Haja saco! Ainda faltam ser divulgadas seis pesquisas

Carlos Newton

Os registros no Tribunal Superior Eleitoral mostram que, na reta final da campanha, pelo menos seis novas pesquisas eleitorais serão divulgadas ainda nesta semana sobre a disputa presidencial. Os levantamentos foram registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelos Institutos Ibope, Datafolha, Vox Populi e Sensus.

A primeira pesquisa Ibope/Estadão/Globo vai ser divulgada às 18 horas de hoje (quinta-feira, 23). Devem ser entrevistados 3.010 eleitores e o número do registro é BR-01168/2014. O instituto também deve divulgar mais um levantamento no sábado, véspera da eleição.

Também o Datafolha deve divulgar mais duas pesquisas, uma delas na quinta-feira, contratada pela Rede Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo. A previsão é de 9.978 eleitores entrevistados. O Datafolha, assim como o Ibope, também divulgará uma pesquisa no sábado.

O Vox Populi tem uma pesquisa prevista, contratada pela Rede Record para ser divulgada no sábado. E o Instituto Sensus, com coleta prevista entre terça e sexta-feira, divulga seus resultados na sexta-feira, pela revista IstoÉ.

É uma verdadeira overdose de pesquisas que estarão sendo empurradas pela goela abaixo dos eleitores, cada uma com um resultado diferente.

9 thoughts on “Haja saco! Ainda faltam ser divulgadas seis pesquisas

  1. CUIDADO com a urna eletrônica BRASILEIRA ! ! !

    Números estão sendo apresentados para dissimulação do que pode vir.

    Trocar voto nulo, branco e de um determinado número por um outro número NÃO É inexequível.

    CUIDADO com ‘institutos de pesquisa’ VENAIS.

    CUIDADO com os que dizem: Também Somos Enganadores !!!

  2. BIBOPE: Botafogo não corre risco de rebaixamento

    Datafalho: Chances de Cruzeiro escapar da Série B são mínimas

    Pesquisa encomendada é pesquisa comprada, não se encomenda um bolo sem pagar por ele (e escolher o sabor). E fim de papo.

  3. Pela pesquisa Ibope & Associados de hoje, 5a. feira, 23 de Outubro, que acaba de ser divulgada, Dilma já está eleita. Ela aparece com 49% das intenções de voto e Aécio com 44%. Ou seja, a presidenta está acima da margem de erro, que segundo o referido instituto, é de 2 pontos percentuais. Se, para cima, passa dos 50%. Se, para baixo, não cai para menos de 44/45 por cento. O Ibope ainda garante 95% de acerto em suas pesquisa. É o que acaba de ser divulgado na edição das 17 horas do Jornal da GloboNews.

    Mas qual a responsabilidade do Ibope (e de todos os demais institutos de pesquisas) quando erram feio, como erraram no primeiro turno, ao colocar Aécio com 20% das intenções e votos, quando, na verdade, Aécio superou os 30%? Os crassos erros ficam por isso mesmo? ficam impunes? e os institutos saem ilesos e nada, abosolutamente nada lhes acontece?

    Digo aos leitores que as responsabilidades desses institutos são imensas, comparáveis a quem divulga propaganda enganosa a respeito de produto colocado à venda no mercado. Ainda que não solicitados, os institutos de pesquisas prestam serviço à coletividade de eleitores. Serviço que deve ser exato, isento e o mais verdadeiro quanto possível. O eleitor não pede a pesquisa. Porém, quando a instituição se presta a realizá-la e divulgá-la, ainda que não tenha sido encomendada e paga pelo eleitorado, a responsabilidade civil da instituição que erra feio é integral, é plasmada, é indiscutível, pelo dano moral coletivo que causou a todos os eleitores. Em todas as relações pessoais, sociais, comerciais, políticas e inúmeras outras, existe a Responsabilidade Civil. Prevalece no Direito Brasileiro o princípio “Neminem Laedere” que vem do Direito Romano. Ou seja, ninguém tem o direito de causar dano a outrem. Exemplo: uma pessoa que prega uma mentira ao próximo e este sofre dano por causa da mentira, o mentiroso tem a obrigação de ressarcir o dano. Mesmo que entre os dois não se tenha sido celebrado qualquer ajuste, escrito ou verbal, subsiste o dever moral de não mentir e não causar dano.

    Para finalizar esta brevíssima consideração. Segundo o Ibope & Associados, Dilma está eleita para continuar presidente da república a partir de 1º de Janeiro de 2015. Mas se o resultado for outro, se o vencedor venha ser o candidato tucano Aécio Neves, cada eleitor brasileiro passa a ter o indiscutível direito de recorrer à Justiça com pedido de indenização por dano moral contra o instituto que erro feio. O dano moral é coletivo e abrangente. Indaga-se: será preciso provar o dano moral? Responde-se: não. O dano moral é presumido. E o Código de Defesa do Consumidor, aplicável por analogia, manda inverter o ônus da prova, que passa a ser, no caso, do instituto de pesquisa que erro feio.

    Jorge Béja
    Advogado no Rio de Janeiro
    Especialista em Responsabilidade Civil ( UFRJ e Universidade de Paris, Sorbonne)

  4. Com o PT no governo e suas mentiras, baixezas e calúnias, o Brasil
    virou a casa da mãe Joana, vale tudo tudo para não perder as eleições e não poder abafar o oceano de lama que está envolto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *