Há muitas falhas na democracia brasileira, mas ainda é melhor do que a ditadura

Resultado de imagem para democracia charges

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

José Vidal

Alguns podem achar ruim, mas vivemos numa democracia. Se é perfeita? Claro que não, porém é muito melhor do que qualquer ditadura. Num regime autoritário as informações são limitadas e muitas até proibidas. Aqui existe liberdade de expressão.

Não somos livres para votar em quem quisermos? O voto não é secreto? Isso é democracia. Mas alguns dizem que votar em fulano ou sicrano denota o grau de analfabetismo político inerente ao povo brasileiro. E talvez seja, porque muitos de nós não querem nem saber de discutir política ou economia.

FAKE NEWS – Ler qualquer texto que ultrapasse cinco linhas já é um esforço demasiado. Pesquisar em profundidade é algo impensável. Então, não é de admirar o sucesso das fakes news, com seus textos curtos que despertam paixões, diminuindo ao extremo a qualidade de pensar.

Todavia, em nosso país, apesar de todos os defeitos, as instituições funcionam. A imprensa é livre para opinar. O Ministério Público e a Polícia Federal investigam. Sem o fracassado pacto, os poderes são independentes.

Se queremos que o país melhore, precisamos primeiro nos questionar. Por exemplo, numa eleição, vou votar numa determinada pessoa, mas por quê? Quais as qualidades que me levaram a escolhê-la?

O VOTO LIVRE – Numa democracia há liberdade de escolhas, embora haja influências externas quase que conduzindo as votações. Costumo ler comentários de artigos, não só no Brasil, mas em alguns sites internacionais. Assim, vejo que grande número deles não tem conteúdo que se possa aproveitar. Xingamentos são a tônica.

Eu costumo não criticar as escolhas pessoais. Se alguém escrever que vai votar no Bolsonaro, outro prefere o Lula. Não vou nem comentar. São escolhas. Porém, se a pessoa colocar as razões de seu voto, estará opinando. E, ao tornar pública sua opinião, estará dando aos outros o direito de criticar ou elogiar a escolha.

Se eu dou opinião em um espaço, tenho que admitir a crítica. Minha verdade pode ser a mentira para o outro, mas admito que é difícil aceitar contestações, a gente sempre se acha certo… Por tudo isso, opto pela nossa democracia, mesmo que falha. 

12 thoughts on “Há muitas falhas na democracia brasileira, mas ainda é melhor do que a ditadura

  1. Finaliza assim o autor:

    “Por tudo isso, opto pela nossa democracia, mesmo que falha”.

    Com todo respeito, concluo que já perdemos a noção de democracia.
    O que estamos vivendo aqui jamais pode ser chamada democracia.
    Estamos no lixo!!
    Simples assim.
    Atenciosamente.

  2. Discurso chavão, bitolado, alienado, defasado, suspeito, pró continuísmo da mesmice do sistema apodrecido, tipo chapa branca. Discurso do tempo que existia apenas duas opções: golpismo ditatorial versus partidarismo eleitoral e vice-versa, primeira e segunda via do mesmo e velho sistema com prazo de validade vencido há muito tempo. O Novo Trem da História é a Democracia Direta, com Meritocracia, a Terceira Via de Verdade, porque evoluir é preciso.

  3. A charge é uma lição de Engenharia para recém formado.
    Um prédio, com moradores dentro, foi derrubado em 1994 ( Guaratuba-Pr) , porque o Engenheiro fez exatamente o que mostra o Desenho.
    Mandou quebrar o concreto preservando o aço.
    Acontece que num Pilar, é o concreto que aguenta a compressão.

  4. Desde que José Vidal aportou na TI, o blog teve um aumento de qualidade nos seus comentários, a ponto que o Mediador escolhe alguns deles como artigos.

    Em princípio, o título da postagem é uma verdade estocástica, pois como dizia o célebre escritor, o óbvio ululante.
    Mas, Vidal afirma que a democracia é melhor do que a ditadura (sic), evidentemente dentro de condições normais de temperatura e pressão, situações que decididamente não temos!

    Já foi dito acima, que a democracia não nos obrigaria a votar;

    Da mesma forma, caso estivéssemos descontentes em quem votamos ou que tenha cometido QUALQUER irregularidade, a perda da função para a qual foi eleito deveria ser imediata;

    Igualmente o Poder Legislativo jamais poderia ter em suas mãos a decisão de aprovar qualquer medida governamental, atribuindo a si a condução do país, deixando de lado a sua obrigação constitucional, que seria fiscalizar os atos de governo;

    Muito menos poderia ter autoridade para decidir sobre seus vencimentos, aumentos de verbas para suas indenizações pessoais, auxílios pecuniários, quantidade de assessores, carros, motoristas, a criação de um fundo partidário para que os parlamentares sejam reeleitos, e através de quantias surrupiadas da educação e saúde;

    De maneira alguma, o Legislativo poderia existir como o atual, sem qualquer controle, fiscalização, auditoria, tornando-se um poder paralelo ao do Executivo, e com o agravante de amarrar as mãos do Presidente da República e seus atos de governo, invariavelmente como uma queda de braço ou cabo de guerra, de modo que o povo se dê conta de quem manda mas, na verdade, representando mediante teatralização de seus discursos demagogos e comportamentos insidiosos, corruptos, desonestos, que está “agindo em defesa do povo”;

    Jamais um partido político deveria manter a sua sigla e continuar não só existindo como ainda ser agraciado com milhões de reais, se tivesse cometido os crimes que praticou o PT. A permanência dos petistas é uma afronta à sociedade brasileira; um escárnio ao povo; demonstração inequívoca, indiscutível, insofismável, que tal procedimento e licenciosidades permitidas não podem ser exemplos de democracia, pelo contrário, a ditadura atualmente é feita pelos poderes constituídos contra o povo;

    O STF, nosso Supremo, deveria ter em mente que, conceder Liminares ou Habeas Corpus para bandidos condenados em segunda instância, agride o trabalhador, a honestidade, o cidadão cumpridor de seus deveres. Afora tal insulto inclusive à Carta Magna, a comprovação tácita de comprometimento político, de juiz à manutenção e proteção do sistema que tornou o Judiciário como parte importante como a outra casta que nos rouba, explora e manipula. Convenhamos, se o Judiciário age contra os anseios e desejos da população, a demonstração não é em benefício à democracia, porém ao fortalecimento do modo existente há décadas que se aproveita do Estado para maior poderes, regalias, mordomias, salários milionários, indenizações fraudulentas, planos de saúde e dentário para a família, e agora com a “moda” de licitações à base de iguarias tão refinadas, que uma refeição para os ministros da Alta Corte equivale a dois salários mínimos, no mínimo;

    Se vivêssemos mesmo em democracia, os índices CRIMINOSOS de educação – levantamento acusa que estamos atrasados neste particular em quase cinco décadas! -, saúde pública, segurança, infraestrutura, deveriam ser muito, mas muito acima do que se apura no país epor órgãos federais, logo, se particulares, a verdade seria até mais grave;

    Se a democracia existisse no Brasil, e não afirmada em bases subjetivas, porém realistas, práticas, constatáveis, a pobreza e a miséria, o desemprego e o endividamento do cidadão, de jeito nenhum deveriam estar nos níveis vergonhosos e deprimentes, humilhantes e acintosos, conforme registrado a cada ano. Se o povo não for o alvo principal para ser atendido e ter serviços adequados e de qualidade pelo que lhe arrancam de impostos, decididamente estamos à mercê de poderes autoritários, déspotas, que nos obrigam a tão somente obedecer e outorgar poderes;

    Portanto, se de fato o Brasil vivesse uma democracia legítima, e não sendo comparada com uma ditadura – a comparação já evidencia que a democracia não existe como deveria ser, mas apenas e tão somente um arremedo desse regime porque nos é dada a “obrigação” de votar, surpreendentemente, então a maioria acredita que tal concessão é “democracia” -, a verdade absoluta acarretaria ao povo decidir sobre o que pretende para si:
    Uso de armas, plebiscito;
    Porte de armas, plebiscito;
    Pena de morte, plebiscito;
    Liberação de cassinos, plebiscito;
    Aumentos salariais para os poderes, plebiscito;
    Fim das indenizações para parlamentares, plebiscito;
    Decisão para prender condenados em segunda instância, plebiscito;
    Uso de verbas arrecadadas e uso das mesmas, plebiscito;
    Definição do número de parlamentares, plebiscito;
    Mudança na Previdência, plebiscito …

    Tais poderes dados ao povo para decidir, então seria mesmo uma democracia. Agora, as decisões vindos dos poderes que nos mandam obedecê-las, acatá-las, que flagrantemente nos prejudicam, lesam, nos empobrecem, Vidal que não me leve a mal, mas a discussão não está entre ditadura e democracia, porém estabelecida que, no Brasil, a democracia NÇAO EXISTE!

    Logo, o convite ao debate se a ditadura é pior ou melhor que a democracia é um sofisma, uma articulação bem feita.
    A questão não pode ser colocada nessas bases ou nesta comparação, pois a resposta será sempre conduzida para a democracia.
    A discussão que precisa ser feita, que é inadiável, decisiva para o nosso futuro e desta nação, diz respeito se é ESTE MODELO DE DEMOCRACIA falsa, relativa, superficial, que devemos aceitar ou deve ser contestada e modificada urgentemente!

    E, a solução para este mal que tanto nos aflige quanto nos adoece a cada dia, irremediavelmente reside no fechamento do Legislativo, em interromper a ditadura parlamentar, em impedir que mais ainda sejamos roubados, explorados e manipulados.
    Não está em debate a ditadura, ledo engano, pois até mesmo há uma certa má intenção quando assim posta a discussão, mas se está contestando o que temos, que não é democracia, mas um sistema que privilegia apenas e tão somente as elites já conhecidas, e também as castas do Legislativo e do Judiciário.

    A meu ver, e para mim, como cidadão, contribuinte, brasileiro e ser humano, a democracia nacional é um engodo, um artifício, pois calcada frágil e superficialmente, no tal mentiroso “voto popular”, sendo que somos obrigados a comparecer às urnas, ironicamente!

    Este modelo democrático não quero mais, quero o verdadeiro, onde o povo é a autoridade máxima, e não patrocinador de vidas nababescas para uns e outros, e usado para “escolher” quem quer que o represente, e que vai inevitavelmente prejudicá-lo, lesa-lo, roubá-lo, explorá-lo, e manipulá-lo!

    • Irretocável!

      P.S.-Prezado Chico, na matéria: “Haddad e Marta juntos na disputa da prefeitura de São Paulo em 2022”, de 06/12/2019, respondi pro Sr. mas percebi que com a velocidade das notícias da Tribuna, acho que não viu minha resposta ao que me indagou.

      Se tiver um tempinho, acho que ainda está no histórico da Tribuna.
      Deixo um forte abraço, saúde e paz.
      Cordialmente.

  5. O título é impagável. A democracia brasileira só é melhor que ditadura, deram a entender. O pior é que não estão nada longe da mais pura e cristalina verdade. O que fizeram aqui e usam o nome de democracia, atesta a alegação.

  6. Quero agradecer os comentário. Os elogios e as críticas.
    Que bom podermos fazer isso.
    Dizem que o ideal é utópico. O comunismo (verdadeiro) proposto por Marx ou o conceito superior do homem de Nietzsche são exemplos. Mas ambos não explicaram como isso poderia ser atingido. o homem na sua plenitude, sem nenhum tipo de escravidão.
    o Estado, no estágio atual de evolução do homem é imprescindível. Certamente ele será mais ou menos ruim.
    E entre os Estados, como já dizia Churchill, aqueles que adotam o sistema da democracia são os melhores dos piores..

  7. Caro José Vidal, com vossa licença:
    “(2) Cf. Polzer Hodlizt, “Kaiser Karl”, Viena, 1929, págs. 302, 385, palavras atribuídas a Anatole France, quase rimando :
    “A democracia não tem coração nem entranhas.
    A serviço das forças do Ouro é sem piedade e desumana!”

    “KLEROTERION: Un nuevo dispositivo para la selección aleatoria de personas | UC3M”
    https://www.youtube.com/watch?v=wkyWd4N7iAU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *