Haddad amacia críticas de Cid Gomes: ‘Coisa meio acalorada, ele é meu amigo’

Haddad

Haddad tenta manter o apoio do PDT, mas está difícil

Daniel Weterman
Estadão

O candidato do PT à Presidência nas eleições 2018, Fernando Haddad, classificou como uma “coisa meio acalorada” as críticas feitas pelo senador eleito do Ceará Cid Gomes (PDT). “Uma coisa meio acalorada, não vou ficar comentando isso até porque eu tenho uma amizade com o Cid, ele fez elogios à minha pessoa”, disse Haddad a jornalistas na manhã desta terça-feira, 16. Em uma discussão, Cid Gomes disse que o PT perderá eleição se não fizer mea culpa e chamou a militância petista de ‘babaca’

O petista declarou que preferia ver o lado “positivo” das declarações do pedetista e que a amizade entre os dois continuaria a mesma. Haddad disputa o segundo turno da eleição presidencial com o candidato Jair Bolsonaro, do PSL. Levantamento feito por Ibope/Estado/TV Globo divulgado pouco antes do discurso de Cid Gomes aponta que Bolsonaro lidera a pesquisa com 59% dos votos válidos, contra 41% de Haddad.

DISCUSSÃO – Cid Gomes se envolveu em uma discussão com apoiadores do PT durante ato a favor ao candidato da sigla à Presidência, Fernando Haddad, na noite de segunda-feira, 15, em Fortaleza. Em vídeo que circula nas redes sociais, Cid faz elogios a Haddad, mas cobra que o PT faça um mea culpa para conquistar o apoio do eleitorado.

“Tem de pedir desculpas, tem de ter humildade, e reconhecer que fizeram muita besteira”, disse o senador eleito, sendo interrompido por pessoas da plateia. “É sim, é? Pois tu vai perder a eleição. Não admitir um mea culpa, não admitir os erros que cometeu, isso é para perder a eleição e é bem feito. É bem feito perder a eleição”, afirmou durante o ato.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Cid Gomes tocou num ponto fraco do PT. Quando o partido foi criado, havia a prática salutar da autocrítica, com reuniões frequentes. Depois que o PT chegou ao poder em 2003, a vaidade falou mais alto e nunca mais houve esse tipo de reunião. O PT virou um partido igual aos outros, quer dizer, pior do que os outros, porque traiu suas origens e se tornou uma fábrica de corrupção. (C.N.)

36 thoughts on “Haddad amacia críticas de Cid Gomes: ‘Coisa meio acalorada, ele é meu amigo’

  1. Finalmente um pouco de lucidez na esquerda.

    De onde surgiu o Bolsonaro? (por Gustavo Bertoche – Dr. em Filosofia )

    Desculpem os amigos, mas não é de um “machismo”, de uma “homofobia” ou de um “racismo” do brasileiro. A imensa maioria dos eleitores do candidato do PSL não é machista, racista, homofóbica nem defende a tortura. A maioria deles nem mesmo é bolsonarista.

    O Bolsonaro surgiu daqui mesmo, do campo das esquerdas. Surgiu da nossa incapacidade de fazer a necessária autocrítica. Surgiu da recusa em conversar com o outro lado. Surgiu da insistência na ação estratégica em detrimento da ação comunicativa, o que nos levou a demonizar, sem tentar compreender, os que pensam e sentem de modo diferente.

    É, inclusive, o que estamos fazendo agora. O meu Facebook e o meu WhatsApp estão cheios de ataques aos “fascistas”, àqueles que têm “mãos cheias de sangue”, que são “machistas”, “homofóbicos”, “racistas”. Só que o eleitor médio do Bolsonaro não é nada disso nem se identifica com essas pechas. As mulheres votaram mais no Bolsonaro do que no Haddad. Os negros votaram mais no Bolsonaro do que no Haddad. Uma quantidade enorme de gays votou no Bolsonaro.

    Amigos, estamos errando o alvo. O problema não é o eleitor do Bolsonaro. Somos nós, do grande campo das esquerdas.

    O eleitor não votou no Bolsonaro PORQUE ele disse coisas detestáveis. Ele votou no Bolsonaro APESAR disso.

    O voto no Bolsonaro, não nos iludamos, não foi o voto na direita: foi o voto anti-esquerda, foi o voto anti-sistema, foi o voto anti-corrupção. Na cabeça de muita gente (aqui e nos EUA, nas últimas eleições), o sistema, a corrupção e a esquerda estão ligados. O voto deles aqui foi o mesmo voto que elegeu o Trump lá. E os pecados da esquerda de lá são os pecados da esquerda daqui.

    O Bolsonaro teve os votos que teve porque nós evitamos, a todo custo, olhar para os nossos erros e mudar a forma de fazer política. Ficamos presos a nomes intocáveis, mesmo quando demonstraram sua falibilidade. Adotamos o método mais podre de conquistar maioria no congresso e nas assembleias legislativas, por termos preferido o poder à virtude. Corrompemos a mídia com anúncios de empresas estatais até o ponto em que elas passaram a depender do Estado. E expulsamos, ou levamos ao ostracismo, todas as vozes críticas dentro da esquerda.

    O que fizemos com o Cristóvão Buarque?
    O que fizemos com o Gabeira?
    O que fizemos com a Marina?
    O que fizemos com o Hélio Bicudo?
    O que fizemos com tantos outros menores do que eles?

    Os que não concordavam com a nossa vaca sagrada, os que criticavam os métodos das cúpulas partidárias, foram calados ou tiveram que abandonar a esquerda para continuar tendo voz.

    Enquanto isso, enganávamo-nos com os sucessos eleitorais, e nos tornamos um movimento da elite política. Perdemos a capacidade de nos comunicar com o povo, com as classes médias, com o cidadão que trabalha 10h por dia, e passamos a nos iludir com a crença na ideia de que toda mobilização popular deve ser estruturada de cima para baixo.

    A própria decisão de lançar o Lula e o Haddad como candidatos mostra que não aprendemos nada com nossos erros – ou, o que é pior, que nem percebemos que estamos errando, e colocamos a culpa nos outros. Onde estão as convenções partidárias lindas dos anos 80? Onde estão as correntes e tendências lançando contra-pré-candidatos? Onde estão os debates internos? Quando foi que o partido passou a ter um dono?

    Em suma: as esquerdas envelheceram, enriqueceram e se esqueceram de suas origens.

    O que nos restou foi a criação de slogans que repetimos e repetimos até que passamos a acreditar neles. Só que esses slogans não pegam no povo, porque não correspondem ao que o povo vivencia. Não adianta chamar o eleitor do Bolsonaro de racista, quando esse eleitor é negro e decidiu que não vota nunca mais no PT. Não adianta falar que mulher não vota no Bolsonaro para a mulher que decidiu não votar no PT de jeito nenhum.

    Não, amigos, o Brasil não tem 47% de machistas, homofóbicos e racistas. Nós chamarmos os eleitores do Bolsonaro disso tudo não vai resolver nada, porque o xingamento não vai pegar. O eleitor médio do cara não é nada disso. Ele só não quer mais que o país seja governado por um partido que tem um dono.

    E não, não está havendo uma disputa entre barbárie e civilização. O bárbaro não disputa eleições. (Ah, o Hitler disputou etc. Você já leu o Mein Kampf? Eu já. Está tudo lá, já em 1925. Desculpe, amigo, mas piadas e frases imbecis NÃO SÃO o Mein Kampf. Onde está a sua capacidade hermenêutica?).

    Está havendo uma onda Bolsonaro, mas poderia ser uma onda de qualquer outro candidato anti-PT. Eu suspeito que o Bolsonaro só surfa nessa onda sozinho porque é o mais antipetista de todos.

    E a culpa dessa onda ter surgido é nossa, exclusivamente nossa. Não somente é nossa, como continuará sendo até que consigamos fazer uma verdadeira autocrítica e trazer de volta para nosso campo (e para os nossos partidos) uma prática verdadeiramente democrática, que é algo que perdemos há mais de vinte anos. Falamos tanto na defesa da democracia, mas não praticamos a democracia em nossa própria casa. Será que nós esquecemos o seu significado e transformamos também a democracia em um mero slogan político, em que o que é nosso é automaticamente democrático e o que é do outro é automaticamente fascista?

    É hora de utilizar menos as vísceras e mais o cérebro, amigos. E slogans falam à bile, não à razão.

      • Má análise com respeito á esquerda americana. Socialismo não quer dizer corrupção, mas sim acolher os mais necessitados, dar a todos uma vida digna. Não se trata de modelo soviético, daqueles porcos Lenin Stalin. É coisa séria. O capitalismo é importante porque estimula a meritocracia através do lucro, mas não ele não pode ser desumano. Cisco, Google, Aple, Facebook, etc, existem porque surgiram dentro do capitalismo. Até a China se conformou a essa necessidade. Mas a atenção social tem que existir.

        • O liberalismo americano pode até ser menos corrupto que o PT – embora a reputação dos Clintons nesse quesito seja péssima. Mas lá os liberais também adotaram a tática de que ninguém, afora eles, é moralmente aceitável para ocupar cargos eletivos. Muito antes de Trump ser eleito, já há muitos anos todo republicano é sistematicamente acusado de homofóbico, racista, misógino e xenófobo. Os únicos republicanos aceitáveis para os liberais americanos são os que estão fora do poder e sem perspectiva de assumi-lo. Agora que morreu, o Senador John McCain foi virtualmente canonizado pela mídia americana. No entanto, quando concorreu à presidência em 2008, ele foi o Hitler de plantão:

          https://www.youtube.com/watch?v=RRHL5QlwA-g

          Um dos comentários desse vídeo faz uma boa observação nesse sentido:

          “Now that he’s dead and the libtards are singing his praises, I came to find this clip to be reminded how manipulative the media is and how someone who the left associates with nazis is a hero to them a decade later.”

    • O Jair cresceu no “adubo” produzido no país pela administração das esquerdas brasileiras.
      -Tivessem alguma competência ou fossem mais honestas, ou tivessem menos ladrões, hoje eu estaria gritando “LULA LÁ” e comprando bottons e broches com a estrelinha do PT…

      -Pois é!

    • Esse texto tinha que ser lido nas praças públicas, nos mercados, em todas as assembléias e agrupamentos humanos, precedido de um soar de tambores e trombetas.

      As vezes me pergunto por que aquilo que tem conteúdo, de fato, ou pra ser mais claro, a Verdade, nunca se torna um viral. Embora , no fundo, eu tenha a resposta.

  2. O PT não reconhece todos os erros que cometeu porque é um partido sujo, asqueroso.
    Em 2014 as urnas eletrônicas foram fraudadas para manter o PT no poder, e este ano no 1º turno a coisa se repetiu.
    Saiu o resultado da análise da Operação Antifraude nas urnas eletrônicas para o 1º turno de Presidente usando a lei de Benford. O resultado mostra que há 77,68% de chances dos números terem sido alterados artificialmente, ou seja, o Dr. não pode falar isso, mas eu falo que houve fraude, e o TSE tem que mostrar uma prova além dos BUs para que me prove o contrário. segue o link: https://www.youtube.com/watch?v=9hbfEJi_sbs&feature=share

  3. Rosa Weber presidente do TSE recebe mensagem em tom de ameaça de bolsonarista

    Ministra Rosa Weber, recebeu em tom de ameaça, que Bolsonaro está “matematicamente eleito”, e que “se as urnas forem fraudadas”, a população irá para as ruas até que uma nova eleição com voto impresso.

    TSE pediu investigação a PF.

    https://goo.gl/JK9uRT

    • Alex Rosa Cardoso. Conta outra que esta é velha como o matusalém. Quem sabe tu explicas os fake news que postaste aqui na Tribuna defendendo um advogado bandido foragido na Espanha e acusando o Moro de prevaricação!

    • Alex, você devia ler atentamente o texto do doutor em Filosofia Gustavo Bertoche, postado aqui pelo Espectro.

      Depois imprimir, mandar emoldurar e pendurar num espaço privilegiado de alguma parede da sua casa.

  4. Provavelmente o assembleísmo e as discussões internas dos velhos tempos do PT fossem mais facilmente admitidos porque o partido ainda não estava no poder. Com a chegada ao poder, a liderança partidária teve condições de dispensar as longas e aborrecidas assembléia e impor sua vontade, e o PT passou a operar no mais puro estilo do PRI mexicano, um outro partido que começou revolucionário e se tornou ultracorrupto no exercício do governo.

  5. Ciro foi derrotado no primeiro turno e Haddad será no segundo, justamente porque ambos praticam a mesma política que o povo hoje rejeita, não quer mais, basta!

    A verdade nua e crua é que Cid Gomes foi o Cavalo de Troia de seu irmão no meio de petistas!!!

    Baixou a lenha.
    Quem esperava palavras de incentivo, de apoio ao PT, de união, enganou-se redondamente.

    Cid não deixou pedra sobre pedra, deixando a petezada perplexa com o seu discurso.

    Evidentemente que agiu dessa forma porque o PT traiu Ciro, ao não querer que este fosse o representante das esquerdas nessas eleições, e porque as estatísticas diziam que seria o único a vencer Bolsonaro no segundo turno.

    Cid não tinha motivo algum para dourar a pílula, pois eleito senador, vida tranquila, entendeu criticar os petistas como nunca antes haviam sido tratados desta maneira, no local onde se reuniam!

    Evidente que depois que feriu, assoprou, dizendo-se favorável a Haddad, mas dentro dele torce como um fanático para Bolsonaro!

    Pois essas mentiras, pantomimas, reuniões de solidariedade entre os velhos políticos, as missas frequentadas por ateus e que ainda “comem” a hóstia, é que Bolsonaro será eleito e com larga margem de vantagem sobre Haddad, o dissimulado, estafeta, mandalete e marionete de Lula, ladrão e genocida!

  6. Espectro

    Parabéns pela análise. Acrescentaria no ” modo petista de governar” usado nos quatro mandatos consecutivos na prefeitura de Porto Alegre. O que valia era a idéia é não o candidato. Até aparecer o Tarso Genro querendo voltar a prefeitura. Ganhou a eleição e ficou 2 anos. Renunciou para disputar sucessão do Olívio Dutra no governo do estado. Não deixando o governador defender seu mandato. Perdeu feio. Ali f nasceu uma das células dentro do PT do coronelismo petista.

  7. Minha vontade era que Haddad renunciasse. Mesmo ganhando, vai perder.
    Carlos Lacerta já dizia do Getúlio: “O Sr. Getúlio Vargas, senador, não deve ser candidato à presidência. Candidato, não deve ser eleito. Eleito não deve tomar posse. Empossado, devemos recorrer à revolução para impedi-lo de governar.” E o impediram de governar

    • Não vai ganhar não, dona Carmen. O Haddad vai morrer depois da eleição – de vergonha! Vai voltar a ensinar o direito que se ele conhece não pratica.
      Vou fazer um despacho com galinha e farofa pra que ele fique careca!

    • Lacerda foi um trouxa, conspirou contra Getúlio o tempo inteiro, insuflou e apoiou o golpe de 64, depois foi sumariamente cassado pelo regime que ajudou a criar. Foi exilado e morreu no ostracismo, cheio de amargura.

      Comparar Getúlio a Haddad é um equivoco.

      • Estou me referindo a dois períodos distintos: 1954, quando as artimanhas de Lacerda provocaram o atentado contra ele, a grande m** praticada pelo Fortunato e asseclas, levando Getúlio ao suicídio.

        E depois, o golpe de 64, quando Lacerda, se vendo escanteado, tentou uma aliança com Juscelino e Jango, para garantir as eleições vindouras. Os três morreram depois, em circunstâncias nunca bem esclarecidas.

    • Lacerda acreditava piamente que, destituído Jango, Castello Branco faria as eleições previstas para o ano seguinte, e se julgava virtualmente eleito. Quem brinca com cobras acaba mordido.

      • Alguém já disse que Lacerda, tendo se formado politicamente nas hostes do velho Partido Comunista, de quem sofreu uma sórdida campanha de difamação, nunca perdeu os vícios da sua origem, mesmo depois de guinar para a direita. Sempre adotou práticas e métodos que poderiam ser considerados “leninistas”.

        Se non è vero, è ben trovato, e lembra muito mesmo as práticas da pseudoesquerda hoje, brilhantemente expostas no artigo de Gustavo Bertoche, trazido pelo Espectro.

  8. Se fosse só erros da esquerda e ela pedir desculpas por eles, estaria de bom tamanho. O problema da esquerda são crimes mesmos que eles,seus integrantes, cometem pois, faz parte de sua ideologia a tomada do poder por quaisquer meios, inclusive hediondos.

  9. PT nunca foi um partido para participar da democracia. Foi um embuste para acobertar o socialismo de Gramschi, Stalin e Mussolini. A esquerdalha fundou o partido para os encobri-los e angariou os mais radicais nos partidos nanicos satélites, para não dar vexame.
    Se travestiu de democrata, ao mudar o foco na eleição de 2002, quando o PMDB, o partido que dorme na cama de quem ganha, viu a oportunidade da diminuição do discurso do ódio.
    Levaram o país ao buraco, trazendo toda uma cultura do cinismo, mentira, manipulação e humilhação dos opositores.
    Agora, depois de quase quebrarem o país, a direita, família, propriedade, valores morais, acordou e retomará o país.
    Na queda de braço de 64, todos os que queriam a esquerda no poder fugiram, mas retornaram em 84, travestidos de centro e de esquerda, mas para um único fim: assaltar o país.

  10. Acho um absurdo pedirem que o PT tenha “autocrítica”. Ora, ora, o PT é talvez a maior quadrilha criminosa do planeta!

    Quadrilha que causou um prejuízo incalculável ao Brasil. E eu duvido que as cifras envolvidas estejam abaixo de 1 trilhão de reais!

    Quando é que uma quadrilha criminosa tem autocrítica??? Só faltava essa…

    Na sua fala Cid Gomes quis botar a boca no trombone. Mas pegou leve, certamente porque tem o rabo muito bem preso.

    De qualquer forma, foi um tiro certeiro no petismo, e na própria campanha do Haddad.

    De repente o próprio Ciro Gomes poderia soltar mais um tiro semelhante a esse, quando desembarcar da viagem ao exterior.

    Seria divertido…

  11. Cid Gomes já ganhou o Senado e agora faz um aceno positivo ao Bolsonaro para tentar uma aproximação no próximo governo do JMB. Isto porque seu estado Ceará está quebradíssimo e ele irá mendigar verbas lá em Brasília para, pelo menos, pagar a folha do Ceará.
    É tudo maquinado e sem qq ideologia e sim olhando para o presidente eleito Bolsonaro com sua caneta pesada.
    Aí Cid, continue babando, vai que dá certo esta sua jogadinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *