como que em exibição) e essa versão de que foram os soldados russos.
    As pessoas escolhem querer ir no mais fácil, com a versão dominante por mais que contraditória. São incapazes de ver que (há tempos) se encontra em andamento uma oficialmente por meio das agências de notícias e governos ocidentais uma retórica de cancelamento do que nao-ocidental e com vistas sabotar a China, a Rússia e demais que entrem no caminho dos EUA que não aceitam perder a hegemonia militar, política e econômica

  7. Leão, tive um colega de trabalho que foi da inteligência militar na área da guerrilha do Araguaia; ele disse que realmente quem sofreu foram os agricultores/moradores da área pois, quando os guerrilheiros eram afugentados, o exército ficava “preocupado” em saber quem estava acoitando os guerrilheiros e quando os militares iam embora, “apertavam” os locais para saber o que tinham informado.
    PS: O mesmo acontece nas favelas em relação a grupos de bandidos rivais.

  8. Senhor Jorge Béja , omitistes o fato de que o ” ESTADO MILITAR ISRAELENSE ” nunca acatou ou respeitou uma única revolução da ONU , até hoje desde sua criação em 1948 , tendo como patrono um Brasileiro , o diplomata ” OSWALDO ARANHA ” , que se vivo fosse , teria se arrependido e se envergonhado .
    Por ventura Inglaterra , USA , Israel e Otan , interromperam suas invasões , massacres , estupros e roubos dos povos dos países que eles invadiram e permanecem escravizando seus povos até hoje?

    • Preciosa contribuição. Está escrito no artigo que “aqui na TI não há espaço para dissertar sobre a ONU”. Quem sabe ler, leu. Ler e entender.
      Não obstante, o leitor acima trouxe mais subsídios que comprovam a inutilidade da ONU, conforme consta do título do artigo, título dado pelo nosso editor Carlos Newton e do próprio conteúdo do texto articulado.
      .

  9. Senhor Jorge Béja , se quiseres comparar as invasões de diversos países por membros da OTAN , eles foram e são mais perversos , destrutivos , indiscriminados nos quatros cantos do Mundo , já a Rússia esta sendo seletiva e benevolente com o povo Ucraniano , que são vítimas de seus políticos e seu presidente , que até o hoje nada fez ou faz para cessar a guerra , além de ficar se exibindo na mídia Ocidental e ocultando do povo Ucraniano a fatura que esta por vir , pós guerra .

    • Desta vez, se leu não entendeu. O artigo não submete nem a Russia e seu presidente, nem a Ucrânia e seu presidente, à reflexão em razão da guerra. Não é a guerra contra a Ucrânia o tema do artigo, e sim a inutilidade da ONU.
      Tem-se constado que com o passar dos anos e nos governos que não incentivam a Cultura, que a leitura de textos se tornou um obstáculo para a população que não não era versada à leitura. Pior, ainda, é a leitura sem a compreensão do texto.

      • Caro Dr. Béja, faço seguir outros “dendos”, conforme:
        “PORTUGUÊS) MEMÓRIA
        É Bagdá, 2003
        16:17:21 hs. 19 de agosto de 2003. Interior do atentado terrorista no Hotel Canal, Sede da ONU em Bagdá, Iraque.
        Carolina havia acabado de desligar o telefone, e de colocar os dedos no computador para começar a escrever um relatório, quando o ambiente ao seu redor desmoronou e desapareceu. Um homem-bomba acabava de bater contra uma das paredes do prédio onde ela trabalhava – ele atravessou com forca a janela que se encontrava três andares abaixo dela. Estava dirigindo um caminhão gigante de cimento. Tratava-se do prédio da ONU em Bagdá. Num piscar de olhos, todo mudou. Instantaneamente, todos ao seu redor estavam mortos: sepultados baixo pedaços de cimento ou agonizando depois de terem sido atravessados pelos vidros. Andando através dos pedaços que ainda permaneciam erguidos dentro prédio, ela procurou durante três horas por Sergio. Quando o encontrou, soterrado entre moveis, tapetes e vigas, ele disse a ela que a amava, que estava com imensa dor e que não conseguia se liberar. Como ela se encontrou sem forca suficiente para mover as varias toneladas de cimento que o aprisionavam, eles trocaram palavras de amor e conforto, ela prometeu tirá-lo de lá, e trazer ajuda. Ela logo foi retirada à força dos escombros, enquanto alertava quem era Sergio, onde ele estava preso, e a urgência de tirá-lo. Em vez de ajudá-lo a sair, os esforços se colocaram para impedi-la de retornar. Esta é a história dela.

        Sergio tinha resistido a bomba. Depois de três horas sem um auxilio significativo, ele morreu. https://carolinalarriera.com/memory/portuguese-memoria/

        • José Guilherme Schossland, numa das minhas idas à casa de Dona Gilda, a mãe de Sérgio me fez ouvir duas gravações de conversas dela com filho Sérgio.

          Na primeira que ouvi, Sérgio lamentava ir para o Iraque. Chegou a chorar. Disse que estava cotado para ser o sucessor do então secretário-geral (Kofi Annan, não sei se é assim que se escreve) e que o Bush e a Condolessa Rice não queriam. E que a ordem para ir para o Iraque era para ele morrer lá.

          E de fato, Schossland, o explosivo foi colocado bem do lado do quarto em que ele estava hospedado em Bagdá.

          Outra gravação Dona Gilda fez da conversa entre Sérgio, já soterrado e sob os escombros, e o repórter da CBN do Rio. Ele próprio, Sérgio, telefonou para a CBN e disse que estava lúcido, sem lesão, e só não conseguia sair de lá por causa da laje que estava sobre ele, mas ele nada tinha sofrido.

          E depois ele aparece morto!!!

          • Bush(arbusto).à quem qualifico como “Senhor dos Eventos”, vai penar super-aquecido por toda e l á s t i c a eternidade!

          • Caro Dr. Béja. outro título à ser pesquisado no Google, esclarece o porque dessa desenfreada pirataria e a obsessão por OURO, das Filipinas, do subsolo do WTC, do Iraque, da Líbia, da Venezuela e de onde quer que reluzem e que plantem seus modernos “marujos”!
            “Confirmado o Vínculo Tenebroso Entre Prescott Bush (Avô do Presidente George W. Bush) com o Partido Nazista Antes e Durante a Segunda Guerra Mundial.”

          • Não esquecendo o petróleo, base do piche que calafeta suas corsárias embarcações!
            Observem quem tem conversado sob ou atrás desse “arbusto”!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.