Há expectativa de que Moro saia fortalecido do debate no Senado, agora de manhã

Resultado de imagem para sergio moro

O próprio Moro se ofereceu para prestar depoimento no Congresso

Daniel Carvalho
Folha

Enquanto aliados do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no Senado tentarão conduzir um debate no campo jurídico, a oposição quer promover uma discussão política nesta quarta-feira (19) para tirar o ministro Sergio Moro (Justiça) de sua zona de conforto na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). O ex-juiz da Lava Jato irá prestar esclarecimentos na Casa sobre as trocas de mensagens entre ele e o procurador Deltan Dallagnol.

Para esfriar o clima para criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), Moro ofereceu-se para ir voluntariamente ao Senado, ambiente relativamente mais controlado para ser interpelado.

COMPORTAMENTO – Embora senadores digam acreditar que o PT não estará à vontade na sessão porque qualquer manifestação mais enfática poderá soar como bandeira contrária ao combate à corrupção, o líder da sigla no Senado, Humberto Costa (PT-PE), afirma pretender indagá-lo sobre razões de seu comportamento quando juiz federal.

“A discussão vai ser um pouco política: quais as consequências destas condutas que ele teve, o que trouxe para o Brasil?”, disse Costa.

Do lado governista, a intenção é não deixar Moro cair em provocações que o levem para o debate político, o que pode tirar o ex-juiz de sua zona de segurança. “Se ele ficar no campo técnico-jurídico, briga duas horas sem botar o pé no chão, porque ele é professor. Duvido que ele vai cair para o campo político e se agastar com um bate-boca com senador dentro do Senado, não é o perfil dele. Achar que vai nocauteá-lo para a opinião pública, não vejo a menor possibilidade disso”, disse o líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP).

PALANQUE – Governistas, parlamentares que se declaram independentes e opositores concordam que a comissão pode se tornar um palanque para o ministro da Justiça. Como Moro ainda tem crédito de popularidade, alguns senadores indicam que dificilmente haverá uma arguição mais consistente.

Diante do receio de que Moro saia ileso e até fortalecido da reunião, integrantes da oposição dizem que vão reavaliar cenários. Parlamentares acham difícil fazer, por exemplo, com que o ministro não compareça, já que ele não foi convidado ou convocado pela comissão, mas se ofereceu para ir.

O que pode acontecer, dizem, é acelerar o ritmo da sessão para não deixá-lo confortavelmente sob os holofotes, caso esse clima favorável se confirme.

CONTRADIÇÕES – A oposição ainda espera a divulgação de novos diálogos para calibrar o tom que adotará na comissão. Líder da Minoria no Senado, Randolfe Rodrigues  (Rede-AP) pretende abordar contradições no discurso de Moro desde que os diálogos vieram a público.

“Ele tem que dizer algo além de ‘fui hackeado ilegalmente’. Ele primeiro confirmou a ocorrência daqueles diálogos. Se ele [agora] diz que são falsos, então, quais são os diálogos verdadeiros?”, indagou.

Mais importante colegiado da Casa, a CCJ é composta por 54 senadores, 27 titulares e igual número de suplentes. No entanto, senadores que não são membros também podem fazer perguntas.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Depois que foi descoberto que se trata de um esquema mais amplo, destinado a libertar Lula, Dirceu, Cunha e outros políticos, ao mesmo tempo inviabilizando a Lava Jato e impedindo que Temer, Aécio e outros envolvidos sejam presos, o jogo virou e agora é Moro que está partindo para o ataque. O embate vai ser transmitido pela TV Senado, a partir da 9 horas desta manhã. (C.N.)

9 thoughts on “Há expectativa de que Moro saia fortalecido do debate no Senado, agora de manhã

  1. A Operação Chabú da PF em Florianópolis pegou políticos do PMDB, Delegados da PF e profissionais de TI, todos envolvidos em espionagem. De acordo com a PF, existe a possibilidade de envolvimento desse grupo com os vazamentos para a IntercePT. Esse pessoal contrabandeava tecnologia para Florianópolis, de onde faziam escutas e espionavam. Lembram das maletas do Renan no Senado? Moro acertou na ponta do iceberg mais rápido do que esperavam os envolvidos neste trabalho de contra-inteligência.

  2. Isto era óbvio. A gangue do PT PMDB juntos para derrubar Moro. Ainda tem o PSDB e DEM de mãos dadas, muita gente com medo do ministro querendo derrubá-lo com estorinha de imparcialidade, onde msg podem ser manipuladas. Quero ouvir gravação, aí o Green não tem, só fake news. O tiro saiu pela culatra.

  3. Ao blindarem FHC, restou evidenciada a velha máxima da velha política do velho sistema podre, do velho coronelismo, segundo a qual “para os amigos tudo, para os inimigos a lei, interpretada da pior e mais cruel maneira possível.

  4. O IntercePT não tem nenhuma gravação que mostre para o público a veracidade do que publica? O Moro e a PF estão só dando corda, quando puxarem, vem todo mundo junto. Cada dia fica mais claro a grande farsa que é tudo isso, ou como diz o Presidente, o grande circo.

  5. Se “Humcerto Bosta” diz que vem coisa por aí é confissão de muito, explicita, ele sabe e convive com os criminosos que tentam destruir as Instituições Brasileiras nesses atos criminosos, aliás ele pertence ativamente a uma “Organização Criminosa chamada PT” , tudo dito, firmado, provado e documentado em 4 instâncias Jurídicas, pelo MPF, Justiça Federal, TCU, Receita Federal e Polícia Federal, o que dá a ele essa “sapiência criminosa” de apoiar criminosamente essa farsa criminosa internética !!!! Pernambuco de Homens de Bem sabem quem é “Humcerto Bosta” ele não consegue ir às ruas, é vaia e repulsa dos Pernambucanos de Bem !!!! Um Recado aos donos de TI esquerdopatas pernambucanos, logo mais o chabú vai chegar lá no Recife e talvez eles saibam quem são esses informantes do “bosta louca” que o faz afirmar a continuidade dos crimes de invasão !!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *