Heleno mostrou que é um general de verdade, mas Eduardo Ramos se complicou todo…

Augusto Heleno mostrou que um chefe militar não pode mentir

Carlos Newton

A mentira é um risco que pode ser fatal para qualquer homem público e para sempre ficar gravada em sua carreira “como tatuagem”, no dizer da belíssima canção que Chico Buarque e Ruy Guerra criaram para a peça “Calabar”. Foi a mentira sobre Watergate que levou o presidente Richard Nixon à renúncia nos Estados Unidos, em 1974.

UM GENERAL DE VERDADE – Agora, nessa fase conturbada da política brasileira, o general Augusto Heleno honra sua farda e desmente o presidente da República, Jair Bolsonaro, que se revela uma espécie de mentiroso contumaz, quase sempre suas declarações necessitam de tradução simultânea, para evitar que ele morra pela boca, como se dizia antigamente.

Determinados políticos e advogados se acostumam a mentir desde cedo, é como se isso fizesse parte da profissão. Há alguns anos, por exemplo, o famoso advogado José Roberto Batochio, com uma mentira bem colocada, conseguiu evitar a prisão do ex-ministro Guido Mantega.

O CASO MANTEGA – Em 2016, houve vazamento na Lava Jato e Mantega soube que seria preso no dia 22 de setembro. Ligou para o advogado Batochio, que armou uma estratégia.

Mandou Mantega pegar a mulher, que se tratava de câncer, e ir de madrugada para o hospital Albert Einstein. Ao médico do plantão, disse o advogado, Eliane Mantega reclamaria que estava passando mal do estômago e pediria para ser feita uma endoscopia, que só começa a funcionar às 8 horas. Assim, quando a Polícia Federal chegasse ao hospital, Mantega diria que a mulher, cancerosa, estava sendo operada.

O plano deu certo. A PF chegou a prender Mantega, mas o delegado entrou em contato com o juiz Sérgio Moro, que ficou compadecido e cancelou a prisão. A mentira foi descoberta no mesmo dia, quando a imprensa entrevistou Marina, filha de Mantega, que revelou não ter havido cirurgia, mas somente um exame de endoscopia em ambulatório. Assim, quatro anos depois Mantega continua solto, como se fosse um cidadão acima de qualquer suspeita.

O CASO HELENO –  Agora, em ofício à Polícia Federal, o general Augusto Heleno confirmou que não houve problemas na segurança presidencial no Rio de Janeiro nem dificuldade para substituir seus integrantes. Com isso, não somente desmontou as fantasiosas alegações do presidente Jair Bolsonaro, como também desmentiu o general Eduardo Ramos, seu colega de farda e de ministério.

Heleno mostrou que é um general de verdade, enquanto Ramos fez um papel inaceitável para um chefe militar. Ao depor perante o Ministério Público, afirmou o secretário de Governo: “Foi dito pelo presidente Jair Bolsonaro, na mesma reunião do dia 22 de abril de 2020, que, a título de exemplo, se ele não estivesse satisfeito com sua segurança pessoal realizada no Rio de Janeiro, ele trocaria inicialmente o chefe da segurança e, não resolvendo, trocaria o ministro, e nesse momento olhou em direção ao ministro Heleno”.

Isso não aconteceu. Na reunião, Heleno estava à direita do presidente, que ao fazer a advertência, virou à esquerda e olhou direto para Sérgio Moro.

DEPOIMENTO RETIFICADO – No primeiro depoimento, o general Eduardo Ramos foi muito tendencioso na defesa de Bolsonaro, chegando a dizer que “não foi mencionado pelo presidente que se não pudesse trocar o diretor geral da Polícia Federal ou o superintendente da Polícia Federal no estado do Rio de Janeiro ele trocaria o próprio ministro”, acrescentando que “na presença do depoente isso não foi dito na reunião do dia 22 de abril ou em qualquer outro momento”.

No entanto, após concluído o depoimento, o general-ministro teve peso na consciência e pediu para retificar essas afirmações. Tudo isso é extremamente lamentável, até porque o cidadão brasileiro tem o direito de exigir que os chefes militares não mintam, especialmente em depoimento à Polícia.

Em profissões como política e advocacia, a mentira pode ser tolerada, mas em profissões de cunho militar esse desvio de caráter não pode ser aceito, em hipótese alguma.

###
P.S.
Já ia esquecendo. Em matéria de mentira, ninguém supera Jair Bolsonaro. Dia 24 de abril, quando Sérgio Moro se demitiu, o presidente reuniu o ministério para fazer uma mensagem à Nação. Falou uma série interminável de boutades, para ao final dizer que Moro lhe propusera um acordo para ser nomeado ao Supremo. Foi uma mentira tão safada que mais parecia a Piada do Ano, mas ninguém achou graça. (C.N.)

16 thoughts on “Heleno mostrou que é um general de verdade, mas Eduardo Ramos se complicou todo…

  1. CN, assim que em algumas profissões a mentira e permitida? Isso mostra o caráter de tua pessoa. Infelizmente escreveste isso é outras coisas sem sentido.

    O real é verdadeiro é que Moro declarou que Bolsonaro não cometeu crime algum e se tivesse cometido pois o ex-ministro tivesse declarado. Escreves essa bobagens dos generales para que?

    Também Moro e Valexo declararam que Bolsonaro não interferiu na PF, para que das voltas sobre algo que toda a população assistiu pela TV o que o Presidente falou nessa reunião ministerial. O que desmente o que? Vas a enganar a quem? Achas que a população é idiota?

    • Jesus Mansilla
      “Também Moro e Valexo declararam que Bolsonaro não interferiu na PF,…”
      Puxa, não li isto. Podes indicar onde se encontra tal afirmação?
      “Achas que a população é idiota?” Ah, está eu posso dizer que sei. Trabalho muito, mais muito com pessoas, de todas as camadas sociais.
      Te afirma com total certeza: uma parcela considerável da sociedade é composta de idiotas! É uma penas, mas é assim mesmo
      Fallavena

  2. A matéria permite uma indagação. No caso do jornalismo a OMISSÃO, não é algo grave? Exemplo em fevereiro deste ano o CN discorreu conceituada matéria sobre o caso dos “hackers” de Araraquara e o gringo Verdevaldo, referindo que o cerco diante do gringo estava fechando e que em breve os fatos iriam enquadrar o Verdevaldo, é passado 4 meses e o Sr. Carlos Newton não mais mencionou o fato dos “hackers” que “acabaram” com a operação Lava Jato.
    PS. O gringo foi condecorado e recebeu “medalha” pelo congresso!

  3. Cuidado, CN!
    Pior que mentir, é usar a “verdade” para enganar. E há pessoas que falam o que maltrata e escondem o que mata.
    -A quem levas aí? José responde: Jesus de Nazaré! Uma verdade para induzir à conclusão errônea. Se José tivesse a convicção de que o guarda acreditasse, em sua asserção, ele teria sido “sincero” na resposta?
    -De um delegado: “Esse bandido vagabundo chegou aqui, apliquei-lhe uns tapas, e já o enfiei na grade!” Mas o xerife se omite a revelar, que ele enjaulou o conduzido, dividindo a cela com um detento gigante, famoso por matar os seus comparsas de xelindró! Fala o que maltrata (para passar por franco, justo, durão); esconde o que mata (para não arcar com o ônus).
    PS: quanto ao diálogo entre José e o guarda de Herodes, não tenho como provar,; estou apenas reportando uma lenda milenar.

    • O mesmo José, que disse ao Guarda que levava Jesus de Nazareth, escondeu dos seus vizinhos e amigos o que lhe disse o anjo: “José, junte seus trapos e farrapos e se mande meu! O nosso Bozo, que se chama Herodes, vai ferrar tudo quanto é criança para se livrar do Messias que nasceu”.
      Pois é, como acentuou Saramago, José saiu de fininho para o Egito e não disse nada do que lhe foi revelado aos seus amigos e vizinhos. Quantos inocentes morreram… (assumindo que essa história de ficção foi real).

  4. A realidade é que “quatro anos depois Mantega continua solto, como se fosse um cidadão acima de qualquer suspeita.”

    No Brasil, todo ladrão do dinheiro do povo é “cidadão acima de qualquer suspeita.” Pode até ser recebido pelo papa que, aliás, manda em um banco bem, digamos, “operativo”.

  5. A mentira é um risco que pode ser fatal para qualquer homem público e para sempre ficar gravada em sua carreira “como tatuagem”, no dizer da belíssima canção que Chico Buarque e Ruy Guerra criaram para a peça “Calabar”. Foi a mentira sobre Watergate que levou o presidente Richard Nixon à renúncia nos Estados Unidos, em 1974.
    EXISTE MENTIRA MAIOR DO DO QUE O LULADRÃO DIZER QUE É O HOMEM MAIS HONESTO DO PLANETA, SE ATÉ AS LAMPADAS DO PALÁCIO ELE AS FURTOU E FALOU QUE TODAS AS FALCATRUAS FORAM A DEFUNTA QUE FEZ E ELE NÃO SABIA DE NADA.

  6. Pronto, CN, já usou o veneno do dia a dia. Tente parar por hoje, porque seu organismo pode sofrer uma doença chamada “resistência à peçonha”, o que fará com que seja obrigado a comprá-la em lojas de produtos agrícolas ou em petshops.

  7. Heleno é cidadão e militar acima de suspeitas. Não é servil e tem amplo currículo de enormes serviços ao país. Pode até errar ou se equivocar, mas jamais coloca-se contra os interesses da pátria e da democracia. Agora, Heleno sabe e admite, que exercer cargo público, sobretudo dentro do governo federal, é máquina de moer gente.

  8. Quem está mentindo e a muito tempo é vc CN. Seus artigos e reportagens só isala mentiras e barbaridades. Já esqueceu as mentiras que vc escreveu sobre o general Heleno? Claro que não. Atualmente vc só escreve o que convêm a mídia amestrada e corrupta. Como já disse anteriormente, essa tribuna deixou de ser um jornal imparcial e democrático a algum tempo.

    • E, apesar do contraditório, ele afirma que não opina sobre matéria executiva estadual/municipal. E mantém o caradurismo. Quando sairá candidato ?

  9. O dono do blog e alguns leitores operam para o fim a que se destina,a ditadura do proletariado.
    O esquerdismo usa essa prática desde seu nascedouro, desde a execução da família imperial russa. Desinformação, Informação e Contra Informação é a seara onde militam.
    Uma dica, os comunistas jamais tocam no assunto do legado que deixaram pra humanidade, e que se mediu em cadáveres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *